A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cereja do Fundão
© DR

Cereja do Fundão é servida em 24 restaurantes lisboetas até Julho

Chegou a época da cereja boa e docinha. A região do Fundão é a principal produtora e promotora do fruto e levou-o até alguns restaurantes de Lisboa e Porto até 4 de Julho.

Por
Ines Garcia
Publicidade

Não é muito comum encontrar cerejas nas cartas dos restaurantes de Lisboa e Porto – e isso, na verdade, é bom sinal. Afinal, é um fruto sazonal e a sua doçura e rigidez só é garantida em alguns meses do ano. Mas quando aparecem, aparecem em bom e com uma boa dose de criatividade. Até 4 de Julho, pode provar pratos doces e salgados em vários restaurantes das duas cidades graças à rota gastronómica da cereja do Fundão, promovida pela autarquia há quase uma década.

Há cereja boa no Douro, Minho, Trás-os-Montes e Beira Interior, mas a região mais produtiva e que tem feito o maior trabalho de divulgação da fruta é esta última, especialmente o município do Fundão, cuja campanha da cereja rechonchuda e sumarenta soma e segue ano após ano. Em 2021, ano em que o Instituto Nacional de Estatística prevê que a produção de cereja triplique face ao ano anterior, estrearam uma plataforma de venda online de cereja e outros produtos do concelho, como licores, chás e infusões, doces ou aguardentes e a possibilidade de apadrinhar cerejeiras – com 20€ ganha uma afilhada e recebe dois quilos de cerejas (se teve um bebé em Junho, o apadrinhamento fica gratuito). Depois, ao longo da vida, como bom padrinho, pode e deve visitá-la e ir colhendo os frutos.

Cerejas Fundão
DRMousse de chocolate, sorbet de cereja e cerejas em pickles n'o Frade

Bonitas e inspiradoras, as cerejas fizeram nascer pratos e sobremesas especiais e de edição limitada em restaurantes de Lisboa e Porto, mostrando as potencialidades do fruto para além do básico “peguei, trinquei e meti-te na cesta”. Na capital há 24 restaurantes que aceitaram o desafio. Há junções improváveis, como a de João Sá no Sála, com a cereja do Fundão a juntar-se a queijo de cabra e molho de ginja e alecrim (inserida no menu Mercado, com entrada, três pratos e sobremesa, a 41€), ou a de Pedro Pena Bastos, no Cura, no Ritz Four Seasons Lisboa, que casa presa de porco alentejano com beterrabas, cereja, fígado de aves e laranja amarga (o prato faz parte do menu Meia Cura, 95€ por pessoa). O chef Vítor Sobral está a servir uma sardinha frita com arroz de tomate, cereja e manjericão (18,50€) na Tasca da Esquina, e Luís Gaspar, na Sala de Corte, fez dois pratos: um tártaro de vaca maturada com cerejas e avelã (6€) e uma Floresta Negra com cerejas (6€). Para finalizar a refeição tradicional portuguesa n’O Frade, Carlos Afonso tem agora uma mousse de chocolate, sorbet de cereja e cerejas em pickles (5€). No Zunzum, Marlene Vieira serve parfait de iogurte com cereja (5€) e no The Oitavos há clafoutis com gelado de baunilha (6€).

Cerejas Fundão
DRPresa de porco alentejano com beterrabas, cereja, fígado de aves e laranja amarga do Cura

No Norte, foram dez os restaurantes que puseram as mãos na fruta. O chef Vasco Coelho Santos desenvolveu vários pratos: juntou o lírio à cereja no Euskalduna (um dos dez momentos do menu de degustação, 105€), pôs atum com um gaspacho fresco de cerejas na carta do Semea (35€, num menu de seis pratos), casou cerejas com espargos brancos e sabugueiro no Fava Tonka e serve cereja com pistáchio e iogurte (7€) no Almeja. Rui Paula, nos seus restaurantes DOP, DOC e Casa de Chá da Boa Nova tem um prato com cereja e kefir, cereja e foie e cereja e pistáchio.  

“Estas iniciativas pretendem divulgar o produto de excelência que mais dinamiza economicamente a nossa região, e que promove o Fundão dentro e fora do país. Estas actividades ligadas ao turismo e à gastronomia, inspiradas na cereja, têm trazido, ano após ano, uma maior valorização de um produto já tão reconhecido pela sua qualidade”, refere Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão. Desta rota gastronómica já ficaram eternizados produtos como o pastel de cereja ou o vinagre balsâmico. 

Em não podendo ir até ao Fundão nas férias, mas inspirado pela criatividade dos chefs nacionais, pode encomendar as cerejas da terra (10€ uma cesta com dois quilos) e fazer o seu próprio prato – o município lançou um livro de receitas com a fruta, uma compilação das criações da Escola Profissional do Fundão nos últimos anos.

+ Sobremesas ao domicílio em Lisboa

+ Leia aqui a Time Out Portugal desta semana e planeie a sua viagem às ilhas

Últimas notícias

    Publicidade