A natureza detesta linhas rectas

Arte
Exposição Gabriela Albergaria
DR Exposição Gabriela Albergaria

A Time Out diz

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme se os eventos continuam agendados.

Desde meados dos anos 1990, Gabriela Albergaria tem registado e explorado a transformação e manipulação da natureza pela mão humana, a aculturação e apropriação da paisagem natural – impulsionadas pela globalização iniciada no século XV com as explorações marítimas –, e a alteração dos ecossistemas devido à importação e domesticação de espécies vegetais. É esta fricção entre humano e natural que atravessa “A natureza detesta linhas rectas”, exposição antológica que está na Culturgest até 28 de Fevereiro e que passa em revista vários momentos do trajecto da artista, com particular incidência nos últimos 15 anos. Com um percurso irrepreensível e consolidado, sobretudo no estrangeiro, Gabriela Albergaria tem agora a sua exposição mais completa no circuito institucional português. Cada sala é “uma espécie de statement”, já que a organização é temática e não cronológica. Há uma divisão com três peças que dialogam entre si: uma gravura sobre madeira a partir de desenho sobre o Parque Trianon, em São Paulo, uma instalação com dois troncos finos esticados com molas e uma colecção de pauzinhos de todo o mundo que a artista limpou, corrigiu e preencheu com plasticinas naturais. Destacam-se, ainda, a sala dedicada a peças novas em cerâmica ou madeira sobre sementes colhidas numa expedição à Amazónia em 2016 e a sala com desenhos sobre as florestas de sequóias da Califórnia, resultantes de uma viagem à costa oeste dos Estados Unidos em 2012.

Detalhes

Também poderá gostar
    Também poderá gostar
      Últimas notícias