A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Doces, Sobremesas, Rabanada, Estrela da Bica
©Gabriell VieiraRabanada do Estrela da Bica

Os melhores sítios comer e encomendar rabanadas em Lisboa

A mesa de Natal não fica completa sem as gulosas rabanadas (ou fatias douradas, como são chamadas noutras partes do país). Dizemos-lhe onde estão as melhores da cidade.

Escrito por
Inês Garcia
Publicidade

É um doce simples, replicado pelos mais gulosos muitas vezes ao longo do ano, mas é nesta época que mais brilham na mesa. As rabanadas são fatias generosas de pão que, depois de molhadas em leite (há versões alcóolicas da coisa), são envolvidas em ovo e fritas logo a seguir até ficarem douradas – não é por acaso que os mais antigos lhes chamam fatias douradas. Seguindo a receita à risca é polvilhá-las depois com açúcar e canela, mas em Lisboa há quem suba a outro nível e as sirva como sobremesa em versões arriscadas e não tão natalinas, algumas com direito a estar na carta durante todo o ano. Em época de Natal, há versões clássicas e outras novinhas em folha para ir dourar a sua mesa. Todas podem, e devem, ser encomendadas com antecendência.

Recomendado: Os melhores doces em Lisboa

Rabanadas em Lisboa

  • Restaurantes
  • Padarias
  • Alvalade

Na padaria-bistrô de Alvalade há rabanadas até ao final do ano, lado a lado com os rolinhos de cardamomo e canela, pain au chocolat, pães bons e outras delícias de pequeno-almoço (preste atenção também aos take-away especiais de fim-de-semana, onde tanto pode haver cabrito no forno como fish and chips à moda do Isco). As rabanadas são de brioche e acompanham com creme de queijo e caramelo de café, para várias texturas e contrastes equilibradas, como de quer.

Preço: 4€

  • Restaurantes
  • Pastelarias
  • Campo de Ourique

A rabanada de Miguel Oliveira, especialista em pudim Abade de Priscos, é diferente e bem recheada. Com pudim, claro está. É feita com um brioche caseiro marinado durante 24 horas numa calda com crème fraîche, leite, ovos, vidrado de limão, canela e outras especiarias. Depois de frita em manteiga, é recheada com o creme de pudim, para logo de seguida ser caramelizada e ganhar uma textura crocante, a contrastar com o interior. Está disponível em Lisboa todas as quartas-feiras e sábados, bastando para isso encomendá-la (através de telefone ou e-mail) e levantar no atelier em Campo de Ourique. No Porto está disponível no restaurante Mito.

Preço: 5,50€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

A sobremesa mais famosa do restaurante de André Lança Cordeiro até pode ser o guloso mil-folhas com uma poça de caramelo salgado, mas o Natal (e os últimos tempos) tem dado para puxar pela creatividade na cozinha de base francesa. Para esta rabanada, testada e aprovada pela Confraria da Rabanada, é utilizado o brioche da padaria Terra Pão, marinado num creme inglês que é feito com leite fumado. Aproveite para comprar também as cookies de chocolate e avelã com caramelo salgado – mas atenção que as encomendas de Natal são só até dia 19.

Preço: 15€ (três unidades)

  • Restaurantes
  • São Vicente 
  • preço 4 de 4

No Plano de Vítor Adão, o take-away de Natal é completo: tem o bacalhau das ilhas Faroé, grelhado com grão e couve portuguesa, o cabrito com arroz de forno e o polvo. Mas as rabanadas são doce obrigatório na mesa da consoada e estas são de pão brioche, grelhadas com calda de laranja e com creme inglês. Tem de encomendar pelo menos quatro de uma assentada, mas isso não será problema, que deslizam bem na hora de comer.

Preço: 3,50€ (a unidade)

Publicidade
  • Restaurantes
  • Chiado/Cais do Sodré

Marta Figueiredo utiliza o brioche fofo da sua Terra Pão, a padaria artesanal no Mercado de Arroios, para fazer as rabanadas da Estrela da Bica. Leva um toffee de miso feito a partir do pão de fermentação lenta e uma colherada generosa de natas ácidos no topo, para equilibrar e contrastar com o doce. As groselhas finalizam (e dão aquele toquezinho natalício). Para comer no restaurante, recolher ou pedir que lhe levem até casa.

Preço: 5€

.BRI_O
©DR

.BRI_O

Estas rabanadas são do it yourself, que o Natal, já se sabe, é muito isso. A .Brio tem um loaf especial em Dezembro para fazer as suas próprias rabanadas – a receita da massa leva limão, laranja e algumas especiarias para ficar logo com o sabor natalício. Além disso, fizeram uma parceria com a gelatina artesanal Matoli para lançar um gelado de rabanada.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Pastelarias
  • Campo de Ourique

Os puristas dirão para não se meter nisso. Mas é Natal, este ano já nada se leva a mal, e doces são sempre bem-vindos. Com esta introdução o caro leitor já deve ter percebido que esta não é uma rabanada tradicional: é, antes, uma montanha de rabanadas grandes e gordas, unidas por obscenas camadas de doce de leite. O Moço dos Croissants não teve vergonha e criou uma sobremessa natalícia pornográfica, decadente, deliciosa.

Preço: 28€

Natal doce

  • Restaurantes
  • Pastelarias

Os troncos de Natal não são tradição portuguesa. É uma sobremesa típica em França ou na Bélgica nesta altura do ano e, na sua versão mais tradicional, a sua aparência é o mais próxima possível de um tronco de lenha (afinal, representa um hábito da quadra, em que as famílias se reuniam em volta da lareira para ouvir histórias e entoar cânticos de Natal enquanto um enorme tronco queimava). Mas por cá os troncos de Natal já se juntaram às rabanadas, azevias, sonhos, fatias douradas, coscorões e bolos-reis para agradar aos mais esquisitos ou adoçar ainda mais a quadra com novos sabores. Provámos e aprovámos estes sete troncos. Trate já das encomendas para a sua mesa de Natal nestes cafés e pastelarias com os melhores troncos de Natal em Lisboa.

  • Restaurantes

Sem fava nem boneco de loiça, mais ou menos redondinhos, com frutos cristalizados ou caramelizados, muitos frutos secos e um cheirinho licoroso. Mesa de doces de Natal tem de ter estas sumidades, mas já lá vão os tempos onde só os mais tradicionais bolos-rei e rainha tinham direito a sentar-se. Se não é fã dos clássicos, nesta lista encontrará opções fora da caixa, com chocolate e avelãs, em formato coroa a ir buscar inspiração à babka, com folhas de ouro ou até numa versão mais progressista com croissants a servir de base do bolo. Este Natal é diferente, portanto os bolos rei e rainha também podem ter personalidade. Sempre com qualidade. Encomende já.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade