Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right No ateliê de... Ana Seixas

No ateliê de... Ana Seixas

Num quarto andar muito perto da Avenida dos Aliados fica um ateliê onde uma ilustradora dá asas à imaginação. É aqui que Ana Seixas desenha o seu quotidiano e dá cor a páginas de livros para crianças

Ana Seixas
© Cátia da Costa O ateliê de Ana Seixas fica perto dos Aliados
Por Margarida Ribeiro |
Publicidade

Nasceu em Viseu, estudou design gráfico em Aveiro, viveu, trabalhou e estudou ilustração em Barcelona, mas o Porto sempre lhe piscou o olho. “Sempre me chamou muito a atenção por ser uma cidade lindíssima e por ter esta aura mística”, explica Ana Seixas. Foi por isso que, quando decidiu voltar a Portugal, escolheu a Invicta para morar. Está cá há cinco anos e, desde essa altura, que se dedica à ilustração a tempo inteiro, a profissão com a qual sempre sonhou.

O primeiro espaço que a acolheu foi a CRU Cowork, depois teve um estúdio em Cedofeita, mas agora partilha um ateliê perto dos Aliados com mais duas designers. “Gosto desta partilha, de poder pedir uma opinião e de fazer colaborações. Mas também gosto de ter o meu espaço, para poder fechar a porta e ficar no meu mundo.”

Recomendado: No ateliê de... Oficina Gato Bravo

No ateliê de... Ana Seixas

Ana Seixas
© Cátia da Costa

Pelas paredes e pelas mesas não falta cor e natureza, duas características que definem o seu trabalho de ilustradora. Ana vai desenhando à medida que a inspiração aparece e chega mesmo a retratar situações do seu dia-a-dia. Por exemplo? Quando andou, há uns tempos, à procura de casa no Porto. “Parecia que tudo voava como borboletas e duravam dois ou três dias”, conta. Vai daí, fez um desenho em que as casas tinham asas.

Neste momento, Ana está a desenvolver uma loja online onde vende as suas ilustrações em diferentes formatos. Por lá vai encontrar calendários de 2019, pins, livros para colorir, prints e posters – um catálogo de produtos que a artista quer aumentar. Também pode comprar os trabalhos de Ana em lojas como a Ó! Galeria, a Cru Cowork e a Papelaria Modelo.

Além disto, também ilustra livros para crianças e trabalha, regularmente, com a editora lisboeta Pato Lógico. Um dos seus trabalhos mais recentes é o livro Quem é Esta Gente nos Painéis de São Vicente, escrito por Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada. A publicação explica aos leitores mais jovens o significado dos painéis. Ana também ilustra livros mais didácticos e dedicados a crianças mais novas. 

No ateliê de... Ana Seixas

Revista VOA
© Cátia da Costa

Revista

A VOA é uma revista da Associação Mutualista Montepio dedicada aos mais novos. Ana é a ilustradora residente que dá vida às páginas da publicação.

Cerâmica, Ana Seixas
© Cátia da Costa

Cerâmica

“Começou por ser uma diversão e uma forma de poder trabalhar mais com as mãos e de não estar sempre ao computador. Faço principalmente animais e caras, tudo muito ao meu estilo. Também vão estar à venda.”

Publicidade
Livres e Iguais, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
© Cátia da Costa

Livro

“Recentemente ilustrei um livro, escrito pela Ana Maria Magalhães e pela Isabel Alçada, para a Imprensa Nacional - Casa da Moeda, em parceria com a Comissão Nacional dos Direitos Humanos. Chama-se Livres e Iguais e foi publicado para celebrar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.”

Carimbo Ana Seixas
© Cátia da Costa

Carimbo

Ana decidiu dar um cunho especial ao seu trabalho, por isso, no verso de todos os seus prints há um carimbo com a sua marca.

Publicidade
Tablet Ana Seixas
© Cátia da Costa

Tablet

Entre as várias coisas que tem sobre a secretária está um tablet, uma ferramenta imprescindível. “O meu trabalho é todo digital. No papel só faço mesmo os esboços, por isso tenho esta paleta para poder desenhar directamente no computador.”

Mais ateliês para conhecer

Oficina Gato Bravo
© DR
Compras, Arte, artesanato e passatempos

No ateliê de... Oficina Gato Bravo

A teimosia de Sílvia Silva e de Filipa Torres foi o elemento catalisador para a existência deste ateliê. A amizade destas duas artistas plásticas vem da adolescência, quando ambas frequentavam a Escola Artística Soares dos Reis. “Sabíamos que queríamos trabalhar juntas e criar um espaço artístico de trabalho, mas que fosse também um lugar onde pudéssemos vender as nossas coisas”, conta Filipa. Vários anos e muitas tentativas depois, conseguiram, no ano passado, abrir a Oficina Gato Bravo. O nome veio do amor que ambas têm pelos felinos e pelo livro Cages, de Dave Mckean, onde há um “gato que é quase uma personagem principal”. Recomendado: No ateliê de... Oficina dos Violinos & Cia

Olga Noronha
@ Marco Duarte
Compras

No ateliê de... Olga Noronha

Olga tem 28 anos, nasceu no Porto e é uma das joalheiras mais irreverentes que temos por cá. Faz joalharia medicamente prescrita, um projecto tão ousado quanto ela, mas já lá vamos.

Publicidade
Botânica Florista
©João Saramago
Compras

No ateliê de... Anastasia Ogorodnikova

A primeira vez que Anastasia trabalhou com flores ainda vivia na Ucrânia. Estava na universidade a estudar Marketing quando uma amiga, também florista, lhe pediu ajuda num evento. “Só para tirar as folhas das flores e trazer os baldes com água” conta. Mas um trabalho aparentemente simples, revelou-se numa grande mudança de vida. Anastasia, de 23 anos, que entretanto começou a gostar
 de participar na organização de casamentos (também os faz por cá), acabou por deixar o curso para trás e começou a trabalhar como florista a tempo inteiro. Recomendado: No ateliê de... Joana Duarte

Publicidade
Grow Criativity
© João Saramago
Coisas para fazer

No ateliê de... Grow Creativity

Ao entrar na Grow Creativity, em Cedofeita, deparamo-nos com uma grandiosa escadaria que nos transporta para o tempo em que Portugal ainda tinha reis e rainhas. Degrau a degrau, vamos descobrindo os detalhes, desde a clarabóia até aos tectos em talha dourada. É no topo das escadas que está Maria João Seabra, fundadora da Grow Creativity, pronta para nos receber e fazer uma visita guiada pelo escritório. Conta que este já foi casa de família, sede do Sindicato dos Enfermeiros, e um escritório da Polícia. “Isto deve ter sido um palacete de duques”, especula, e, à medida que vai avançando pelas salas, vai apontando para os tectos. “Em todos está desenhada uma figura feminina e outra masculina.” Recomendado: No Ateliê de... Anastasia Ogorodnikova

More to explore

Publicidade