Um novo armazém para dançar em Lisboa

Fica no Village Underground e tem 150 metros quadrados à sua espera para dançar uma vez por mês

©DR

Em 2015, as Savages gravavam em segredo o videoclipe para “The Answer” em Lisboa e o local escolhido foi um armazém vazio no Village Underground, de que até então poucos tinham ouvido falar. “É um armazém de 150 metros quadrados junto aos contentores que também pertencem à Carris”, explica Mariana Duarte Silva, a responsável pelo Village Underground, que abriu portas há dois anos no Museu da Carris. “Esporadicamente usávamos o armazém para algumas festas ou para o nosso aniversário, para fazer exposições.”

Desde Novembro de 2016 que as festas no armazém são cada vez mais comuns e abertas a toda a gente. “Entrámos em contacto com a Carris para fazer obras e alugámos o espaço a tempo inteiro”, continua.

O atelier Aurora, responsável pelo projecto da livraria Ler Devagar, na LX Factory, ali mesmo ao lado, remodelou o espaço “sem vida” de maneira a transformá-lo “num clube preparado para festas e todo o tipo de performances artísticas.” A abertura oficial aconteceu a 12 de Novembro, apesar do espaço funcionar principalmente para “eventos corporativos”.

As festas, que num futuro próximo poderão acontecer “uma vez por semana”, prometem ser imperdíveis.

A primeira contou com os residentes Stereo Addiction e com os londrinos Andy Blake e Tom Gillieron, organizadores das noites techno Escape Velocity, e que deverão ser presença habitual por aquelas bandas.

“O objectivo é também ter um espaço onde possa programar festas em parceria com Londres, o que até agora ainda não tinha sido possível”, diz Mariana, referindo-se ao irmão mais velho, o Village Underground de Shoreditch, em Londres.

“Os melhores elementos de Londres, Berlim, Ibiza e Barcelona reúnem-se numa Lisboa solarenga, num sítio maravilhoso e inspirador”, lia-se no evento da festa no Facebook.

A próxima ainda não tem data marcada. “Estamos a equacionar a passagem de ano e por enquanto não temos nada agendado porque Dezembro é o mês forte de jantares de Natal e temos vários pedidos para os fins-de- semana”, adianta Mariana. “Ainda não conseguimos fechar nada mas avizinha-se uma boa passagem de ano.”

No armazém remodelado cabem perto de 350 pessoas e o melhor é que ali nunca deve ter problemas para estacionar. Basta entrar pelo museu e deixar o carro à porta.

Comentários

0 comments