A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
MEL
Gabriell Vieira

Escolas e discotecas fecham entre 2 e 9 de Janeiro e certificado volta a ser exigido nos restaurantes

As novas medidas para travar a evolução da pandemia de Covid-19 foram anunciadas depois da reunião do Conselho de Ministros esta quinta-feira.

Escrito por
Joana Moreira
Publicidade

As máscaras voltam a ser obrigatórias nos espaços fechados e os certificados digitais voltam a ser exigidos em vários lugares e situações. São apenas duas das medidas anunciadas hoje pelo Governo para controlar o avanço da quinta vaga da pandemia de Covid-19 e que entram em vigor já na próxima semana. 

"A sociedade portuguesa deve aprender com o exemplo do ano passado", disse o primeiro-ministro, António Costa, a partir do Palácio da Ajuda e após a reunião do Conselho de Ministros que aconteceu na manhã desta quinta-feira. Para evitar o "trágico" Janeiro de 2021, o Governo apresentou medidas com base em três eixos: máscaras, certificados e testes. 

A partir de 1 de Dezembro, as máscaras passam a ser obrigatórias em todos os espaços fechados que não sejam excepcionados pela Direcção Geral de Saúde. O certificado digital passa a ser exigido para frequentar restaurantes, estabelecimentos turísticos, eventos com lugares marcados e ginásios. Já os testes passam a ser obrigatórios em grandes eventos sem lugares marcados, em recintos improvisados, recintos desportivos cobertos ou ao ar livre e ainda nas discotecas e bares.

As restantes medidas anunciadas pelo Governo concentram-se entre os dias 2 e 9 de Janeiro. Durante este período, a que António Costa designou por "semana de contenção", o teletrabalho passa a ser obrigatório e as discotecas têm ordem para encerrar. O calendário escolar deverá retomar apenas a 10 de Janeiro.

No mesmo discurso, António Costa reforçou a necessidade de auto-testes, nomeadamente antes e após as reuniões familiares típicas da quadra festiva.

+ Leia a edição digital da Time Out Portugal desta semana

+ Carlos Moedas: “A renda acessível não pode continuar a ser um totoloto”

Últimas notícias

    Publicidade