As Janelas Verdes

Hotéis Santos
3 /5 estrelas
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
1/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
2/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
3/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
4/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
5/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
6/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
7/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
8/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz
As Janelas Verdes (Fotografia: Matilde Cunha Vaz)
9/9
Fotografia: Matilde Cunha Vaz

Foi a Graça Viterbo, uma das decoradoras mais requisitadas do país, que calhou a tarefa de transformar o palacete onde viveu Eça de Queirós num hotel de charme.

Missão cumprida com distinção e cujo resultado está à vista no simpático As Janelas Verdes, uma casa com 29 quartos que percorre, em cada canto, a herança artística e literária deixada pelo autor. O ambiente é caseiro, ideal para casalinhos apaixonados à procura da Lisboa clássica dos romances. O interior procura ser igual ao que era quando Eça se sentou ali, na velha secretária de madeira virada para o Tejo, a escrever Os Maias, com os mesmos cadeirões, as mesmas esculturas, as mesmas pinturas a óleo, as cortinas pesadas e a lindíssima escadaria em pedra e ferro que leva à biblioteca com terraço no último piso.

O hotel não tem restaurante, mas a uma curtíssima distância a pé, mesmo ao lado do vizinho Museu Nacional de Arte Antiga, o Le Chat, com uma das varandas mais bonitas de Lisboa, debruçada sobre o porto de Lisboa, tem uma ementa fresca e moderna, com algumas sugestões de cozinha tradicional – na dúvida, é sempre um bom poiso para beber um copo ao final do dia. O pequeno-almoço do hotel é servido em regime buffet num dos salões da casa e não sabemos especificamente porquê, mas o sumo de laranja natural, feito na hora, é das melhores coisinhas que bebemos nos últimos tempos (são só laranjas, é verdade, mas também são as melhores que já provámos).

Dica Time Out: Mesmo em frente ao Museu de Arte Antiga, a Boulangerie serve dos melhores pequenos-almoços e brunches da cidade, com croissants e pão francês de verdade (daqueles caseiros, cozidos na hora), e conta com uma esplanada simpática debruçada sobre um pequeno largo. Aos domingos costuma ser bastante concorrida, mas enquanto espera por mesa, pode sempre dar um salto ao museu para ver os famosos Painéis de São Vicente.

Por Nelma Viana

Publicado:

Nome do local As Janelas Verdes
Contato
Endereço Rua das Janelas Verdes, 47
Lisboa
1200-690
Preço €€€
É o proprietário deste estabelecimento?
Static map showing venue location
LiveReviews|0
1 person listening