Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Henrique Sá Pessoa abre um atelier de pesquisa em Marvila
Notícias / Vida urbana

Henrique Sá Pessoa abre um atelier de pesquisa em Marvila

henrique sá pessoa
© Estrella Damm

O espaço chama-se Atelier Henrique Sá Pessoa, fica em Marvila, mesmo em frente à galeria Underdogs e será, a partir de Novembro, o pólo de criação de novos pratos do chef do Alma. A notícia já tinha sido avançada pelo Expresso há umas semanas, mas na última segunda-feira, no 2º Gastronomy Congress Estrella Damm, no final da sua apresentação, Henrique Sá Pessoa levantou mais o véu sobre o projecto. “É um espaço para fazer o que mais gosto: criar pratos.”

O novo Atelier não terá uma abertura oficial, até porque irá funcionar mais como um espaço de trabalho pessoal para o chef e respectiva equipa. “Tenho uma cozinha grande, toda equipada, mas é também um local para os meus projectos televisivos, e para ter, por exemplo, a minha biblioteca catalogada. Sentia necessidade de ter um escritório, uma sala de estudo, uma cozinha de testes, um estúdio de fotografia de pratos e produtos”, conta à Time Out. Para conseguir tudo isto, ocupou cerca de 180 m2 de uma antiga agência bancária do BPI, a qual transformou num grande open space, “com um ambiente cool”, diz. “É o mesmo mood que o Alma tem, a dupla de arquitectos, Eduardo Malhado e Catarina Ventura, é a mesma, apesar de o edifício ser completamente diferente”, acrescenta.

“E eu não vou poder ver nada disso?”, perguntar-se-á o leitor. Bom, é provável que consiga lá ir uma vez ou outra, porque estão pensados alguns workshops. “Vou ter uma página de Facebook com a calendarização e depois há eventos de cariz privado de algumas marcas que estão em parceria comigo no Atelier.” Haverá lugar para sentar no máximo 15 pessoas por workshop, o mesmo número que nos jantares que também poderão ocorrer. Mas é importante frisar que é mais um espaço de trabalho para o Alma e os outros projectos do chef do que um atelier aberto ao público.

“O espaço está acabado há um mês, um mês e meio, mas faltavam alguns pormenores”, explica. A cozinha topo de gama tem a maquinaria toda necessária para fazer as experiências necessárias - “desde pacogets a bimbys, de máquinas de vácuo a máquinas de cozinhar a baixa temperatura” -, e a ideia é que saiam daqui vários pratos para o Alma. “Tenho esse desafio de todos os meses conseguir criar um prato novo para o Alma.” É esperar para ver onde a criatividade o levará.

+ Henrique Sá Pessoa: um chefe com Alma

Publicidade
Publicidade