A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Underdogs
Fotografia: Francisco Romão Pereira / Time Out

“I don’t wanna be, I am”: das ruas para a parede da Galeria Underdogs

A Galeria Underdogs em Marvila tem duas novas exposições para visitar até ao final de Maio. A entrada é gratuita.

Escrito por
Joana Moreira
Publicidade

A Galeria Underdogs, em Lisboa, inaugura esta sexta-feira, 1 de Abril, duas exposições: “I don’t wanna be, I am”, uma exposição colectiva de nove artistas espanhóis e argentinos, e “La Folie des Grandeurs”, mostra individual do artista francês Julien Raffin. Ficam ambas patentes até 21 de Maio.

A exposição colectiva tem a curadoria de Ink and Movement (IAM), um estúdio criativo com sede em Madrid que desenvolve projectos culturais e gere a carreira de vários artistas. No espaço principal da Underdogs exibem-se obras de Elian Chali, Franco Fasoli, Martí Sawe, Misterpiro, Nano4814, Okuda San Miguel, Sabek, Sixe Paredes e Spok Brillo. “Criadores que apesar dos seus percursos distintos e trabalhos únicos e individuais, partilham uma visão criativa transversal”, lê-se no texto de parede.

“A ideia com esta exposição é mostrar as diferentes linguagens num grupo de artistas que são da mesma geração e que têm em comum terem começado na rua a fazer murais e graffiti”, explica à Time Out Alejandra Kreisler, do IAM. 

Underdogs
Francisco Romão Pereira / Time Out

É o caso de Okuda San Miguel, “provavelmente o mais conhecido, o mais internacional, que tem feito mais murais pelo mundo”, diz Kreisler. O artista espanhol ganhou notoriedade quando, em 2015, pintou uma antiga igreja abandonada no norte de Espanha. “Entretanto tem feito colaborações com marcas como a Apple, Porsche, e muitas outras e tem tido espectáculos em museus”, adianta. 

Esta não é a primeira vez que o artista expõe na galeria portuguesa – fê-lo em 2014 e, depois, em 2016 com a mostra individual “New Coliseum”. Desta vez, traz uma obra de pintura em que se destacam, uma vez mais, “os padrões coloridos e todas as formas geométricas”, refere Alejandra Kreisler. “Acho que é a principal característica que o torna tão reconhecível", remata a responsável

A exposição “I don’t wanna be, I am” tem um carácter itinerante. Antes de chegar a Lisboa já tinha passado por Hamburgo e Miami. Da capital portuguesa partirá para Los Angeles e, depois, para o Dubai. 

Underdogs
Francisco Romão Pereira

Já no espaço Cápsula, o artista Julien Raffin dá continuidade à série “La Folie des Grandeurs”. Numa exposição individual com o mesmo nome, o artista francês – que há poucos meses fez uma intervenção no espaço público da cidade, com um mural na Estação de Santos – continua a sua reflexão sobre a evolução e o progresso industrial. 

Rua Fernando Palha, Armazém 56 (Marvila). 1 Abr-21 Mai. Ter-Sáb 14.00-19.00. Entrada livre.

+ Estação de Santos ganhou um mural. “É importante tornar a arte inclusiva e acessível”

+ Leia aqui a edição desta semana da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade