A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Ilha Terceira
DR

Queijos Milhafre, sabores de outra natureza

Porque aqui os gueixos não comem lavagens, enquanto abanam o rabixel bagoucho, e daí o queijo poderios saboroso. Entendeu? Mais ou menos, sabemos. Mas relaxe, vai ser assim daqui por diante. Brassads, chegámos à terra das vacas, fajãs e do queijo Milhafre.

Time Out em associação com Milhafre
Publicidade

Xis horas em Portugal Continental, menos uma nos Açores. Durante anos e anos que ouvimos esta lengalenga. Um dia, resolvemos recuar no tempo. Uma hora, vá. E o relógio como que parou. É magia? Melhor ainda, é Açores. Nove ilhas deslumbrantes, com uma facilidade encantadora de nos envolver através de um número infinito de circunstâncias como pessoas, paisagens verde-vivo, fajãs, vinhos, recantos, cracas, piscinas naturais, queijos, cascatas, burros anões, boinas, vulcões, lagoas e, again, pessoas.

Aqui respira-se outro ar, mais saudável, mais libertador. A palavra certa é essa: liberdade. Se um dia nos Açores nos liberta, imagine vários e variados. Nem queira saber. Ou talvez queira. Quer mesmo? Nós já conhecemos essa sensação e queremos contagiá-lo a si, caro leitor, com os encantos e sabores desta outra natureza.

Ir aos Açores e não experimentar os pratos típicos, é como ir à praia e não dar um mergulho. Comece pelo bolo lêvedo — com recheio de fiambre, misto ou o originalíssimo “bolo lêvedo com molho de panqueca”, um bolo lêvedo quente com maple syrup —, recarregue as energias (e o estômago) com o mítico cozido das furnas e delicie-se com as fofas, umas verdadeiras bombas calóricas com uma massa parecida à do éclair, um recheio de baunilha e um fio de chocolate por cima, ou as deliciosas queijadas da Graciosa. E não se vai embora da Ilha Terceira sem provar uma alcatra, pois não? É o prato típico da ilha e uma refeição obrigatória para toda a gente que pisa o solo terceirense.

Graciosa
DR

E se, com tanto mar, achava que nos Açores só se comia maioritariamente peixe, é porque na visita ao arquipélago lhe escapou um pormenor importante: os açorianos vivem em terra e essa terra tem vacas para onde quer que se olhe. É essa a origem dos produtos de qualidade que dali saem, com sabores pronunciados, intensos e genuínos. É também daí que vem a excelência dos produtos lácteos dos Açores - algo que a MILHAFRE sabe há muito.

Falamos-lhe do verdadeiro queijo açoriano, em fatias cremosas e que pode ser consumido a qualquer momento, enquanto sobe o Pico, por exemplo, ou entre mergulhos na Caldeira Velha. Mas também lhe falamos do queijo da Terceira, com cremosidade de excelência e sabor apurado, ideal para as inúmeras festas populares na ilha, desde as sanjoaninas até às do Divino Espírito Santo, com cortejos e marchas populares. E falamos-lhe ainda do queijo da Graciosa com três meses de cura, pasta firme, textura marmoreada única e sabor pronunciado, que cairá que nem ginjas num piquenique nas bonitas Termas do Carrapacho ou num passeio até à Furna do Enxofre.

Os três vão bem com um copo de vinho em qualquer lugar do continente e ilhas, mas já que o assunto é Açores, peça uma garrafa de Magma, um branco da Terceira (ilha com tradição vitivinícola, mas uma história atribulada devido à filoxera), que é muito mais do que uma curiosidade insular.

Voltando à mesa, fique a saber que, além dos queijos, também o polvo ou a morcela, por exemplo, têm um sabor diferente, de outra categoria. Dizem que através do paladar também se viaja e só alguém muito insensível o pode negar. Calce as "snicas", leve umas "sueras", e embarque neste convite à descoberta de um arquipélago com gente da terra e sabores desta outra natureza. E, caso a agenda ou carteira o impossibilitem de viajar agora, não há problema. Sente-se confortável enquanto aprecia o seu queijinho. Uma coisa é certa, ambos os caminhos vão lá dar.

Queijos Milhafre, sabores de outra natureza

Queijo curado de vaca da Ilha Terceira
Milhafre

Queijo curado de vaca da Ilha Terceira

Com a pasta macia, cremosidade de excelência e sabor apurado. Foi distinguido em 2018 como o Melhor Queijo de Vaca Cura Normal, no “Concurso Queijos de Portugal”, da ANIL – Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios, no âmbito do evento Grandes Escolhas Vinhos & Sabores.

 

Queijo curado de vaca da Ilha Graciosa
Milhafre

Queijo curado de vaca da Ilha Graciosa

Com três meses de cura e pasta firme, apresenta uma textura marmoreada única e um sabor pronunciado e afirmado. Ideal como aperitivo ou sobremesa, numa tábua de queijos, deve ser servido em cubos ou em fatias generosas.

 

Publicidade
Queijo açoriano fatias de textura cremosa
Milhafre

Queijo açoriano fatias de textura cremosa

Todo o sabor do verdadeiro queijo açoriano. Embalado já em fatias cremosas permite o seu consumo em qualquer momento, seja ao pequeno almoço ou ao lanche, sozinho, no pão ou com fruta.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade