Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Festival gastronómico brasileiro promete fartura de jantares especiais
Notícias / Comida

Festival gastronómico brasileiro promete fartura de jantares especiais

Espaço Espelho D'água
©Leandro Miranda

Festival brasileiro Fartura regressa a Lisboa de 14 a 17 de Novembro. Espaço Espelho d’Água, em Belém, recebe almoços com chefs, mesa redonda e exposição audiovisual.

Pirão, capote, caju, broa de fubá ou caldo de mel de engenho com cachaça, temperos do Pará. Deste lado do Atlântico é provável que ainda não tenha dado de caras com estes pratos e ingredientes, mas é essa falha que o Festival Fartura quer colmatar, aproximando e celebrando gastronomia brasileira e portuguesa. É a terceira edição do festival de gastronomia brasileiro, que se dedica a pesquisar tradições e costumes gastronómicos do Brasil. 

Entre 14 e 17 de Novembro, três chefs brasileiros vão estar no Espaço Espelho d’Água a explicar o que estes pratos têm de especial e a dá-los a conhecer – e a provar. No dia 14 às 10.00 há logo uma mesa redonda com Luiza Fecarotta, curadora gastronómica do projecto Fartura, Teresa Vivas, activista na Mesa Cultura Gastronómica e os chefs João Lima, Flávio Trombino e Marina Araújo, onde serão abordados os elos de ligação entre a gastronomia portuguesa e brasileira, bem como influências e as principais diferenças entre elas (entrada livre). Cada um destes chefs servirá depois, nos dias seguintes, uma refeição que mostra o melhor dos seus estados. “Os três chefs selecionados para levar os sabores do Brasil à Europa têm uma ligação visceral com a gastronomia de seus respectivos Estados”, justifica Luiza Fecarotta.

A 16, sábado, começam as degustações. Ao almoço, o chef Flávio Trombino, do restaurante mineiro Xapuri, vai trazer de Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais, um prato com o fruto jabuticaba e queijo canastra, este último considerado Património Cultural Imaterial do Brasil, secreto de porco com farofa de baru, a castanha nativa do Brasil, ou a broa de fubá, feita com milho – o milho, apontam em comunicado à imprensa, é um produto muito utilizado em Minas Gerais, tendo sido introduzido na culinária brasileira pela mão de portugueses.

Ao jantar é a vez de Paulo Anijar, chef do Santa Chicória, servir sabores mais exóticos, do Pará. 

No domingo, dia 17, Marina Araújo, chef da franquia de comida saudável Club Life to Go – actualmente a viver na cidade do Porto, onde está à frente do Club Life – vai mostrar o que se come no Ceará. Neste almoço servirá o pirão de água do mar, cozinhado com um caldo rico de peixe e farinha de mandioca, um arroz sertanejo de carneiro e capote e ainda uma sobremesa que tem como ingrediente principal a castanha de caju, ou não fosse este um símbolo do Estado do Ceará.

Durante os três dias do festival, entre as 11.00 e as 00.00, poderá assistir à mostra audiovisual “Fartura – Da Origem ao Prato”, o resultado da visita a todos os estados brasileiros e algumas regiões portuguesas para pesquisar e mapear a gastronomia dos países – em Portugal passaram pela Quinta do Medronheiro, pelo arquipélago das Berlengas, Algarve, Beira Baixa, Serpa ou Viseu.

Para participar nestes jantares ou almoços, é obrigatório fazer reservas através do email info@espaçoespelhodeagua.com ou pelo 21 301 0510. 

Durante este ano, o festival Fartura já passou por Belém, Brasília, São Paulo, Tira Dentes, Porto Alegre ou Fortaleza. Lisboa é a última paragem.

+ Sítios para comer comida brasileira em Lisboa

Publicidade
Publicidade