A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Diogo Miranda
© José FernandesColecção de Diogo Miranda

O melhor do segundo take do Portugal Fashion

Durante o fim-de-semana, foram apresentadas as propostas de vários designers de moda portugueses para a próxima estação fria.

Por Margarida Ribeiro
Publicidade

A moda voltou ao Porto durante o fim-de-semana, graças à transmissão online do segundo take da "The Sofa Edition" do Portugal Fashion. Os designers portugueses no alinhamento apresentaram as suas propostas para o próximo Outono/Inverno através de conteúdos digitais. 

A maior parte das apresentações foram filmadas previamente na Alfândega do Porto – local que normalmente acolhe as edições presenciais do evento – e posteriormente transmitidas entre 22 e 24 de Abril. O Portugal Fashion dividiu o alinhamento e em cada dia foi dado destaque a seis criadores, entre eles nomes como Nuno Miguel Ramos, Carolina Sobral, Sophia Kah, Concreto, Unflower Brand, Davii, Pé de Chumbo, Hugo Costa, Rita Sá, Luís Onofre e Alves/Gonçalves. 

O segundo take do evento também ficou marcado pelas apresentações dos alunos das escolas de moda (Cenatex, EMP, ESAD, FAUL, Modatex Lisboa), do Bloom Upload, que apresentou coordenados da autoria de Ahcor, Huarte, Kensal e Rita Ibs, e dos desfiles dos vencedores do concurso Bloom, Maria Carlos Baptista e Marcelo Almiscarado. 

Se não conseguiu acompanhar em directo, pode sempre assistir a todos os desfiles e apresentações online onde, além disso, também pode ver os conteúdos criados especialmente para o evento, incluindo entrevistas com os designers (e não só) no alinhamento, feitas pelos três apresentadores oficiais desta edição: Hugo van der Ding, Raquel Strada e Renato Duarte. Também estão disponíveis outros conteúdos, como alguns que dão a conhecer os bastidores dos desfiles e tudo o que envolvem, desde a preparação de coordenados aos cabelos e maquilhagem. 

O segundo take do Portugal Fashion em três momentos 

Susana Bettencourt fechou o primeiro dia do evento com a colecção O lugar, em que as malhas artesanais peças já emblemáticas da criadora estiveram no centro das atenções. Com as suas propostas, a designer pretendeu descontextualizar um dos maiores símbolos nacionais, a típica e peculiar casa portuguesa onde agora passamos mais tempo e reflectir sobre o panorama actual. 

Os coordenados ganharam vida graças a técnicas como o croché, que esteve em grande destaque, e o tricô. Este trabalho resultou em peças, como vestidos, casacos, calças, camisolas e saias, com silhuetas relaxadas, volumes e texturas muito diferentes. 

Susana focou-se nas cores primárias e essenciais uma forma de reforçar que, neste momento, só devemos dar importância ao extremamente necessário –, é o caso do "azul céu", o "amarelo sol", o "branco esperança", o "vermelho garra" e o "preto abismo". 

Susana Bettencourt, moda, vestuário, malhas, português
© UGO CAMERASusana Bettencourt

Já no dia seguinte, sábado, o dia terminou com Diogo Miranda, designer que já nos habitou às suas colecções elegantes, delicadas e femininas. Levou até à biblioteca da Alfândega do Porto "um estudo sobre as silhuetas com o foco na feminilidade e na elegância, na sua poesia, mas também na sua extravagância".

Uma colecção que é uma ode ao classicismo, feita através de peças intemporais, como casacos estruturados, camisas de smoking e vestidos elegantes perfeitos para ocasiões especiais , com acabamentos em renda. Os tecidos mais utilizados pelo designer foram o chiffon de seda, o crepe de seda, o crepe da China e o tafetá. 

Tons como preto e marfim sobressaíram, mas a apresentação também contou com alguns toques de cor, como o rosa e o verde-esmeralda. Quase todos os coordenados foram acompanhados com um de dois acessórios: uma gargantilha de tecido com uma flor ou luvas compridas até ao cotovelo. 

Esta colecção também incluiu alguns coordenados masculinos, onde a elegância e a simplicidade também se fizeram notar, em peças feitas à medida e em cores neutras (preto e branco). 

Diogo Miranda
© UGO CAMERADiogo Miranda

O último dia ficou marcado pelo desfile on location da dupla Marques'Almeida que já tinha apresentado a sua colecção na Semana da Moda de Londres na maior ponte pedonal suspensa do mundo, em Arouca, um cenário impressionante que elevou a colecção. 

Um dos principais focos dos designers é a sustentabilidade, algo que os levou a criar M’A Environmental and Social Responsibility Manifesto. Esta colecção foi toda produzida localmente e inclui tingimento a partir de desperdícios, ganga feita de algodão reciclado, fibras biodegradáveis, tecido feito de resíduos de plástico do oceano reciclados e sem qualquer fibra à base de petróleo. 

Com uma colecção fiel ao estilo já conhecido da marca, os criadores fizeram desfilar as suas M'A Girls com coordenados que misturam silhuetas largas e descontraídas, com peças mais estruturadas, diferentes tons de cor-de-rosa e roxo foram algumas das cores que sobressaíram, muitas vezes aplicadas em forma de tie-dye

Marques'Almeida
© FREDERICO MARTINSMarques'Almeida

O Portugal Fashion também serviu como plataforma para a apresentação dos uniformes da equipa olímpica de Portugal, para os Jogos Olímpicos de Tóquio, desenhados pela Decenio. 

Relembre-se que o primeiro take do Portugal Fashion aconteceu entre 18 e 20 de Março e contou com apresentações de Alexandra Moura, David Catalán, Ernest W. Baker, Estelita Mendonça, Inês Torcato, Maria Carlos Baptista, Maria Gambina, Miguel Vieira e Katty Xiomara. 

+ Segundo take do Portugal Fashion acontece entre 22 e 24 de Abril

Descubra a edição desta semana, digital e gratuita, da Time Out Portugal

Participe no Time Out Index e conte-nos o que sente pela sua cidade

Últimas notícias

    Publicidade