Artigo 19

Teatro
artigo 19, Urândia Aragão
©DR

Na origem desta obra está uma investigação sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos, e na sua construção uma tentativa de pensar, a partir do artigo 19 daquele documento, “a relação entre o dizível e o indizível.” Nesta criação de Urândia Aragão (com colaboração de Andrea Brandão, João Bento, também responsável pelo desenho de som, e Rui Catalão, com desenho de luz de Thomas Walgrave), algures entre o teatro e a instalação, o “que é dito e o que fica por dizer faz parte da construção de uma imagem que queremos preservar na relação com o outro.” E, para a criadora, melhor maneira de o demonstrar é quando “as histórias estão contidas em vozes, que estão contidas em caixas, que vibram como corpos: a ideia de voz e de corpo confunde-se, apontando para um sentido de humanidade, em que o corpo está ausente.”

Publicado:

LiveReviews|0
1 person listening