0 Gostar
Guardar

Giuliano Carmignola: arrebatamento e elegância

Na segunda metade do século XVIII o barroco deu lugar a música mais amável e simples – o estilo galante. Mas este coexistiu com as nuvens tempestuosas e sombrias do Sturm und Drang – é desta mistura que trata o ciclo Tempestade & Galanteria

©Kasskara/DG

O genial violinista italiano apresenta-se na temporada Tempestade & Galanteria, no Palácio Nacional de Queluz, com a Accademia dell’Annunciata, em dois concertos, um dedicado à transição entre Barroco e Classicismo (quinta-feira 20), outro só com Beethoven (sábado 22), ao mesmo tempo que chega às discotecas o seu novo disco com a violinista Amandine Beyer e o ensemble barroco Gli Incogniti (Harmonia Mundi), que tem por tema os magníficos concertos para dois violinos de Vivaldi.

Para uma amostra do que será o concerto de dia 20, fica aqui um excerto do Concerto op.15 n.º1 de Felice Giardini (1716-1796) com Carmignola e a Accademia dell’Annunciata, dirigida a partir do cravo por Roberto Doni.

Para uma amostra do CD, eis o Concerto para dois violinos RV509 de Vivaldi com Giuliano Carmignola e Amandine Beyer como solistas e o ensemble Gli Incogniti.

Palácio Nacional de Queluz, quinta-feira 20 e sábado 22, 21.30, 10€.

Comentários

0 comments