Dissonâncias

Arte
Museu, Jardim das Esculturas, MNAC
©MNAC Jardim das Esculturas no MNAC

A Time Out diz

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme se os eventos continuam agendados.

São um conjunto de aristas que trabalham diferentes temas em diferentes formatos. São dissonantes, mas complementares simultaneamente. “Dissonâncias” é a mais recente exposição do Museu Nacional de Arte Contemporânea, com curadoria de Adelaide Ginga e Emília Tavares, que dá a conhecer uma selecção das obras mais recentes do acervo do MNAC. Tome nota: são 87 trabalhos de 45 artistas, produções que vão do século XIX ao início do século XXI. Desenho, pintura, gravura, fotografia, instalação, vídeo ou escultura, a exposição apresenta obras de artistas como Ana Pérez-Quiroga, André Cepêda, Artur do Cruzeiro Seixas, Carlos Noronha Feio, Columbano Bordalo Pinheiro, Cristina Ataíde, Ernesto de Sousa, Hugo Canoilas, Inês Norton, João Pedro Vale, Jorge Molder, Mário Cesariny, René Bértholo, Rodrigo Oliveira, Rolando Sá Nogueira, ou Víctor Pires Vieira. São obras que querem mostrar “a crescente abrangência e representatividade da colecção do Museu Nacional de Arte Contemporânea”, lê-se no comunciado.

Detalhes

Também poderá gostar
    Últimas notícias