Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right 5 máscaras artesanais e reutilizáveis made in Porto
Kriyā Atelier
© Kriyā Atelier

5 máscaras artesanais e reutilizáveis made in Porto

São máscaras não-cirúrgicas, laváveis e reutilizáveis. Não protegem quem as usa, mas ajudam a proteger os outros. E apoiam o artesanato local.

Por Ana Patrícia Silva
Publicidade

As máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social são feitas em materiais têxteis, laváveis e reutilizáveis, e são destinadas à população geral. A Direcção Geral da Saúde defende que o uso de máscaras comunitárias pode ser considerado no interior de espaços fechados onde exista um elevado número de pessoas. A sua eficácia na prevenção da infecção por Covid-19 não está provada, mas funciona como medida de protecção adicional às medidas recomendadas de lavagem das mãos e de distanciamento social. Trata-se de um "acto de altruísmo", uma vez que quem a utiliza contribui para a protecção das outras pessoas. Se precisar de uma máscara reutilizável, aproveite para apoiar o artesanato local.

Máscaras caseiras made in Porto

© DR

saymyname

De acordo com a marca, as máscaras têm a duração de 30 lavagens. Juntamente com a máscara, vai receber todas as instruções de manuseamento. O filtro não está incluído, mas poderá acrescentar um lenço de papel ou um filtro de café para protecção extra. As máscaras estão disponíveis nas cores branco, preto ou em estampados. Pode encomendar por mensagem no Facebook ou pelo email wodu.studio@gmail.com.

Preço: 3€

© DR

Bijoux MAS

As máscaras são feitas em tecido em pregas e com elásticos para usar à volta das orelhas. Existem em vários padrões, em tamanho de adulto ou criança, com ou sem espaço para inserir um filtro. Encomende através da página no Facebook.

Preço: 4€

Publicidade
© DR

Zezling

A marca Zezling está a produzir máscaras de algodão de duas camadas, com um bolso interno onde pode inserir, para protecção adicional, um filtro (pode ser um lenço de papel ou um filtro de café, por exemplo). Há vários padrões à escolha, como bolinhas, riscas, dinossauros, folhas, lagostas e coelhos, em tamanhos para adultos e crianças. A máscara pode ser lavada e passada a ferro e está disponível na loja online da marca.

Preço: 5€

© DR

Linda Poms

As máscaras são feitas à mão em tamanhos para adultos ou crianças, com elásticos e com duas camadas de tecido de algodão leve, macio e respirável. Funcionam como barreira de protecção contra factores ambientais indesejáveis, como respingos de líquidos, fumo, poeira e pólen. Existem em cores como preto ou em padrões coloridos. Podem ser lavadas à mão ou na máquina e estão disponíveis na Etsy.

Preços: 8,50€ a 9,90€

Publicidade
© DR
© DR

Kriyā Atelier

Com padrões coloridos ou de cores neutras, para adultos e crianças, as máscaras do Kriyā Atelier são feitas em 100% algodão. São respiráveis, laváveis ​​e ajustáveis, apresentando-se como uma alternativa ecológica às descartáveis. São contornadas para deixar espaço para o nariz e forradas com tecido de algodão macio branco, para um ajuste confortável. As alças são ajustáveis e podem ser atadas atrás da cabeça ou à volta das orelhas. Encomende na loja online da marca.

Preços: 9,50€ (criança), 10,50€ (adulto)

Mais sobre máscaras:

Gio Rodrigues
© Marta Santos Studio

Gio Rodrigues lança colecção de tapa máscaras

Notícias Vida urbana

Com a loja temporariamente fechada, o designer portuense Gio Rodrigues aproveitou os recursos que tinha em stock para criar um novo artigo: tapa máscaras.  Existem oito modelos de tapa máscaras, com padrões florais e geométricos, e é possível comprar cada um individualmente (17,45€) ou num pack que inclui uma gravata com o mesmo desenho (53,90€). São todos feitos de poliéster e laváveis na máquina. Embora não protejam contra o vírus, estas peças evitam que toquemos com as mãos na boca e nariz e protegem os que nos rodeiam. Após cada utilização, devem ser lavadas na máquina e passadas a ferro a alta temperatura. O surto de Covid-19 afecta todos os sectores, o dos casamentos não é excepção, e o foco principal do designer sempre foram os vestidos de noiva e de cerimónia. "Não podia ficar parado. O meu negócio está muito dependente dos casamentos e, numa altura em que estão todos a ser adiados, tive de arranjar forma de reajustar a minha oferta, tendo em conta aquilo que o mercado procura", explica Gio Rodrigues, em comunicado.     © Marta Santos Studio   Todos os artigos à venda na loja online estão, neste momento, com descontos até 30%. Em cada venda, 15% dos lucros revertem para a campanha "Nossos Heróis", cujo objectivo é ajudar na compra de materiais como tecido técnico e elástico. Recentemente, o designer reabriu o seu ateliê para, com a ajuda das suas costureiras, começar a produzir equipamentos de protecção individuais para hospitais. Até agora, foram doadas mais de dez

Springkode
© Springkode

Agora pode comprar máscaras não-cirúrgicas na Springkode

Notícias Compras e estilo de vida

O sector da indústria têxtil é um dos mais prejudicados pela pandemia de Covid-19. A Springkode, uma startup portuense que faz a ligação entre as fábricas portuguesas e o cliente final, desafiou os seus parceiros a começar a produzir máscaras não-cirúrgicas.  Existem duas versões de máscaras à venda. Umas são descartáveis e estão disponíveis em caixas de dez unidades (19€). As outras são reutilizáveis e laváveis, podem ser compradas em packs de três (19€) e existem em tamanho de criança ou adulto. Pode saber mais sobre as características e funcionalidades destas máscaras aqui.  Numa tentativa de ajudar as fábricas que estão a produzir as máscaras, o preço equivale apenas aos custos de produção, impostos e portes de envio. Ou seja, a Springkode não recebe nenhuma parte dos lucros. "Utilizando uma máscara não-hospitalar, evitaremos muitos contactos com o nariz e boca e teremos uma barreira adicional entre nós e o meio ambiente”, explica Reinaldo Moreira, fundador da Springkode, em comunicado. O uso de máscaras não-hospitalares é mais uma forma preventiva de protecção, para além dos cuidados de higiene reforçados que a Organização Mundial de Saúde recomenda. + Leia aqui a edição desta semana da Time In Portugal + Gio Rodrigues lança colecção de tapa máscaras + Conheça as marcas de moda que estão a apoiar os profissionais de saúde Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email.

Publicidade
© DR
© DR

Câmara de Matosinhos distribui máscaras reutilizáveis

Notícias Vida urbana

Todos os residentes do concelho de Matosinhos vão receber máscaras em casa a partir de Maio. As máscaras são reutilizáveis e laváveis e são oferecidas pela Câmara Municipal, como medida de contenção associada à pandemia de Covid-19. Num concelho com cerca de 175 mil habitantes, serão fabricadas cerca de 200 mil máscaras numa primeira fase. As máscaras são compostas por dois tecidos – um com tratamento bactericida e fungicida, o outro com tratamento impermeabilizante. Serão produzidas por um consórcio de unidades de produção de Matosinhos e a autarquia estima que estejam prontas no início de Maio, o mês onde se prevê o fim do estado de emergência. Os componentes usados na produção das máscaras aguardam a certificação do CITEVE, autoridade que garante o cumprimento das normas das máscaras comunitárias. A autarquia vai distribuir as máscaras em todas as residências do concelho, uma vez que "quando terminar o confinamento obrigatório e as pessoas retomarem lentamente as suas actividades, vai ser fundamental a protecção individual", diz Luísa Salgueiro, presidente da Câmara de Matosinhos, em comunicado. Num concelho que regista 845 casos de infecção pelo novo coronavírus, "a grande preocupação é a segurança das pessoas nesse período de transição". A autarquia pretende também entregar um guia de utilização e manutenção das máscaras, assim como um guia com conselhos práticos para o período pós-confinamento. + Leia aqui a edição desta semana da Time In Portugal + Covid-19: Saiba como

 Protect Others
© Protect Others

Empresa de Santo Tirso cria máscara reutilizável até 50 vezes

Notícias Vida urbana

A empresa tirsense Protect Others desenvolveu uma máscara que é impermeável, respirável e reutilizável até 50 lavagens. Este equipamento de protecção individual foi testado, certificado e ajudou a salvar fábricas e postos de trabalho na região do Vale do Ave. Trata-se de uma máscara para "protecção de possíveis transmissões ambientais", com estrutura protectora de três camadas, elásticos auriculares, ajuste de nariz e acabamentos antibacteriano e antifúngico. Está testada em laboratório com alta eficiência de filtração bacteriana BFE de 95,7%, tem certificação de acabamento pela Organização Mundial de Saúde, certificação de garantia de 50 lavagens pelo Citeve e certificação de não irritação de pele pelo Inovapotek. Pode consultar as especificações no site da empresa. O preço da máscara é de 3,50€ + IVA. A empresa está a trabalhar para atender a todo o tipo de necessidades e assim conseguir chegar a todo o público. Brevemente terá uma loja online e revendedores oficiais. A Protect Others é uma empresa de Santo Tirso especializada em protecção médica. Também fabrica produtos impermeáveis e descartáveis como batas, balaclavas, mangotes e botas. Com a criação desta máscara, a empresa ajudou fábricas em processo de layoff e insolvência, estando a recrutar centenas de pessoas que de outra forma estariam desempregadas. Veja o vídeo de apresentação da máscara: + Leia aqui a edição desta semana da Time In Portugal + Covid-19: Saiba como ajudar e pedir ajuda Fique a p

Publicidade
© DR
© DR

Câmara de Gaia vai distribuir 320 mil máscaras reutilizáveis

Notícias Vida urbana

Depois de Matosinhos, também o município de Vila Nova de Gaia anunciou que vai oferecer máscaras à população do concelho. São cerca de 320 mil máscaras que serão distribuídas através da caixa de correio. Eduardo Vítor Rodrigues, o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, revelou ontem que espera que este gesto seja entendido como "um impulso para que cada um cuide da sua protecção individual". "Com esta medida, o município dá um pontapé de saída e dá o exemplo, sensibilizando. O uso de máscaras, quando for permitido regressar a alguma normalidade, deverá entrar na rotina das pessoas e isto nos transportes públicos, em escolas, supermercados e outros locais", acrescenta. As máscaras serão distribuídas em kits de duas, mas se for necessário farão "ajustamentos de caso". O investimento rondará cerca de 600 mil euros. A confecção está a ser feita por uma empresa de Vila Nova de Gaia, que até agora era especializada em material desportivo. + Leia aqui a edição desta semana da Time In Portugal + Empresa de Santo Tirso cria máscara reutilizável até 50 vezes + Câmara de Matosinhos distribui máscaras reutilizáveis Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email.  

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade