1 Gostar
Guardar

O Inverno segundo dez marcas lisboetas

À procura da moda de Inverno? Com as suas novas colecções, estas dez marcas lisboetas vão fazê-lo ver o frio de outra maneira. Palavra de quem percebe de compras

Caiagua (©DR)
1/10
©DR

Caiágua

Be you (©DR)
2/10
©DR

Be You, Be Beautiful

Harper (©DR)
3/10
©DR

Harper

Rufel (©DR)
4/10
©DR

Leonor Poeiras para a Rufel

BAM (©DR)
5/10
©DR

BAM

The Blond Moustache (©DR)
6/10
©DR

The Blonde Mustache

Catch my leg (©DR)
7/10
©DR

Catch-Mylegs

Jak (©DR)
8/10
©DR

JAK

Minilisbon (©DR)
9/10
©DR

Minimalisbon

Tomaz (©DR)
10/10
©DR

Tomaz

Caiágua 

A colecção, a marca: é tudo novinho, a estrear. Os dois sócios, um do Porto e o outro alfacinha de gema (o próprio do Alfaiate Lisboeta, para sermos mais exactos), acharam que os impermeáveis eram solo ainda por explorar. E acharam muito bem. No fundo, não era de um casaco para a chuva, com ar cool e até alguma cor, que todos estávamos a precisar? Ela que caia, que a Caiágua já resolveu o problema.

 

Be You, Be Beautiful

E quando já nenhuma mulher diz não a um casaco de pêlo, a Be You, Be Beautiful vem com tudo. Na nova colecção há três modelos que saltam à vista, não tanto pela textura, mais pelas cores. No que depender desta marca, o Inverno tem três tons: azul, verde e cor-de-rosa.

 

Harper

Eis a marca lisboeta que sabe como manter os pés bem assentes na terra. A Harper já caminha sobre as folhas secas e soube moldar-se na perfeição a esta espécie de limbo climatérico em que andamos. Detalhes em pêlo, biqueiras pontiagudas, botins, sapatos rasos e ténis todo-o-terreno, só para garantir que a mulher lisboeta se calça à altura de todas as ocasiões.

 

Leonor Poeiras para a Rufel

Rufel é do Norte, mas nesta colecção temos um óptimo pretexto para puxá-la cá para baixo. Leonor Poeiras foi a designer de serviço e pensou em seis malas que lhe enchessem as medidas em todas as ocasiões. Da clutch, essencial às noites de festa, à mochila, presença assídua em tudo o que é festival, a apresentadora deu um toque pessoal àquela que é uma das colaborações do momento.

 

BAM

Básicos, sim. Demasiado básicos é que já dispensamos. A marca de Ana Menezes estudou bem esta lição e a nova colecção é o melhor exemplo de que até as peças mais minimalistas conseguem ter qualquer coisa de especial. Depois, há o conforto dos macacões, dos tecidos com mistura de lã e dos cortes largos, descolados do corpo. O Inverno há-de vir aí, mas, no que depender da BAM, o guarda-roupa continua leve.

 

The Blonde Mustache

Desafiamo-lo a não ficar com uma pontinha de inveja quando puser os olhos na nova colecção da The Blonde Mustache. Usar a roupa é fisicamente impossível (é tudo para crianças), já com os acessórios, pode sempre tentar a sua sorte. Mochilas que são coelhos, bodies com folhos nos ombros e casacos com estampados animais são só uma amostra do que ainda está para chegar.

   

Catch-Mylegs

A Catch-Mylegs existe há um ano, mas a nova colecção deu um salto daqueles... A mira desta dupla de designers continua a estar apontada ao conforto e em levar a versatilidade das peças ao limite. Por essas e por outras é que um macacão preto tanto dá para sair à noite como para fazer uma aula no ginásio. Além disso, as estações podem mudar, mas a peça-chave está sempre lá. Os minicalções convidam-na a arriscar vestidos mais curtos. No limite, vai mostrar as rendas de que são feitos.

  

JAK

Contra tudo o que seria de esperar, a JAK aproveitou o Outono para se abrir ao mundo das cores. O azul e o verde juntam-se à paleta neutra que caracteriza a marca desde o primeiro dia, num desafio à criatividade do homem lisboeta.

 

Minimalisbon

Serão os mais pequenos a calçar como gente crescida, ou os adultos a quererem o que os filhos, netos e sobrinhos andam a usar? Por via das dúvidas, a Minimalisbon desenha e manda produzir em todos os tamanhos. A nova colecção está, no mínimo, selvagem. Foi buscar os estampados animais mais consensuais do momento e aplicou-os ao modelo da praxe.

 

Tomaz

Como todas as malas e acessórios da Tomaz, esta também tem uma história. Os rolos de tecidos dos anos 70 já tinham caído no esquecimento, num armazém com pouca vida, mas Eliana Tomaz tomou conta deles e tornou o laranja na cor deste Inverno. O resto é puro engenho. Apenas com duas peças, a colecção Lana adapta-se a quatro maneiras diferentes de usar uma mala: ao ombro, tiracolo, com alças de mão e em versão clutch.

Comentários

0 comments