A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Loja Honesta da Casa Agrícola da Levada
©DRLoja Honesta da Casa Agrícola da Levada

Escapadinha: as melhores coisas para fazer em Vila Real

Se procura um destino para a sua escapadinha de fim-de-semana, acabou de o encontrar. Aqui tem melhores coisas para fazer em Vila Real.

Escrito por
Editores da Time Out Porto
Publicidade

Demora-se pouco mais de uma hora para lá chegar. Uma distância que se faz sem pressas, apreciando o caminho que parece voar através da janela do carro. No coração de Trás-os-Montes, Vila Real espera-nos com o melhor que tem para oferecer: uma gastronomia de lamber os dedos, uma natureza verdejante, um património arquitectónico rico, espaços de diversão e alojamentos catitas com camas confortáveis, onde o descanso é palavra de ordem depois de tanta azáfama. Se procura um destino para a sua escapadinha de fim-de-semana, acabou de o encontrar. Aqui tem melhores coisas para fazer em Vila Real.

Recomendado: As melhores quintas e hotéis com programas de enoturismos no Douro

Escapadinha: as melhores coisas para fazer em Vila Real

Explorar
©DR

Explorar

Quem vai a Vila Real tem de visitar, obrigatoriamente, a Casa de Mateus (Largo Morgados de Mateus, Mateus. 259 323 121). Construída no século XVIII, é uma espécie de Versalhes à portuguesa e vai consolar as vistas a qualquer um. Ocupa um terreno grandioso e tem bonitos jardins, perfeitos para fotografias. Foi também o local onde nasceu o Mateus Rosé. Hoje já não se produz aqui, mas a fotografia da casa continua no rótulo do vinho. Há muitas outras histórias e curiosidades para descobrir, por isso, o melhor mesmo é reservar uma visita guiada. Fica a dica. Já os apreciadores de natureza vão gostar de uma caminhada pelo Parque Natural do Alvão, onde existem vários percursos pedestres que o levam a descobrir diferentes espécies de plantas e rochas e a conhecer locais com vistas deslumbrantes. Existem ainda várias linhas de água neste parque. A mais famosa é o rio Olo, e graças à queda de água das Fisgas do Ermelo tem aqui um bom sítio para ir a banhos. 

Comer
©DR

Comer

É do conhecimento geral que em Trás-os-Montes se come bem em qualquer parte. Se ainda assim tiver dúvidas onde lanchar, entre na Loja do Covilhete (Rua António de Azevedo, 60. 259 043 776). Um covilhete é um salgado tradicional parecido com uma empada, feito com massa folhada e recheado de carne de vitela maronesa, e é nos dias de hoje um verdadeiro ícone da gastronomia vila-realense. Nesta loja vendem-se também pitos de Santa Luzia e cristas de galo, ambos doces conventuais, tradicionais da cidade, com origem no extinto Convento de Santa Clara. O espaço conta ainda com um restaurante que serve pratos como covilhetes com arroz de forno e esparregado, naco de vitela maronesa e secretos de porco bísaro. Para algo completamente diferente, reserve uma mesa no Cais da Villa (Rua Monsenhor Jerónimo do Amaral. 259 351 209). Têm menus de degustação com harmonização de vinhos, mas também muita coisa boa à la carte, como por exemplo, carpaccio maronês com queijo terrincho, folhas verdes e amêndoas tostadas; cabrito transmontano corado com alecrim ou cataplana de bacalhau com grão de bico, couve e ovo. 

Publicidade
Comprar
Fotografia: Manuel Manso

Comprar

Saque do porta-moedas e passe no Mercado da Bila (Rua Santa Iria, 68. 96 685 4668), uma mercearia moderna com produtos tradicionais. Têm uma boa garrafeira, com vinhos de diferentes partes do país, enchidos, queijos, conservas, azeites, mel, chás e muitos outros produtos típicos de Trás-os-Montes. Se quiser renovar o guarda-roupa, a Porta 16 – Concept Store (Avenida do Regimento de Infantaria, 13. 93 448 0064) pode ajudá-lo. Fica no centro histórico, e além de vestuário também tem decoração, cerâmica, joalharia e calçado de várias marcas.

Dançar
©DR

Dançar

Se lhe apetece percorrer a movida transmontana antes de seguir para o vale de lençóis, anote estes dois espaços na sua lista: Feel Club (rua Poeta Alberto Miranda, Lote2) e BClub (rua D. Pedro Castro Loja 6). Bons para gastar a pista com os seus moves de dança mais ousados, prometem animação até ao sol raiar. Um aposta em dj’s residentes e convidados e o outro em festas temáticas, que relembram velhos tempos com a ajuda de hits musicais, bailarinas, mascotes e ofertas de brindes. Uma festa.

Publicidade
Dormir
©DR

Dormir

Para um merecido descanso, a Casa Agrícola da Levada (Casa Agrícola da Levada, 5000; 259 322 190; quartos a partir de 95€/noite) pode ser uma boa opção. Este ecoturismo instalado nas margens do rio Corgo, com sete hectares que se dividem entre floresta, rio, jardins em patamares, vinha, piscina, pomar e hortas, disponibiliza bicicletas para poder explorar a propriedade. Por lá também se encontra a Casa Senhorial, onde ficam os quartos em modo B&B para arrendar, e a antiga aldeia de casas de granito do século XVII, que foram renovadas e transformadas em habitações com diferentes tipologias, com kitchenette e espaço exterior com grelhador. A sustentabilidade é uma prioridade, por isso, há painéis solares, aproveitamento da água das chuvas e o cultivo consciente da horta e do pomar, cujos produtos pode comprar na loja honesta instalada no espaço. Outro alojamento onde vai poder estar em comunhão com a natureza é a Quinta do Vale da Ermida (na foto; Largo de Santa Comba de Ermida; 96 175 0040; quartos a partir de 450€/noite). Para ser reservada em exclusividade, tem seis quartos e é ideal para grupos de amigos ou famílias que procuram uma escapadinha. A partir da quinta os hóspedes beneficiam de um acesso privado ao rio Corgo e à piscina. Aquando da reconstrução da propriedade, os responsáveis fizeram questão de manter algumas estruturas originais, como os lagares, as janelas e até o forno da casa antiga.

Mais escapadinhas

  • Coisas para fazer

Não se faça desentendido. Sabemos bem que veio até aqui por uma boa razão: a comida desta terra. Dona de uma rica gastronomia, Lamego é uma cidade com muitos predicados ao nível culinário. Das famosas bolas de carne, passando pelos enchidos de porco, pelos pratos de cabrito assado, e pela vasta doçaria, onde figuram os biscoitos Lamegos e tartes com o mesmo nome que carregam doses astronómicas de amêndoa, ovos e açúcar. Como vê, é impossível não ceder à tentação em cada esquina. Depois das tainadas que por aqui certamente fará, aproveite para visitar o património local, beber um bom vinho à sua saúde e encher a mala do carro com artesanato típico e bons produtos da região, dos queijos aos enchidos.

Recomendado: Escapadinha: as melhores coisas para fazer em Resende

  • Coisas para fazer

A cerca de uma hora e meia do Porto, Resende é o local ideal para uma escapadinha de fim-de-semana. Tem boa comida — dos pratos tradicionais, como o anho assado, às doces e muito gulosas cavacas feitas por mãos experientes — e bonitos passeios para fazer pela rota das cerejeiras em flor (se for tempo delas) ou, então, pela rota do Românico, rica em património. Mas há muito mais para ver e fazer por aqui. Visite quintas cheias de fruta e vinho e relembre artes quase esquecidas, como a Olaria Negra. Descubra aqui as melhores coisas para fazer em Resende para um fim-de-semana memorável. Não tem de quê. 

Recomendado: As melhores coisas para fazer no Douro

Publicidade
  • Restaurantes

Cabrito assado no forno a lenha, bochechas de porco bísaro, saladas de tomate coração de boi (quando é tempo dele), arroz de salpicão ou arroz de costela à lavrador, alheiras reinterpretadas à luz das novas tendências, tortas de laranja ou tartes de cereja de Resende. Do restaurante mais tradicional, onde se faz o mesmo prato da mesma forma há mais de 30 anos, ao espaço mais vanguardista, comandado por chefs com estrelas Michelin no currículo, a gastronomia duriense é rica e bem tratada. Andámos pela região vinhateira a meter a colher nos pratos dos melhores restaurantes, porque tão importante quanto os vinhos que aqui se fazem é a comida que os acompanha.

Recomendado: As melhores quintas e hotéis com programas de enoturismo no Douro

  • Hotéis

Adoramos a nossa cidade do fundo do coração mas, às vezes, quando a rotina começa a incomodar, sabe mesmo bem mudar de ares, apenas para recuperar energias e voltar pronto a vivê-la novamente como merece. Com isto em mente, seleccionámos 14 hotéis a uma hora e meia do Porto. Braga, Aveiro, Viseu, Coimbra e Guimarães são alguns dos nossos destinos, onde a palavra de ordem é descansar. Em quartos com vista para o Douro, em casas nas árvores ou em tendas de luxo, a escolha é sua. Uma vez feita, faça-se à estrada.

Recomendado: Os melhores hotéis vínicos do país

Publicidade
  • Hotéis

Fevereiro é o mês mais propício a escapadinhas românticas, mas todos os dias do ano são bons para levar a sua cara-metade a passear – e melhores ainda para experimentar uma nova cama king size ou ver as vistas à mesa do restaurante do hotel. Para não deixar nada ao acaso, fomos à procura de hotéis românticos em Portugal e encontrámos várias propostas nos destinos mais encantadores do país. Conhecidas ou à espera de serem descobertas, há propostas para todos os casais, desde o ecológico Areias do Seixo até ao melhor hotel resort da Europa.

Recomendado: Os melhores motéis no Porto

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade