Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Sete séries de televisão juvenis clássicas
Fame (serie)
Fama

Sete séries de televisão juvenis clássicas

'Lassie', 'As Aventuras de Robin dos Bosques', 'Os Cinco' ou 'Fama' são algumas das séries para a juventude que acabaram por se transformar em clássicos da televisão, e merecem ser recordadas

Por Eurico de Barros
Publicidade

Cães inteligentes, cavalos nobres, heróis com estatuto lendário ou crianças e adolescentes corajosos e cheios de força de vontade ou de talento são os protagonistas destas séries de fama mundial e bem-amadas por sucessivas gerações.

Sete séries de televisão juvenis clássicas

As Aventuras de Robin dos Bosques

Apesar de datar dos anos 50 (esteve no ar entre 1955 e 1959), esta série juvenil inglesa que os mais crescidos também viam, ganhou foros de culto, e ainda hoje surge nas listas das mais populares e queridas do seu género. Richard Greene interpreta um Robin dos Bosques que ficou de referência, e a canção-tema da série continua hoje a ser conhecida e trauteada. Produzida pelo lendário Lew Grade, foi uma das primeiras séries juvenis a ser exibida pela RTP.

Lassie

As aventuras da cadela de raça Coolie do título, um dos animais mais famosos da televisão, prolongaram-se por 20 anos (1954-1973), transformando a série numa das mais duradouras dos EUA. Ao longo desse tempo, Lassie foi propriedade de duas famílias, os Miller e os Holden, e dos Serviços Florestais americanos, tendo também vivido aventuras sozinha durante duas temporadas. Nessas duas décadas, Lassie foi interpretada por seis cães: Pal, Lassie Júnior,  Spook, Baby, Mire e Hey Hey.


Publicidade

Os Pequenos Vagabundos

Jean-Loup, Marion, Cow-Boy, Byloke… Quem não se lembra deles? Os Pequenos Vagabundos é a série juvenil mais popular da história da televisão europeia, rodada em 1969 na Bélgica, em co-produção com a França, a Itália e ainda o Canadá. Um grupo de adolescentes de várias nacionalidades e origens sociais encontra-se numa colónia de férias nas Ardenas, e envolve-se numa aventura que inclui um tesouro escondido num castelo, um bando de ladrões de bancos e uma menina raptada.


Os Cinco

Os famosíssimos heróis de Enid Blyton chegaram à televisão em 1978, graças à inglesa ITV, que produziu duas temporadas da série, com as histórias transportadas dos anos 40 e 50 para a década de 70. Não houve mais, porque os detentores dos direitos dos livros de Blyton proibiram que fossem escritos argumentos originais para a sua continuação, mas os episódios que foram filmados bastaram para que Os Cinco ficassem na memória de todos que a viram. E foram muitos.


Publicidade

As Aventuras de Black Beauty

Mais uma série inglesa dos anos 70 (durou de 1972 a 1974) e que a RTP transmitiu, As Aventuras de Black Beauty é um clássico da televisão juvenil e junta uma série de elementos e temas característicos da produção britânica do género. Um animal nobre como “herói” (o belíssimo cavalo do título), uma cuidadosa recriação de época (passa-se no século XIX), a ambiência rural, a importância da família e um realismo que rivaliza com o dos filmes apontados a um público adulto.

Fama

Primeiro, houve o filme de Alan Parker em 1980. O seu sucesso gerou uma série de televisão com o mesmo nome, em 1982, passada, como aquele, na ficcional High School for the Performing Arts de Nova Iorque, e para a qual transitaram alguns dos actores do filme, caso de Irene Cara e Gene Anthony Ray. A série durou até 1987 e deu origem a um grupo musical, The Kids From ‘Fame’, composto pelos seus principais intérpretes, que gravou discos e deu concertos.


Publicidade

O Cão Vagabundo

Esta singular e muito apreciada série canadiana conheceu duas encarnações, uma na década de 60 (1963-1965) e outra nos anos 80 (1979-1985), tendo sido estas temporadas que passaram em Portugal na RTP. O “pequeno vagabundo” do título não é uma pessoa. Tem quatro patas e é um cão, um pastor alemão sem dono e sem nome (e na realidade chamado London), muito inteligente e vivo, que vagueia de cidade em cidade, ajudando várias pessoas ou famílias, mas nunca ficando ligado a elas.


Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade