A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
VU
©Rodrigo Perazoli

Academia de Música Urbana nasce este mês no Village Underground

O Village Underground fundou uma escola de música, entre contentores, autocarros e a salas de eventos. Chama-se Skoola e as aulas começam a 19 de Abril.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

A 19 de Abril nasce uma nova academia em Lisboa, não-formal e com um sistema de ensino integrador e pouco convencional. A Skoola vai abrir no Village Underground (VU), em Alcântara, e funcionar todos os dias entre as 17.00 e as 20.00. Destina-se a todos os jovens entre os 10 e os 18 anos.

A caminho dos sete anos de vida, o VU continua a tirar coelhos da cartola. Este que é um dos projectos mais criativos da cidade – alicerçado em contentores coloridos, autocarros empilhados e muita cultura – é agora o berço da Skoola – Academia de Música Urbana que nasceu do Acorde Maior, um ensemble fundado em 2018 e composto por 30 jovens da Área Metropolitana de Lisboa.

Village Underground
©Gustavo SerraAcorde Maior

O projecto da Skoola conta com artistas da comunidade VU, como a dupla Batida e Karlon, numa equipa que também inclui o pianista Filipe Sousa, mestre pela Guildhall School of Music & Drama; a percussionista Tânia Lopes, professora de instrumento nos colégios da Casa Pia de Lisboa; André Ferreira, professor de Formação Musical, Trombone e Canto na Escola de Música da Filarmónica Ressurreição de Mira; ou Rui Miguel Abreu, o consultor musical que terá por missão "partilhar, contar histórias, inspirar e dar dicas aos ‘Skoolers’ durante o seu percurso", explica Mariana Duarte Silva, co-fundadora e diretora do Village Underground Lisboa.

Aqui não há professores, diz a directora do VU. Há "muita gente com quem aprender, que organiza processos colectivos de aprendizagem e desenvolvimento musical, cujos protagonistas são os jovens que participam". A Skoola vai funcionar em dois contentores, um convertido em sala de ensaios com um set-up de banca com guitarra, baixo, bateria, teclas e voz e outro com quatro workstations de produção de música digital. Ao dispor estão ainda 20 instrumentos de percussão.

Village Underground
©do mal o menosSala no Village Underground

A aprendizagem depende do objectivo de cada aluno, num modelo de educação não-formal organizado em torno de três eixos: produção e DJing; criação e composição; e performance. A nova academia promove a diversidade e a liberdade artística, enquanto os jovens são desafiados a descobrir o seu potencial musical e a sua identidade artística. Ao mesmo tempo, a Skoola quer contribuir para aumentar a auto-estima, a confiança e o sentimento de pertença de todos os participantes. 

A Skoola funciona por diferentes Ciclos com a duração de dois ou três meses e que podem ser frequentados avulso. Os participantes podem escolher duas sessões por semana (90€/mês) às terças e quintas-feiras ou três sessões (120€/mês) às segundas, quartas e sextas-feiras, sendo que a única separação que é feita é por idades. Os mais novos, dos 10 aos 13 anos, praticam entre as 17.00 e as 18.15 e os dos 14 aos 18 anos das 18.30 às 19.45. A cada Ciclo é desenvolvido um Projecto Musical que termina com um espectáculo de apresentação ao público. O primeiro de muitos ciclos arranca a 19 de Abril, terminando a 18 de Junho. 

Mas o calendário também prevê Bootcamps de cinco dias, com o primeiro marcado para o Verão de 2021, um formato mais curto dos Ciclos Skoola. Aos alunos que não tenham possibilidades financeiras são atribuídas bolsas de estudo, tanto para os Ciclos como para os Bootcamps.

Village Underground
©Gustavo SerraAcorde Maior

Uma academia diferente, criativa e ambiciosa, ou, nas palavras de Mariana Duarte Silva, "uma ‘Fame x School of Rock x Red Bull Music Academy x Orquestra’ que um dia vai fazer a primeira parte do concerto da Beyoncé no Coachella".

+ Leia a edição desta semana: Sonho de menina

+ Os workshops e cursos online que pode fazer em casa

Últimas notícias

    Publicidade