A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
anjos70, anjos
Fotografia: Manuel Manso

Colectivo PROMETEU leva 30 artistas emergentes aos Anjos70

Este fim-de-semana, o colectivo PROMETEU leva 30 artistas emergentes, muitos deles queer, aos Anjos70. Em Outubro é a vez do Porto.

Por Clara Silva
Publicidade

Levar o fogo dos deuses a toda a gente é um dos objectivos do colectivo PROMETEU, com nome inspirado na mitologia grega. Com “fogo dos deuses” querem dizer os trabalhos de artistas e criativos com menos visibilidade, mas a transbordar de talento. É isso que nos prometem para este fim-de-semana, nos Anjos70, em Lisboa, onde o colectivo se estreia na organização de um evento com essa premissa. A entrada é gratuita.

Nádia Ferreira, Pedro Cadilhe e André Miguel (mais conhecido pelo seu nome artístico Lisboeta Italiano), artistas queer ligados à fotografia, juntaram-se em 2019 e decidiram criar o PROMETEU com o intuito de organizar um “encontro anual entre criativos”, conta Pedro. Mais do que isso, de criar um “ponto de encontro e uma oportunidade de aproximar a comunidade entendida e a comunidade leiga da arte com os autores das peças”, continua o artista do Porto.

Sem qualquer apoio financeiro, planearam o evento em plena pandemia e organizaram-no com fundos dos seus próprios bolsos, mesmo que isso significasse “transportar peças do Porto até Lisboa”, conta Pedro, desempregado desde Março.

No sábado e no domingo, o PROMETEU estreia-se nos Anjos70 com trabalhos de 30 artistas de várias áreas, incluindo peças dos fundadores do colectivo. Todos se inspiraram no mesmo tema: “A importância de acreditar no desconhecido”, diz Pedro.

Phoebe, Carolina Sepúlveda, Eric Hanu, David Gonçalves, Carolina Ribeiro, Bruno Huca, Júlio Dolbeth, Telma João Santos, João de Botelho, Cinza Nunes, João Augusto, Marta Múrias, Melissa Pereira, Teresa Coutinho, Bruno Manso e Yizhaq são alguns dos nomes desta primeira edição, com trabalhos que vão da performance à instalação, videoarte, música, escultura, ilustração, pintura e até à poesia. Muitos deles são artistas queer. “Queremos dar voz a pessoas que são minorias”, explica Nádia Ferreira. “Queremos que o trabalho delas seja exposto, que tenha oportunidade.”

Fugir à norma é uma das preocupações do colectivo e não é por acaso que os trabalhos artísticos não vão estar numa galeria e sim em “sítios que fogem à norma dos espaços convencionais”, sublinha Pedro. No Porto, o PROMETEU acontece a 16 e 17 de Outubro e está integrado no festival Queer Porto. A norte, mantém-se a programação mas o evento acontece num registo de roteiro, com vários espaços da cidade a acolher os diferentes trabalhos artísticos.

Anjos70. Regueirão dos Anjos, 70. Sáb e Dom 15.00. Grátis.

+ Leia, grátis, a Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade