A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Filme, Cinema, A Viagem de Chihiro (2001)
Foto: Studio Ghibli A Viagem de Chihiro (2001)

Os filmes de animação na Netflix que não pode perder

Para miúdos e graúdos, estes são dos melhores filmes de animação na Netflix.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Há muitos filmes para crianças na Netflix, mas o cinema de animação não é apenas para os miúdos. É, aliás, um dos géneros mais populares em todo o mundo, onde trabalham algumas das mentes mais criativas e onde a inspiração cómica, um registo habitual, é muitas vezes genial. Apesar de haver carências óbvias no catálogo da Netflix em Portugal, a selecção destaca-se pela positiva. Estão lá muitos filmes da Dreamworks (mas nenhum da Disney) que vão fazer a delícia dos petizes, algumas produções independentes e uma selecção de filmes de animação japoneses, incluindo o clássico Akira, de Katsuhiro Otomo, e todas as obras do Studio Ghibli.

Recomendado: Os piores e os melhores filmes da Disney

Os filmes de animação que não pode perder na Netflix:

1. Akira (1988)

O mais celebrado anime produzido fora dos Estúdios Ghibli começa com uma aparente explosão nuclear, em Tóquio, termina com um Big Bang e pouco deixa para o meio do enredo. Enredo, aliás, demasiado elaborado e complexo para ser aqui resumido, o que não impede de referir que nele se incluem gangues de motociclistas e mutantes à solta por um Japão pós-apocalíptico. É um filme ilustrativo das consequências que experiências militares sem controlo podem provocar na humanidade, mantendo-se ao mesmo tempo assustador e plausível mesmo nos seus mais desembestados momentos.

2. O Túmulo dos Pirilampos (1988)

Baseado numa obra parcialmente autobiográfica do escritor Akiyuki Nosaka, e também em recordações da juventude do próprio Isao Takahata, O Túmulo dos Pirilampos foi o seu filme de estreia como realizador no Studio Ghibli. É a história de um adolescente e da sua irmã mais nova, que tentam sobreviver no Japão devastado pelos bombardeamentos americanos em finais da Segunda Guerra Mundial.

Publicidade

3. A Viagem de Chihiro (2001)

Distinguida com o Urso de Ouro no Festival de Berlim e com o Óscar de Melhor Filme de Animação, esta produção do Studio Ghibli, assinada pelo mestre japonês Hayao Miyazaki, é uma referência do cinema de animação e de fantasia. Conta a história de uma rapariga de dez anos, sozinha num mundo estranho, tão influenciado pelo folclore japonês como pelo terror ecológico contemporâneo.

4. Madagáscar (2005)

Os animais do jardim zoológico de Central Park são bem tratados e levam uma vida boa, dentro dos possíveis. Porém, os bichos não foram feitos para viver em cativeiro e, certo dia, um grupo foge do zoo e vai parar a Madagáscar. O que não se revela tão bom como estavam à espera, neste filme de Eric Darnell e Tom McGrath, com um elenco vocal de luxo que, na versão original, inclui Ben Stiller, Chris Rock, Sacha Baron Cohen ou Andy Richter. Em Portugal também não nos podemos queixar: temos Bruno Nogueira e os Gato Fedorento. As continuações também se encontram na Netflix.

Publicidade

5. A Casa Fantasma (2006)

Se uma casa assombrada costuma ser o cenário predilecto para filmes de terror, o mesmo não se passa no cinema de animação. Realizado por Gil Kenan e escrito por Dan Harmon, Rob Schrab e Pamela Pettler, o filme fala de três amigos que empreendem um plano para tentar combater a criatura sobrenatural que habita a casa do senhor Nebbercracker. Mitchel Musso, Spencer Locke e Sam Lerner dão vida ao trio aventureiro.

6. A História de Uma Abelha (2007)

Barry Bee Benson não é uma abelha qualquer. Além de ser obra de Jerry Seinfeld (na versão portuguesa, a voz é de Nuno Markl), é especialista em espalhar “zunzuns” e recusa-se a aceitar as limitações sobre o que uma abelha pode ou não fazer. Quando termina os estudos, Barry não aceita que a produção de mel seja a única opção para o seu futuro. Tendo-se aventurado fora da colmeia, a vida de Barry é salva por Vanessa, uma florista de Nova Iorque.

Publicidade

7. O Panda do Kung Fu (2008)

Porque a vida também é feita de animais fofinhos, lutas muito vagamente orientais e piadas em rajada. Dentro do género, o filme de Mark Osborne e John Stevenson continua a ser imbatível. A história é de um panda gordo e preguiçoso, Po, que por um daqueles acasos do destino e das comédias de animação se vê no lugar de um mestre do Kung Fu, o grande Dragão Guerreiro, e fica com o futuro de uma comunidade inteira nas suas patas. Seria para um público mais adulto um prazer culpado se não fosse tudo tão divertido. O Netflix tem também disponível a continuação, mas o original é o melhor.

8. Como Treinares o Teu Dragão (2010)

Sendo filho de um líder viking, o tímido Hiccup Horrendous Haddock III enfrenta um rito de passagem: tem de matar um dragão para provar a coragem como guerreiro. Realizado por Dean DeBlois (Mulan e Atlântida: O Continente Perdido) e Chris Sanders, a história é livremente inspirada na literatura fantástica de Cressida Cowell e já vai no terceiro filme. O original, estreado em 2010, foi nomeado para Óscar de Melhor Filme de Animação e de Melhor Banda Sonora e venceu dez prémios Annie (criado pela divisão de Los Angeles da Associação Internacional de Filmes de Animação), incluindo o de Melhor Filme de Animação.

Publicidade

9. A Origem dos Guardiões (2012)

Quando o espírito maligno Pitch lança um ataque à Terra, os Guardiões – compostos pelo Pai Natal, o Coelho da Páscoa, a Fada dos Dentes e outros ilustres do imaginário colectivo – unem-se para proteger a inocência das crianças por todo o mundo. Chris Pine, Alec Baldwin, Jude Law, Hugh Jackman ou Isla Fisher são alguns dos actores que emprestam a voz às personagens desta produção da Dreamworks nomeada para Melhor Filme de Animação nos Globos de Ouro norte-americanos.

10. A Ganha-Pão (2017)

Realizado por Nora Twomey e produzido por Angelina Jolie, este filme baseado na trilogia literária infanto-juvenil de Deborah Ellis conta a história de Parvana. Uma corajosa menina afegã de 11 anos, que, quando o pai é preso, se disfarça de rapaz e aceita trabalhos estranhos para sustentar a sua família. Nomeado para Melhor Animação nos Óscares e nos Globos de Ouro de 2018 e premiado em vários festivais de cinema, o filme conta com Saara Chaudry, Soma Bhatia e Ali Badshah no elenco original.

Publicidade

11. Klaus: A Origem do Pai Natal (2019)

A primeira longa-metragem de animação original da Netflix é uma fábula que pretende reimaginar a origem do Pai Natal. O filme foi realizado pelo espanhol Sergio Pablos (Gru – O Maldisposto), com Carlos Martínez López, a partir de um argumento de Jim Mahoney e Zach Lewis, e tem nomes como Jason Schwartzman, Rashida Jones ou J.K. Simmons no elenco. Em Portugal, são César Mourão, Mia Rose e Luís Mascarenhas que fazem as principais vozes – mas o bom da Netflix é que quem quiser pode antes ouvir a versão original.

Mais para ver na Netflix:

  • Filmes

As minisséries têm vantagens relativamente às séries e aos filmes. Por um lado, não se arrastam demasiado (como um certo drama médico), por outro, permitem desenvolver melhor a história e os personagens. Se não tem paciência para um sem fim de temporadas, mas apetece-lhe fazer uma maratona ao fim-de-semana (ou, por que não, apenas num dia), há pelo menos seis minisséries na Netflix que vale a pena ver. Adaptações de livros ou narrativas inspiradas em casos reais, mistérios policiais ou dramas, há propostas para todos os gostos. Só tem de escolher.

Recomendado: As melhores séries para ver na Netflix

  • Filmes

Começou timidamente em Portugal, com uma mão cheia de bons conteúdos e algumas apostas menos conseguidas. Com o passar dos anos, ganhou terreno, fez muitos de nós trocar as noitadas na rua pelas noites no sofá e na cama, e é difícil imaginar a vida sem saber que a temos ali. Filmes, séries, documentários, docusséries, há muito material para ver e fazer verdadeiras maratonas visuais sem sair de casa (e mesmo se o quiser fazer, é só levá-la no telefone). Junte-se à febre do streaming e conheça as melhores séries para ver na Netflix.

Recomendado: As 25 melhores séries de comédia

Publicidade
  • Filmes
  • Documentários

Nem só de grandes séries se faz a gigante do streaming. Os documentários são, nos últimos anos, outras das razões do sucesso da Netflix e parecem despertar cada vez mais atenção; pelo factor humano, pela curiosidade, porque as grandes histórias precisam sempre de ser contadas, mas nem sempre precisamos de um filme ou, lá está, de uma série. A crueza da realidade é muitas vezes a receita necessária ao sucesso, e o registo documental é o epicentro desse olhar. Estes são os 15 documentários na Netflix que tem mesmo de ver.

Recomendado: Três documentários sobre sustentabilidade para ver em casa

  • Filmes

Vamos à parte honesta: a adolescência é um interminável conjunto de situações estranhas, experiências novas, inesperadas, castigos sociais, dores de crescimento, paixões não correspondidas (ou sim). É também um poço sem fundo para todo o tipo de urgências, porque tudo é hoje, porque crescer é a única coisa que interessa, porque a idade adulta parece incrível. E como é que se retrata tudo o que cabe na psique de um teenager? Não há uma resposta empírica. O que há, são tentativas infindáveis, ao longo de décadas, em traduzi-las no ecrã para que tudo pareça um bocadinho mais simples. E a Netflix tem no seu catálogo alguns dos títulos que vão resumindo – mal ou bem – aqueles anos. Eis dez filmes de adolescentes para ver na Netflix.

Recomendado: Filmes baseados em livros para ver na Netflix

 

Publicidade
  • Filmes

Se pensou em Harry Potter ou em O Senhor dos Anéis, tire o cavalinho da chuva, porque fomos à procura de títulos menos óbvios. Desde o clássico Boneca de Luxo (1961) ao recente A Sua Última Vontade (2020), apostamos em como não fazia ideia que alguns destes títulos são adaptações de livros e até de livros sobre histórias verídicas, como a de um jovem abandonado na adolescência que se viria a tornar uma estrela do futebol. Curioso? Só tem de se fechar em casa a conferir se “o livro é melhor que o filme”. Se ainda não leu os livros, bem, o melhor é começar agora.

Recomendado: Filmes originais Netflix que tem de ver

  • Filmes

A história do cinema de terror já vai longa. Desde o início do século XX que inúmeros realizadores expandem e redefinem os limites do género. Esta amplitude referencial e estética está bem patente na nossa lista dos 100 melhores filmes de terror de sempre. Já a oferta de filmes de terror na Netflix é muito limitada, mas encontram-se lá clássicos absolutos como A Semente do Diabo (1968, na foto), de Roman Polanski, ou Shining (1980), de Stanley Kubrick. E uns quantos filmes mais recentes, com destaque para Um Lugar Silencioso (2018), de John John Krasinski.

Recomendado: Férias de terror em oito filmes

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade