15 segredos que tem de saber sobre a Baixa

Shhh! Estes segredos da Baixa são só para si, aqui que mais ninguém nos ouve

©João Saramago

É a zona mais concorrida do Porto mas ainda guarda muitos segredos – senhora que se preze nunca revela tudo. A equipa Time Out andou a farejar a cidade (e alguns livros) para reunir segredos e curiosidades sobre a Baixa. Do passado e do presente, para saber e visitar.

15 segredos que tem de saber sobre a Baixa

1
O primeiro filme português foi filmado na Rua de Santa Catarina

O primeiro filme português foi filmado na Rua de Santa Catarina

Chama-se Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança e foi realizado em 1896 por Aurélio da Paz dos Reis (1862-1931; na foto), considerado o pioneiro do cinema em Portugal. O filme, rodado com o “Kinematógrafo Portuguez”, tem 55 segundos (a chamada curtíssima-metragem) e o título resume tudo o que nele se passa: a saída de um grande número de trabalhadores da fábrica supracitada, situada no número 181 da Rua de Santa Catarina. No meio da azáfama ainda se vislumbra uma charrete de passageiros puxada por dois cavalos e um carro de bois. A obra é uma réplica de La Sortie de l’Usine Lumière à Lyon (1895), dos irmãos Lumière, tido por muitos como o primeiro filme da história do cinema a ser projectado publicamente. Quem ainda não conhecer esta primeira investida de Aurélio da Paz dos Reis pode vê-la no site da Cinemateca Portuguesa e no YouTube.

2

Os ovos mais famosos do Belcanto vendem-se no Cantinho do Avillez

Caso o leitor se considere aquilo a que agora se convencionou chamar de foodie – isto é, um apaixonado por gastronomia – sabe com certeza que o Belcanto é o restaurante com duas estrelas Michelin de José Avillez. O que talvez não saiba é que os Ovos à Professor (ovos com chouriço) eram uma das receitas mais famosas da casa. Não estavam na ementa, mas eram feitos pelo médico José Cid dos Santos (1907-1975) na cozinha do Belcanto, já tarde e a más horas, quando saía do Hospital da Ordem Terceira (no Chiado, onde também fica o restaurante). O chef Avillez não os quis abandonar. Mas por não terem lugar numa ementa de luxo, transferiu-os para o Cantinho do Avillez, primeiro em Lisboa e depois no Porto. Saiba então que este prato histórico, aqui reinventado e chamado de Ovos à Professor Séc. XXI, leva dois ovos cozinhados a baixa temperatura, chouriço, sal, pimenta e pão frito por cima. Uma delícia.

Ler mais
Flores
Publicidade
4

A Workshops Pop Up tem carris no chão (e não só)

O chão da Workshops Pop Up, na Rua do Almada, tem duas características especiais: é em calçada portuguesa e tem carris embutidos. Ambos são herança do anterior inquilino, um armazém de ferro. Os tais carris serviam para encaminhar, da entrada do estabelecimento ao armazém, o carro de transporte de mercadorias – era necessário haver uma estrutura de deslize fácil porque os materiais eram muito pesados. Este carro pode ser visto na loja, onde serve como expositor dos azeites. “Quase todos os dias temos pessoas mais velhas a entrar aqui que nos contam histórias sobre o armazém”, diz Rita Almada, ideóloga da Workshops Pop Up juntamente com o marido. Antes de terminar, mais uma curiosidade: entre as pedras da calçada há terra, como se fosse chão da rua, e quem for lá esgravatar encontra pequenas peças de metal, desde parafusos a anilhas. O passado continua bem presente.

Ler mais
Baixa
Publicidade
5

Camilo Castelo Branco e Manoel de Oliveira já estiveram no Rádio Bar

Da próxima vez que estiver a cambalear com um copo de vodka no Rádio Bar, lembre-se que aquele espaço está cheio de história. O edifício onde está instalado era o antigo Tribunal Criminal do Porto, palco do julgamento por adultério de Camilo Castelo Branco, em 1861. Ainda há inscrições em latim dessa altura no piso de cima, chamado agora Rádio AM (uma alternativa mais calma à discoteca). Nesse andar ficava também o clube Cabaret Primavera, nos idos anos 1920, que Manoel de Oliveira recriou, fazendo filmagens no local, no documentário Porto da Minha Infância (2001).

Ler mais
Baixa
6

O pão do Café Santiago vem de Gaia

O pão da francesinha do Café Santiago é comprado em Vila Nova de Gaia e feito de propósito para a casa. E as côdeas, já agora, são cortadas todos os dias à mão, no próprio restaurante.

Ler mais
Santa Catarina
Publicidade
7

A Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro guarda um estudo raro de Hieronymus Bosch

É, mais precisamente, um estudo da parte de cima da Visão do Inferno do tríptico “O Jardim das Delícias Terrestres” (1500-1510), célebre obra do pintor flamengo, em exposição no Museu do Prado, em Madrid. São pouquíssimos os portuenses que sabem da existência desta pintura exposta na Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro e Luís Pinto de Mesquita Carvalho, criada, em frente à Casa-Museu Guerra Junqueiro, pela filha de um dos mais importantes poetas e intelectuais portugueses. Segundo a direcção da Fundação (que alberga parte do espólio e a biblioteca pessoal de Guerra Junqueiro, ela própria outra segredo da cidade), a pintura chegou a Portugal possivelmente através de Damião de Góis: há o registo alfandegário de que ele trouxe três obras de Bosch quando entrou no país. 

Reservar agora Ler mais
Publicidade
9
Há quem tenha as chaves do coração de Dom Pedro

Há quem tenha as chaves do coração de Dom Pedro

São cinco as chaves que guardam o coração de Dom Pedro e estão todas numa gaveta da secretária do Presidente da Câmara Municipal do Porto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
15

As frases à porta D'A Sandeira não estão lá por acaso

O prédio onde está A Sandeira do Porto, na Rua dos Caldeireiros, foi comprado em 2012. Já na altura lá estavam as frases na fachada e Paulo Moreira, arquitecto responsável pelo projecto, não lhes quis mexer. Na memória descritiva do projecto escreveu que a ideia era manter “a aparência ‘desgastada’” da pedra. Mas afinal de onde vêm estas frases? Fazem parte de uma intervenção do projecto artístico Ateliers Mentol, que abordava a questão do abandono. Lá dentro, nas casas de banho, há giz para os visitantes deixarem mensagens nas paredes.

Ler mais
Taipas

Há muito para fazer no Porto

Coisas para fazer no Porto em Setembro

Anda aborrecido? A culpa não é nossa, até porque lhe preparámos uma lista de coisas para fazer no Porto em Setembro, do bom e do melhor. Temos aviões que fazem acrobacias no ar, exposições de fotografia, concertos de música, peças de teatro e até workshops de culinária onde pode meter as mãos na massa. Não precisa de agradecer. Aproveite.  

Ler mais
Por Mariana Morais Pinheiro

As melhores coisas para fazer sozinho no Porto

Às vezes não há como uma tarde, ou mesmo um dia inteiro, sem ninguém por perto. É para esses dias que esta lista das melhores coisas para fazer sozinho no Porto dá jeito. E acredite: com tanta coisa para ocupar o tempo e a mente não vai sentir falta de companhia nenhuma.

Ler mais
Por Editores da Time Out Porto
Publicidade

As melhores vistas no Porto

A equipa da Time Out aproveitou o céu limpo dos dias de Verão para registar as melhores vistas no Porto, vistas essas de cortar a respiração. Das clássicas e fotogénicas, às secretas e improváveis, venha conhecê-las connosco. 

Ler mais
Por Editores da Time Out Porto

Comentários

0 comments