A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Sushi
©DRSushi

Os melhores restaurantes asiáticos no Porto

Do Japão à China, passando pela Índia e por Taiwan, não falta comida oriental para provar na cidade. Estes são os melhores restaurantes asiáticos no Porto.

Escrito por
Editores da Time Out Porto
Publicidade

Há muito que a gastronomia asiática se instalou na cidade, mas desengane-se quem pensa que esta se resume a sushi e a sashimi. Do ramen ao okonomiyaki, duas especialidades japonesas, passando pelo o caril e pelas chamuças indianas, picantes q.b., até à comida típica da China ou de Taiwan, aqui tem uma lista com os melhores restaurantes asiáticos no Porto, onde vai encontrar estes pratos e muitos outros. Agora que já sabe onde moram, aperte o cinto e viaje até outras latitudes. Bom apetite.

Recomendado: As melhores mercearias e supermercados do mundo no Porto

Os melhores restaurantes asiáticos no Porto

  • Restaurantes
  • Baixa

Aberto apenas ao jantar, tem entrada pelo número 144 da Rua do Comércio do Porto. Assim que atravessamos a porta, uma escadaria em pedra encaminha-nos para o Izakaya, uma espécie de bar japonês, onde às quintas, sextas e sábados um DJ anima o ambiente até às duas da manhã. Mesmo ao lado, aparece o Sushi Bar, onde atrás de um balcão com lugar para seis pessoas e vitrinas cheias de peixe fresco trabalham afincadamente os sushimen; e também a Wine Cellar, uma sala mais recatada onde guardam uma garrafeira com mais de 112 referências de vinho. Mas falemos da boa comida que aqui se prepara. Nas entradas vai encontrar opções como o ceviche de peixe branco, polvo e camarão, o tártaro de salmão, vieira e camarão, o bao de barriga de porco ou as guiozas de Wagyu.

Depois, temakis, nigiris, uramakis, hossomaki, sashimi e muitas tempuras recheiam uma carta de infinitas possibilidades. Tudo para ser acompanhado por cocktails clássicos ou outros mais arrojados, de autor. Remate a refeição com uma fatia de cheesecake de tofu com calda de frutos vermelhos; com os mochis de maracujá, chocolate, avelã ou morango ou com um pudim de matcha.

 

  • Compras
  • Cedofeita

Num espaço mais próximo de um ateliê culinário do que de uma cozinha de restaurante, a chef, que em tempos preparava os menus do Namban Oporto Kitchen — primeiro nas Galerias Lumière e, depois, na Rua dos Bragas —, apresenta agora no Musubu, nas traseiras da Coração Alecrim, as omusubi, bolas de arroz japonesas, geralmente em forma de triângulo, e outras iguarias sazonais a acompanhá-las. Numa apresentação cuidada, privilegiando a slow foodHá sempre oito omusubi disponíveis na carta, além das anunciadas no menu do dia (entre os 3,50€ e os 4,50€). Podem ser temperadas apenas com um toque de sal de Tavira ou ser recheadas com umeboshi, a ameixa japonesa curtida em sal, o recheio mais típico. Para acompanhar, há sempre uma sopa, uma salada e os doces do dia, como o guloso zenzai de feijão mung e leite de coco com shiratama mochi de canela, gelado de matcha e pedaços de banana da Madeira (8,50€).

Publicidade
  • Restaurantes
  • Pan-asiático
  • Baixa
  • preço 2 de 4

Com mais de 100 lugares, o novo restaurante asiático da cidade é uma verdadeira viagem gastronómica a países como Tailândia, Vietname, Japão e China. As chamuças vegetarianas com chutney de coentros e hortelã, recheadas com banana pão e temperadas à base de especiarias indianas, são apenas um dos pratos que tem de provar (7,50€). Ah, e é obrigatório mergulhá-las no molho picante de menta e coentros.

  • 4/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Japonês
  • Baixa
  • preço 2 de 4

No Gion, que abriu na Baixa em Fevereiro, as raízes da cozinha japonesa foram preservadas. Peça a panqueca okonomiaki, que Ricardo Capitão, crítico da Time Out, descreveu como "bem servida de camarão e polvo, com alface e lascas de bonito, que se agitam no prato em contacto com o calor". Atire-se ainda às sobremesas que valem muito a pena.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Japonês
  • Aliados
  • preço 2 de 4

O RO, projecto dos chefs João Pupo Lameiras e Francisco Bonneville, já é um verdadeiro sucesso. E se havia quem achasse que o Porto ainda não estava preparado para um restaurante assim, a fama que ganhou prova o contrário. O nome (Ramen e Outros) não deixa margem para dúvidas: é o ramen a estrela da casa – há várias versões na carta e uma diferente todos os dias –, mas os “Outros” também têm um lugar ao sol. Aqui pode provar okonomiyaki, uma espécie de panqueca japonesa, e domburis, taças de arroz com toppings.

  • Restaurantes
  • Japonês
  • Batalha

A Ruy Leão devemos a abertura da primeira tasca japonesa da cidade, onde o sushi é tradicional e o peixe fresco – atum, salmão, corvina, garoupa, carapau, cavala, sardinha e salmonete – brilha mais que qualquer peça com morango e queijo creme. Mas o universo da comida japonesa que sai da cozinha do Shiko vai muito além do sushi: a cavala marinada com molho de miso e alho, e o tataki de salmão flamejado também são pratos obrigatórios.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Indiano
  • Porto
  • preço 2 de 4

São muito poucos os restaurantes a funcionar há 20 anos na cidade. Mas o Mendi tem esse mérito. E deve-o a Kamal Rajani, o dono, e a Tej Ram, o chef desde a abertura. A carta é longa, por isso siga as nossas dicas: onion bhaji, cebola frita ralada; murg malai kababcubos de frango marinados em queijo fresco caseiro e grelhados no tandoor; murg makhanicaril de frango cozinhado em manteiga, natas e tomate; e dal makhani, um prato vegetariano (um dos pontos fortes da carta) com lentilhas.

  • Restaurantes
  • Japonês
  • Campo Alegre
  • preço 4 de 4

No Ikeda não há fritos nem combinados de 50 peças, mas há espetada de vieiras com ameixa japonesa, tártaros, ramen, sashimi, makis e muito mais. Para acompanhar, não deixe de provar uma das 37 variedades de sakê da carta, a sangria de vinagre balsâmico (sim, leu bem) e os cocktails Wasabi Lover, uma bebida inspirada na caipirinha mas feita com pasta de wasabi e coulis de morango, ou o Dark and Quiet, com rum, gengibre, limão e chá verde.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Indiano
  • Matosinhos

O Swaad é um restaurante especializado na comida do Sul da Índia que serve puttu, cilindros de arroz e coco ralado cozinhados a vapor (5€); dosas, panquecas fermentadas feitas com farinha de arroz e lentilhas (4,50€); e o caril de vaca Kerala (8€), típico deste estado no sul do país onde se pode comer carne bovina e de onde Rishi Jacob, o proprietário, é natural.

  • Restaurantes
  • Taiwanês
  • Cedofeita
  • preço 2 de 4

Uma das maiores tendências de street food mundial chegou ao Porto e tem sido um sucesso. No BAO'S – taiwanese burger, os baos, uns pãezinhos cozidos a vapor, são as estrelas da carta. Comece pelo o gua bao, com barriga de porco a recheá-lo e, se tiver coragem, componha o estômago com um crab bao, com tempura de caranguejo de casca mole. Para beber, peça o chá verde com jasmim e bolinhas explosivas de manga ou maracujá.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Chinês
  • preço 1 de 4

Aqui, o espaço é enorme e o vermelho predomina nos elementos decorativos onde não faltam candeeiros com motivos chineses, jarrões imponentes e armários recheados com pratos e dragões de louça. Se o cenário é bom, a carta é muito melhor. Peça um crepe chinês para começar (aqui são grandes e bem recheados). Depois, e para acompanhar o obrigatório arroz chau-chau, vá para um dos clássicos, como o porco agridoce, a galinha com amêndoas, o chop-suey de vaca ou o pato com laranja. Tudo servido em quantidades muito generosas.

  • Restaurantes
  • Chinês
  • Baixa
  • preço 1 de 4

O irmão mais velho, em Lisboa, é um verdadeiro sucesso e tem casa cheia constantemente. Por cá, a afluência é menor, mas nem por isso deixa de ser o melhor sítio da cidade para comer dim sum. Experimente os raviólis de gambas, os rolos de farinha de arroz com porco e mel, o inhame frito com recheio de carne, o kung pao e o pão chinês com galinha. Fora deste campeonato, há muitas outras especialidades de Cantão, no Sul da China. Exemplos? Cantaril agridoce, lagosta com gengibre, gambas com caju, entremeada no forno, beringela recheada com carne picada e massa de ovo frita com vaca e vegetais.

Outras gastronomias para experimentar

  • Restaurantes
  • Italiano

Quem é do Porto, ou passa por cá regularmente e gosta de bons pratos, sabe que a lista dos restaurantes de qualidade é muito vasta. Entre os melhores para se comer bem, estão os melhores para se comer bom italiano. Se não resiste a uma refeição que inclua pelo menos um dos seguintes – pizza, pasta e queijo (muito queijo) –, atente à informação a baixo, onde encontra os melhores restaurantes italianos no Porto. 

Publicidade
  • Restaurantes

Cada vez mais, a gastronomia do mundo está bem representada na cidade. Argentina, Israel, China, França, Brasil, México, EUA e Índia são alguns dos países nesta lista. Se está sempre pronto para experimentar novos pratos, provar novas bebidas e viajar sem sair do sítio, este artigo é para si. Só precisa de juntar os amigos, fazer check-in nestas mesas e mudar de ares nos 15 melhores restaurantes do mundo no Porto. Bifes, falafel, pato com laranja, foie gras, moqueca, guacamole, hambúrgueres e caril são alguns dos pratos que vai poder provar por aqui. Recomendado: Oito lugares no Porto que parecem o estrangeiro

  • Restaurantes
  • Francês

Os pratos do mundo estão cada vez mais presentes nas cartas dos restaurantes da cidade e a gastronomia francesa não é excepção. Mas não falamos só de pratos salgados, como a sopa de cebola, o croque monsieur ou o foie gras. Muitas das melhores criações da pastelaria francesa, como os croissants, os éclairs, os crepes, os profiteroles e as tarteletes dão também alegria e muita cor às montras da Invicta. Se tudo isto é música para os seus ouvidos, espreite esta lista com quatro sítios para festejar a gastronomia francesa no Porto. Recomendado: Os melhores restaurantes do mundo no Porto

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade