A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Lisboa Ibero-americana. Um ano de eventos nas ruas da capital

Por Maria Ramos Silva
Publicidade

Em 2017, Lisboa veste-se de Capital Ibero-americana da Cultura, mas nem só de eventos dentro de portas vivem os próximos meses. Ainda há muito detalhe por confirmar mas levantamos o véu sobre o roteiro que ocupará os principais pontos da cidade, numa celebração lusófona e hispânica, entre a Primavera e o final do Verão.

  

Março

Canta Violeta Parra é uma homenagem à artista chilena que em 2017 celebraria 100 anos. Reinventa-se o programa de rádio onde a autora de “Gracias a la Vida” difundia a música tradicional do seu país nos anos 50. Várias artistas e cantautoras portuguesas darão vida a alguns dos seus temas mais emblemáticos. 


Abril

O feriado da revolução de Abril é pretexto para concertos, conferência e uma exposição sobre resistência. Em palco, a Orquestra Sinfónica Portuguesa reinterpreta temas de intervenção de José Afonso, Chico Buarque, Carlos Puebla e Mercedes Sosa.

Maio

O começo do mês traz mais uma edição do Festival da Máscara Ibérica, este ano mais oportuno do que nunca. A cultura ancestral da máscara revela-se através de 400 mascarados, caretos e gigantones que aludem a rituais ainda hoje em evidência na península. 

Junho

Chegam as Festas de Lisboa, com um programa que se estende ao longo de todo o mês. Arranca com um concerto da Orquestra Gulbenkian, que revisita obras de Joaquín Rodrigo, Arturo Marquez, Silvestre Revueltas, Manuel de Falla e Heitor Villa-Lobos. Depois do espectáculo, a dia 3, segue-se a segunda edição do Fado no Castelo, que entre os dias 8 e 10 tocará géneros como o tango, o chorinho e o flamenco. De 15 a 18 de Junho uma série de músicos do Peru, Brasil, México e Uruguai reúnem-se em Lisboa para espectáculos de música, leitura de textos, contos e poemas, inspirados pelo património latino-americano. 


Julho

Um grande Baile Latino encerra as Festas de Lisboa. No primeiro dia do mês todos os caminhos vão dar às ruas da cidade. 

Setembro

Obras sonoras de artistas oriundos da América Latina vão apresentar-se num jardim da cidade, numa edição Lisboa Soa. Por sua vez, os grupos, associações e comunidades ligados ao universo das danças latino-americanas na capital vão organizar minibailes com música ao vivo em locais inesperados. 

Últimas notícias

    Publicidade