A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Jardim Botânico Tropical
Fotografia: Inês Félix

Jardins Botânicos da cidade reabrem ao público com novas regras

Entre as novas medidas está a suspensão dos períodos de gratuitidade de ambos os espaços, evitando assim aglomeração de pessoas.

Por
Francisca Dias Real
Publicidade

Depois de um longo período de confinamento e sem ser possível permanecer em jardins, o Museu Nacional de História Natural e da Ciência anunciou a reabertura a partir desta terça-feira, dia 16, do Jardim Botânico de Lisboa (JBL) e do Jardim Botânico Tropical (JBT). As regras de segurança voltam a apertar.

O decreto-lei n.º 4/2021, publicado em Diário da República no sábado, dia 13, prevê agora “a permanência em parques, jardins, espaços verdes e espaços de lazer, bancos de jardim e similares, sem prejuízo das competências dos presidentes de câmara municipal”. Perante a decisão do Governo, o MUNHAC optou por reabrir os jardins sob a sua tutela, tanto o do Príncipe Real como o da Ajuda. 

Para que os visitantes estejam em segurança nos espaços foram decretadas algumas regras relativas ao acesso aos jardins, começando pela alteração dos horários que passam a ser entre as 10.00 e as 17.00. 

Além disso, à entrada é medida a temperatura corporal a todos os colaboradores e visitantes, e a circulação tem de ser feita com distância física mínima de dois metros. Nos espaços podem entrar apenas grupos até cinco pessoas, sendo o número máximo de visitantes no Jardim Botânico de Lisboa de 80 pessoas e de 120 no Jardim Botânico Tropical. 

O uso de máscaras é obrigatório no acesso à bilheteira do JBL e nas casas de banho dos dois jardins. Serão também suspensos os períodos de gratuitidade ao domingo, no JBL, e à segunda, no JBT.

Apesar de os jardins abrirem portas, o Museu Nacional de História Natural e da Ciência manter-se-á encerrado até dia 5 de Abril.

+ Quais são as datas para desconfinar na cultura? Festivais em suspenso

+ Leia grátis a Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade