Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Divinas Comédias
Filme, Cinema, Amigos Amigos, Telemóveis à Parte (2016)
©Disney Amigos Amigos, Telemóveis à Parte de Paolo Genovese

Divinas Comédias

Quatro filmes recentes e um clássico absoluto que nos dão um retrato da comédia à italiana. Para rir mesmo em tempos de corona. Todos disponíveis no MEO VideoClube.

Por Time Out em associação com MEO
Publicidade
MEO TIME IN
Propostas excepcionais para dias de excepção.
Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Divinas Comédias

1

Amigos Amigos, Telemóveis à Parte

De Paolo Genovese, 2016, 97 min.

Tudo corre bem neste jantar de sete amigos até que alguém tem uma ideia peregrina: pousar todos os telemóveis na mesa e partilhar todas as chamadas ou mensagens que forem sendo recebidas. Mesmo relutante, ninguém recusa e toda a gente quer provar que nada tem a esconder. O resultado é esta comédia dramática, retrato de uma noite de segredos revelados que transforma um grupo de amigos íntimos em Perfetti Sconosciuti (perfeitos desconhecidos, o título original).

2

Ammore e Malavita

De Antonio Manetti e Marco Manetti, 2017, 133 min.

A mitologia e o folclore napolitanos estão em força em Ammore e Malavita, filme que em 2018 foi o grande vencedor dos David di Donatello, os prémios institucionais do cinema italiano. Há um chefe da Máfia que encena a sua morte para se poder retirar para as Caraíbas, uma enfermeira que denuncia o falso óbito e um assassino que se apaixona por ela e decide eliminar toda a família mafiosa para a poder salvar. Uma comédia musical vivida no submundo da Camorra.

Publicidade
3

Quo Vado Ou Já Foste!

De Gennaro Nunziante, 2016, 86 min.

Checco passou dos 30, vive comodamente em casa dos pais e fez carreira na Função Pública a carimbar licenças e autorizações de pesca. Quando a reforma da Administração Pública extingue o seu posto de trabalho, fica sem saber o que fazer. Determinado a não aceitar indemnização, opta pelo programa de mobilidade e é enviado para uma base de investigação científica no Pólo Norte. Lá, contra todas as probabilidades, conhece Valeria e toda uma nova forma de olhar o mundo.

4

Amarcord

De Federico Fellini, 1973, 127 min.

Com o tempo, o nome de Federico Fellini consolidou-se de forma espectacular. Amarcord (1973), a sua quarta obra a receber o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, representa o auge desse processo em que um autor se tornou adjectivo. Dizer que algo é felliniano é evocar, ao mesmo tempo, uma forma inconfundível de fazer cinema, mas, também, os temas que foram matéria desse cinema e tom surreal que sempre o sublinhou. Amarcord é uma mistura fabulosa entre fantasia e realidade baseada nas memórias do próprio Fellini. Há personagens bizarras, professores assustadores, padres pomposos e familiares doidos, todos perfilados neste retrato tragicómico do dia-a-dia na pequena cidade de Rimini, em 1930, do ponto de vista de um adolescente delinquente.

Publicidade
5

Em Guerra Por Amor

De Pif, 2016, 99 min.

Nova Iorque, Julho de 1943. Flora é filha do dono de um restaurante na Sicília e está prometida a um chefe da Máfia. Arturo, jovem italiano que emigrou para Brooklyn, está apaixonado por ela e quer pedir a sua mão em casamento ao pai. Como não tem dinheiro para a viagem, alista-se nas forças Aliadas, que estão prestes a invadir o Sul de Itália. Uma comédia histórica co-escrita, realizada e protagonizada pelo humorista Pierfrancesco “Pif” Diliberto.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade