Le Dix-Septième Paralélle

Coisas para fazer, Eventos cinematográficos
Le Dix-Septième Paralélle (1968)
©DR Le Dix-Septième Paralélle de Marceline Loridan

A Time Out diz

Marceline Loridan (1928-
2018), que a Cinemateca agora homenageia, é, para muitos, uma desconhecida. Menos 
para os cinéfilos mais dados ao documentarismo, que, mesmo quando não sabem que a sua estreia foi aos 32 anos, no Verão de 1960, no filme “mutante” 
de Jean Rouch e Edgar Morin, Chronique d’un Été, pelo menos sabem que a sua interpretação chamou a atenção do “grande autor do ‘documentário comprometido’”, Joris Ivens. Uma coisa leva à outra e, até à morte do realizador, em 1989, não só partilharam cama e pucarinho, como co-realizaram documentários. Exemplo da sua arte conjunta é o excepcional
 Le Dix-Septième Paralélle, de 1968, esta semana em exibição.

Por Rui Monteiro

Publicado:

Detalhes

Também poderá gostar