A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Pamplinas Maquinista
Pamplinas MaquinistaPamplinas Maquinista

Sete filmes imperdíveis passados em comboios

Aproveitando a estreia de ‘Bullet Train – Comboio Bala’, eis sete filmes ambientados em comboios a não perder.

Escrito por
Eurico de Barros
Publicidade

Há muitos e bons filmes cujas histórias decorrem dentro de comboios, desde o tempo do cinema mudo até agora. Na senda da estreia de Bullet Train – Comboio Bala, com Brad Pitt, fomos escolher sete deles, a começar na genial comédia muda Pamplinas Maquinista, de Buster Keaton e Clyde Bruckman, também interpretada por Keaton, até ao terror zombie de Train to Busan, do sul-coreano Yeon Sang-ho. E há também títulos de cineastas como Alfred Hitchcock, Sidney Lumet ou Andrei Konchalovsky, nesta selecção em que os comboios, além dos intérpretes de carne e osso, também são as grandes vedetas.

Recomendado: As melhores perseguições de automóvel da história do cinema

Sete filmes imperdíveis passados em comboios

‘Pamplinas Maquinista’, de Buster Keaton e Clyde Bruckman (1926)

O melhor filme de Buster Keaton (ou Pamplinas, como era chamado em Portugal), e uma das maiores comédias da história do cinema, mudo ou falado. Keaton interpreta um maquinista Confederado que, durante a Guerra Civil americana, tem que recuperar a sua bem-amada locomotiva, e a sua bem-amada namorada, das mãos dos espiões nortistas que as levaram. O génio cómico de Keaton expressa-se atrás e à frente das câmaras, na concepção, execução física e filmagem dos gags, neste filme tão assombrosamente preciso como o melhor dos relógios suíços, e a recriação de época é também notável.

‘Desaparecida!’, de Alfred Hitchcock (1938)

Uma rica jovem inglesa e um musicólogo seu compatriota, que viajam num comboio através de um país europeu fictício e autoritário, dão pela falta de uma idosa, também inglesa, que seguia com eles, e envolvem-se numa intriga de espionagem. Rodado num enorme cenário nos Estúdios Gainsborough em Londres, Hitchcock faz maravilhas de suspense com o mecanismo do enredo e no espaço limitado do comboio. Com Margaret Lockwood, Michael Redgrave, May Whitty e o impagável duo formado por Naunton Wayne e Basil Radford, obcecados em chegarem a Inglaterra a tempo de verem um importante jogo de cricket.

Publicidade

‘O Expresso de Von Ryan’, de Mark Robson (1965)

Eis um formidável filme de comboios, de guerra e de suspense, passado durante a II Guerra Mundial, e que tem também um dos melhores papéis de Frank Sinatra no cinema. Ele interpreta o Ryan do título, um piloto da Força Aérea dos EUA, abatido sobre a Itália, e que consegue apoderar-se de um comboio alemão que transporta prisioneiros de guerra aliados, com a intenção de o levar para a Suíça. Trevor Howard e Raffaella Carrà também estão no elenco desta empolgantíssima fita realizada por Mark Robson, que tem um final completamente inesperado.

‘Um Crime no Expresso do Oriente’, de Sidney Lumet (1974)

O mais lendário assassínio colectivo em huis clos ferroviário da história da literatura policial, congeminado por Agatha Christie, é aqui magnificamente adaptado por Sidney Lumet, com Albert Finney no papel de Hercule Poirot, e com a participação de uma vasta galeria de grandes actores, de Sean Connery a Sir John Gielgud, passando por Ingrid Bergman e Lauren Bacall – sem esquecer o luxuoso o romântico Expresso do Oriente (os interiores foram detalhadamente recriados no Estúdios de Elstree) em que se passa a acção, do crime à sua brilhante resolução.

Publicidade

‘Comboio em Fuga’, de Andrei Konchalovsky (1985)

Este filme baseado em factos reais era um projecto de Akira Kurosawa, autor do argumento original, nos anos 60, que falhou e foi parar às mãos de Andrei Konchalovsky duas décadas mais tarde. Jon Voight e Eric Rogers são dois condenados que fogem de uma prisão no Alasca e roubam um comboio vazio. Mas o velho maquinista que o conduzia morre com um ataque cardíaco, e a dupla vê-se, ironicamente, presa num comboio lançado a grande velocidade, sem travões e apenas acompanhados por uma trabalhadora da companhia de caminhos de ferro (Rebecca de Mornay).

‘Antes do Amanhecer’, de Richard Linklater (1995)

Jesse, um turista americano (Ethan Hawke), e Celine, uma estudante francesa (Julie Delpy), encontram-se no comboio que vai de Budapeste a Viena, onde acabam por passar uma noite juntos, a passear e conversar. Será que se irão separar, ou ficar juntos? Este primeiro filme de uma trilogia assenta todo ele nos diálogos entre as duas personagens principais e nas interpretações de Hawke e Delpy, que tornam verosímil, realista e envolvente a relação amorosa que se vai desenhando entre Jesse e Celine à medida que o comboio avança. Linklater e a sua co-argumentista Kim Krizan basearam o filme em situações semelhantes que ambos viveram, ele nos EUA e ela na Europa.

Publicidade

‘Train to Busan’, de Yeon Sang-ho (2016)

Um dos melhores filmes de zombies de sempre, passado num comboio de alta velocidade sul-coreano, que vai da capital, Seul, até Pusan, e onde viajam um homem e a sua filha pequena. Um vírus causa a eclosão de uma praga que transforma as pessoas em zombies, e também atingiu alguns dos passageiros do comboio, que não pode parar porque a epidemia se está a espalhar rapidamente pelo país. Os passageiros vão ter que lutar contra os mortos-vivos ávidos de carne humana e sedentos de sangue, que são cada vez mais no interior do comboio, e também entre eles. Yeon Sang-ho assina aqui um filme de terror apocalíptico fulgurante, frenético e positivamente taquicárdico

Clássicos do cinema

Os 100 melhores filmes clássicos
  • Filmes

Comédias e westerns, policiais e melodramas, ficção científica e fantástico, sem esquecer o musical, há de tudo nesta lista preenchida com 100 dos melhores filmes clássicos. Nela encontramos obras de alguns dos melhores realizadores da história do cinema, como Buster Keaton, Fritz Lang, Ingmar Bergman, John Ford, Howard Hawks, Federico Fellini, François Truffaut, Jean-Luc Godard, Luchino Visconti ou Martin Scorsese, entre muitos outros.

Os 100 melhores filmes de terror de sempre
  • Filmes

Escolher os melhores filmes de terror de todos os tempos é assustador, a todos os níveis. Sobretudo tendo em conta a atenção e adulação crítica que o género tem recebido em anos recentes. Por isso, quando chegou a altura de eleger os filmes mais assustadores de sempre, além dos críticos da Time Out, consultámos alguns especialistas e amantes do género. O resultado é uma lista variada e que inclui, inevitavelmente, algumas escolhas polémicas.

Publicidade
Os 100 melhores filmes de ficção científica de sempre
  • Filmes

O potencial cinematográfico (e não só) da ficção científica é quase infinito. É nestes filmes que os nossos maiores pesadelos podem tornar-se realidade e os nossos sonhos concretizar-se, ao mesmo tempo que é dito e posto em causa algo sobre o nosso presente. E o género sempre fez as delícias do público, desde o tempo dos efeitos especiais básicos e rudimentares dos filmes mudos ao excesso digital dos blockbusters contemporâneos. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade