As melhores mesas comunitárias no Porto

Escolhemos as melhores mesas comunitárias da cidade para reunir a família ou os amigos sempre que houver uma data para comemorar
©Marco Duarte
Publicidade

Seja para festejar o seu aniversário, ou o de um dos seus filhos, as bodas de ouro dos avós ou a chegada de mais um membro à família, os 20 anos desde o fim de curso ou a mais recente promoção, a despedida de solteiro do seu amigo galifão ou a demissão do chefe chato, estas são melhores mesas comunitárias no Porto.

As melhores mesas comunitárias no Porto

Cantina 32
©João Saramago
Restaurantes

Cantina 32

icon-location-pin Flores

2 Mesas (8 e 14 lugares)

Este é um dos melhores restaurantes da cidade
 para partilhar. E as mesas comunitárias são um óptimo cenário para dividir pratinhos como o tataki de atum, o salmão curado em laranja, os ovinhos de codorniz com bacon e os croquetes de alheira. Se fizer parte de um grupo de esfomeados, pode pedir os pratos mais substanciais, como a vitela ou o polvo na brasa. À sobremesa há bolo de bolacha, o famoso cheesecake de banana servido no vaso e a igualmente incrível terrina de chocolate 32.

Mundo - Restaurante
© Marco Duarte
Restaurantes, Global

Mundo

icon-location-pin Baixa

2 Mesas (8 lugares cada uma)

Mesas comunitárias altas, música a fazer-se ouvir, bons cocktails e um menu inspirado nos quatro cantos do mundo. Os pratos são para partilhar e há alternativas tão viajadas como a moqueca de corvina e camarão, a picanha com abacaxi grelhado ou os noodles com gambas e shiitake.

Publicidade
brunch miss pavlova
© Marco Duarte
Restaurantes, Salas de chá

Miss Pavlova

icon-location-pin Galerias

1 Mesa (10 lugares)

A moda do brunch chegou em força à cidade e, verdade seja dita, muitas vezes é mais completo que alguns jantares. O da Miss Pavlova, de seu nome Mr. Brunch, é uma novidade
 que vale mesmo a pena conhecer. O menu não é fixo e cabe ao cliente olhar para a carta e escolher o que mais gosta. Entre várias receitas de ovos, panquecas e bruschettas, a decisão é difícil. Mas nós ajudamos: ovos Benedict; panqueca exótica, com curd
 de maracujá e frutos silvestres; e bruschetta com cogumelos e espinafres salteados, queijo halloumi e compota de chilli. Termine, claro, com uma fatia de pavlova.

Traça
©DR
Restaurantes, Steakhouse

Traça

icon-location-pin Flores

1 Mesa (10 lugares)

O desgraçado que se dá ao trabalho de organizar o jantar anual dos amigos de faculdade sabe que, no ano seguinte, não vai fazê-lo novamente. Um dos problemas recorrentes é a comida: uns não comem carne, outros não gostam de peixe cru e a outra metade é vegetariana. Difícil? Sim, se não fizer parte de um grupo carnívoro até ao tutano. Caso pertença ao clã destes últimos, marque o jantar no Traça e sente-se
 na mesa comunitária logo 
à entrada. Para comer, peça
 uns croquetes de presunto e
 o costeletão de charolês, para partilhar.

Publicidade
Panquecas Zenith
DR
Restaurantes, Cafés

Zenith Brunch & Cocktails Bar

icon-location-pin Baixa

2 Meses (12 lugares cada)

Neste espaço cheio de pinta na Baixa, o brunch pode ser pedido a qualquer hora do dia. Há boas tostas, smoothie bowls, tapiocas e cocktails para todos os gostos. As reservas não são obrigatórias, e só podem ser feitas para grupos mínimos de dez pessoas para qualquer dia da semana. 

Brick Clérigos
©João Saramago
Restaurantes, Europeu contemporâneo

Brick Clérigos

icon-location-pin Baixa

1 Mesa (16 lugares)

Há sítios onde apetece levar os amigos, e o Brick Clérigos, um dos mais bonitos restaurantes da cidade, é um deles. E a magnífica mesa comunitária no centro da sala é a desculpa perfeita para juntar a malta toda num almoço ou jantar de comemoração. A carta é simples, prática e, mais importante, saborosa. Pratos como a tosta de frango assado e espargos, a de abacate e camarão, a sanduíche de bochecha de porco, o wrap de cogumelos e a salada de queijo de cabra com nozes são algumas dos alternativas mais populares. Se vir um bolo de cenoura com recheio de queijo creme pousado no balcão, fixe-o. E coma-o à sobremesa. No meio disso tudo, também pode tirar umas fotografias para o Instagram. A mesa é bonita e bem decorada – nunca faltam livros, revistas e flores. Garantia: avalanche de likes.

Publicidade
Il Fornaio 178
© João Saramago
Restaurantes, Italiano

Il Fornaio 178

icon-location-pin Pinheiro Manso

1 Mesa (10 lugares)

Em pouco mais de um ano de vida, o Il Fornaio 178 tornou-se uma verdadeira meca da pizza napolitana (sim, aquelas com as bordas mais altas e o centro fino). A Margherita, a Pesto (com presunto, rúcula e o dito pesto) e a Tartufo 
(com cogumelos e creme de trufa negra) são boas apostas. Também há pastas, risottos e uma mesa comunitária linda com uma oliveira ao centro, ideal para um jantar de amigos.

Mondo Deli
Fotografia: João Saramago
Restaurantes, Fusão

Mondo Deli

icon-location-pin Baixa

1 Mesa (18 lugares)

Neste restaurante 
em plena Baixa, que acaba de estrear a carta de Inverno, os pratos são inspirados em vários cantos do mundo. Funcho assado com tangerina, avelãs
 e sumac, uma especiaria do Médio Oriente; lombo de porco com miso branco, toranja e pêra em pickle; e noodles com caldo asiático, tofu fumado, amendoins, cebola frita e coentros são algumas das novidades do menu. Tudo bonito, tudo para partilhar.

Publicidade
O Diplomata - Panquecas
©João Saramago
Restaurantes, Cafés

O Diplomata

icon-location-pin Galerias

3 Mesas (8, 8 e 6 lugares)

Aos fins-de-semana e feriados O Diplomata não aceita reservas. Por isso, se quiser garantir uma mesa comunitária só para o seu grupo, junte os amigos durante a semana. Há panquecas para todos os gostos, com várias massas e coberturas (fruta, manteiga de amendoim, caramelo e Kinder são algumas das opções). Se estiver a fazer detox de doces atire-se à salgada, com queijo, bacon, manteiga de alho e ervas. Complemente o banquete com smoothie bowls, tostas, saladas e várias bebidas de café para aquecer o corpo e a alma nos dias mais frios.

Tapabento Trindade
© Marco Duarte
Restaurantes, Português

Tapabento Trindade

icon-location-pin Baixa

1 Mesa (10 Lugares)

O Tapabento Trindade, com 
um irmão mais velho ao lado 
da Estação de São Bento, acaba de mudar o conceito. Agora são as tapas, como na casa-mãe,
 que brilham na carta. Tortilha de sarrabulho com maionese 
de cominhos; pudim de porco preto com sorvete de maçã, lima, pistáchio, presunto e molho de porco e maçã; e camarão selvagem confitado em manteiga de baunilha, creme inglês de baunilha e crustáceos, alho macerado, merengue, rum e gelado de limão são algumas das novas combinações criativas assinadas pelo chef António Silva.


Outras sugestões

Taberna de Santo António - Cozido à Portuguesa
Fotografia: João Saramago
Restaurantes

Os melhores restaurantes para comer muito e pagar pouco no Porto

Prato farto, comida genuína e boa bebida a acompanhar uma refeição que sai por meia dúzia de tostões. Onde? No Porto, claro. Se tem amor à comida, mas também tem ao dinheiro, leia o que se segue. Depois, junte um grupo de amigos e encha a barriga com comida a sério. Um fartote que lhe vai ficar por uma pechincha.

Snack Bar Gazela
© João Saramago
Restaurantes

30 pratos que tem de comer no Porto

Sabe que está no Porto quando lhe chegam à mesa doses generosas de comida bem feita. Há petiscos, sandes, pratos de autor, doces e até iguarias de várias partes do mundo. Esta lista de 30 pratos que tem de comer no Porto é uma edição de coleccionador, entenda-se. Bom apetite.

Publicidade
Bufete Fase  francesinha
© João Saramago
Restaurantes, Cervejarias

As melhores francesinhas no Porto

A Francesinha merece todas as homenagens possíveis e imaginárias. Espalhadas pela cidade, há exemplares para todos os gostos e até variações menos tradicionais, como as vegetarianas ou as que levam frango. Gulosos como somos, assumimos a tarefa árdua de descobrir as melhores francesinhas no Porto. Ei-las...

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com