Jan Garbarek Group

Música, Clássica e ópera
0 Gostar
Guardar

No final do século XX, o saxofonista norueguês parecia ter os dons da ubiquidade e da metamorfose, surgindo em numerosos discos da ECM, em contextos muito variados, desde o duo “neo-medieval- -folk-electrónico” com Agnes Buen Garnas, às incursões com o Hilliard Ensemble na polifonia renascentista. No século XXI, Garbarek reduziu a cadência de edição e tem- -se concentrado no Jan Garbarek Group, que gravou o primeiro disco em 78 e conheceu várias formações. Nos primeiros tempos, o baixista Eberhard Weber foi o único elemento fixo, mas desde o final dos 80s que os teclados de Rainer Brüninghaus marcam presença. O pelouro da percussão acabou por estabilizar, primeiro com Manu Katché e, depois, com Trilok Gurtu. Em 2009, a doença obrigou Weber a ceder o lugar a Yuri Daniel. O último CD, Dresden (2009), dá ideia do que se ouvirá no CCB: do jazz planante, ao jazz-rock enérgico, tingido de world music e por vezes perto da música de elevador.

José Carlos Fernandes

Publicado: