Compras: todo o material para o regresso às aulas

Cadernos, livros, estojo, lápis, canetas, afias e borrachas. Fizemos uma lista de compras para o regresso às aulas, tudo útil, tudo bonitinho.

©DR

O melhor do fim das férias é ir às compras de regresso às aulas. Nós, que dávamos tudo para voltar à escola, seleccionámos as coisas mais giras (sem esquecer a utilidade). Vá fazendo check nessa lista de material e encha o carrinho das compras. 

Depois é enfiar tudo numa mochila. Já a escolheu? Espreite o nosso shopping Regresso às aulas: mochilas 

 

Shopping Regresso às aulas

Washi tapes da Wish Concept Store, a partir de 3,50€
©DR
1/14

Washi tapes da Wish Concept Store, a partir de 3,50€

Tesoura da Fnac, 10,32€
©DR
2/14

Tesoura da Fnac, 10,32€

Régua da Wish Concept Store, 7€
©DR
3/14

Régua da Wish Concept Store, 7€

Marcadores da Paperchase, 5€ cada
©DR
4/14

Marcadores da Paperchase, 5€ cada

Lápis da Tiger, 2€ cada caixa
©DR
5/14

Lápis da Tiger, 2€ cada caixa

Lápis da Fine&Candy, 15€
©DR
6/14

Lápis da Fine&Candy, 15€

Lancheira da Capitão Lisboa, 28€
©DR
7/14

Lancheira da Capitão Lisboa, 28€

Estojo da Don Fisher, 28€
©DR
8/14

Estojo da Don Fisher, 28€

Dossier da Primark, 1,50€
©DR
9/14

Dossier da Primark, 1,50€

Canetas da Capitão Lisboa, 4,95€
©DR
10/14

Canetas da Capitão Lisboa, 4,95€

Cadernos da Tiger, 2€ cada
©DR
11/14

Cadernos da Tiger, 2€ cada

Borrachas da Paperchase, 1,75€ cada
©DR
12/14

Borrachas da Paperchase, 1,75€ cada

Caderno da Pop the Bubble, 22,95€
©DR
13/14

Caderno da Pop the Bubble, 22,95€

Afia da Fnac, 8,15€
©DR
14/14

Afia da Fnac, 8,15€

Lisboa é das crianças

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

É uma grande injustiça dizer que a palavra museu cheira a mofo. Mas se começou por arrastar os miúdos para uma exposição interminável que só interessou aos pais... é bem possível que o programa enfrente alguma resistência. Não desanime. Fomos à procura dos melhores museus para crianças em Lisboa. Para ir ao passado e ao futuro, sem sair do presente.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Playgroups: miúdos, brincadeira, acção

Os playgroups foram feitos para entreter a criançada (e conseguem dar pano para mangas para conversas entre pais) Foram feitos a pensar nos miúdos que ainda não frequentam a escola e, por isso, não têm outros com quem brincar – ou a quem puxar cabelos. Teresa Fialho é fundadora de um desses grupos de brincadeira em Lisboa onde a ideia é que crianças se juntem a outras, dentro da mesma faixa etária, e brinquem, sempre acompanhadas pelos pais. “Tenho dois filhos e tinha muita dificuldade em ir para os parques na cidade para que eles pudessem brincar com outros miúdos”, explica Teresa, que queria ver desenvolvida a componente social dos filhos. “Foi uma necessidade criar este grupo, o Let’s Play, onde o objectivo é juntar crianças num parque para que se divirtam entre elas, e que para as mães e pais que acompanham os filhos acaba por ser também uma forma de partilhar ideias da maternidade e conviver”. No Let’s Play, pais e filhos reúnem-se no Parque Quinta da Alagoa, em Carcavelos, todas as terças e quintas às 10.30 e as actividades são planeadas através do grupo do Facebook com o mesmo nome. Qualquer um pode ir e levar os gaiatos atrás. É, aliás, através da rede social que a maioria destes grupos funciona, uma vez que quem os dinamiza são os próprios pais. “Há mães muito dinâmicas que têm promovido actividades noutros grupos, e o bom disto tudo é que são gratuitos. É dar aos nossos filhos a oportunidade de estar com outras crianças sem ter de pagar actividades extra”, di

Ler mais
Por Francisca Dias Real
Publicidade

Comentários

0 comments