Elas mostram como os miúdos vêem o mundo

Duas irmãs criaram o projecto The World by Them, um género de congelador da infância. Vídeos, tiras de banda desenhada ou posters com frases dos miúdos podem ser o presente perfeito já para este Natal
The world by them
©Mariana Castanheira Photography
Por Vera Moura |
Publicidade

Quando eram mais novas, as irmãs Cláudia e Joana riam-se muito quando chegavam a casa depois de fazer babysitting e contavam as peripécias e saídas dos miúdos de quem tomavam conta. Já na altura, comentavam: "Quando tivermos filhos, temos de arranjar maneira de guardar estes momentos."

Dito e feito. Quando Cláudia, psicóloga, ficou grávida, no início deste ano, desafiou Joana, designer, para criarem a The World by Them. "Os nossos produtos permitem aos pais congelar os melhores momentos da infância dos filhos. Começámos com os vídeos, depois as tiras de banda desenhada. São maneiras originais de representar a forma como os miúdos vêem o mundo", explica Cláudia. 

The World by Them

The world by them
©DR

Poster

As tiradas mais hilariantes dos miúdos acabam quase sempre esquecidas. Antes que eles cheguem à adolescência e só saibam dizer que os pais são uns chatos, emoldure aquelas saídas engraçadas. A The World by Them já imortalizou algumas como "Mãe, pode-me comprar a lua?", "Eu gostava de ser adulta para mandar nos mais novos" ou "Eu pedi um cão, não pedi um irmão..."

The world by them
©DR

BD

Numa tira apenas, com três quadradinhos, pode contar-se uma história muito engraçada, daquelas que os pais não querem esquecer para um dia contar aos netos. Como a do baptizado a que o Manel foi, quando tinha 4 anos. O miúdo ficou tão intrigado com o padre e as suas vestes de super-herói, que no fim perguntou: "Você voa?"

Publicidade
The world by them
©DR

Vídeo

"Se pudesses fazer uma regra, qual seria?"
"Toda a gente comer doces e chocolates."
As entrevistas duram cerca de uma hora e os pais não podem estar presentes. Só assim as crianças ficam à vontade para responder a perguntas como "Quem é mais divertido: o pai ou a mãe?"
O resultado é um vídeo de 10/15 minutos, onde se fala de política (quem vota no Presidente da República são os bebés, até aos 16 anos, garante o Sebastião), namorar ("Eu nunca quero fazer isso, é horrível", desabafa o Manel), quantas pessoas há no mundo (a Bárbara, de 6 anos, responde prontamente: "27!") e coisas patetas, como aquele amigo que tira macacos do nariz com a língua. Um género de cápsula do tempo que os pais podem ver e rever mesmo quando os filhos já forem crescidos (e sem graça).  

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com