A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Corymbia ficifolia
Helena Galvão Soares

Eucalipto de flor vermelha – uma árvore rara para ver à beira-Tejo

Só há cerca de 100 exemplares identificados em Portugal, pelo que é considerado uma espécie rara. Este não está classificado e, por isso, está em permanente risco.

Escrito por
Helena Galvão Soares
Publicidade

Espécie considerada rara em Portugal sendo a sua proteção legal essencial à conservação de uma espécie da qual só existem cerca de 100 exemplares em Portugal, árvore de rara beleza na época da floração e de elevado valor botânico e paisagístico, contribuindo para o valor cénico do espaço, diz o Diário da República que classifica como arvoredo de interesse público o eucalipto de flor vermelha (Corymbia ficifolia) do Parque Bensaúde, em Benfica.

Este, que podemos ver perto da Cervejaria Portugália do Cais do Sodré, à beira-rio, não está classificado e portanto corre o risco de um dia poder ser abatido por alguém que desconheça a sua raridade e beleza. Esclareça-se que este não é o caso do bar/restaurante Lust in Rio, onde a árvore se encontra. Quando o  Meninos do Rio original foi criado, o proprietário encheu a esplanada das árvores que ainda lá se encontram, e é de realçar que a vedação foi construída de forma a dar espaço ao eucalipto. Mas a verdade é que, sem classificação, esta Corymbia ficifolia fica dependente da sensibilidade de um futuro proprietário.

Corymbia ficifolia
Helena Galvão Soares

O eucalipto de flor vermelha (Corymbia ficifolia ou Eucalyptus ficifolia) deve o seu nome às espectaculares flores vermelhas-alaranjadas de centro verde-vivo que nascem em cachos também bastante exuberantes (as bolinhas vermelhas e brancas da foto). É nativo da Austrália e pode atingir 15 metros de altura e 8 de diâmetro de copa. 

Em Lisboa, pode ver mais duas Corymbia ficifolia: uma, classificada de interesse público, no Parque Bensaúde (talhão poente), na Estrada da Luz; outra, no Jardim Botânico da Universidade de Lisboa (no Arboreto, junto ao Lago do Meio, canteiro 13), na Rua da Escola Politécnica.

A floração dá-se durante todo o mês de Julho, portanto apresse-se a ir contemplar o espectáculo nas próximas semanas.

+ Leia, grátis, a edição desta semana da Time Out Portugal

+ Dom Sebastião regressou ao Rossio – num belo dia de sol

Últimas notícias

    Publicidade