A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Claras em Neve
Mariana Valle Lima

Na Claras em Neve, só a imaginação e o tamanho da gulodice são o limite

Bolos de festa, cookies, brownies e brigadeiros são algumas das especialidades desta confeitaria virtual que nasceu em plena pandemia.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Na cozinha da confeitaria Claras em Neve, que fica num hub da Câmara Municipal da Amadora onde se encontram vários negócios, está tudo arrumado e limpo. Não há farinha pelo ar, bancadas pingadas, formas sujas ou tudo o que se possa imaginar de uma confeitaria quase sem mãos a medir. É assim porque ao fim de um ano, Clara Luna e João Portela tiraram uns dias para descansar antes de se atirarem à nova época que se aproxima – até já falam em Natal. Apesar de ter nascido na pandemia, entre confinamentos, os bolos, os brownies, os brigadeiros e as cookies da Claras em Neve já começam a dar que falar. 

Estes dias foram tirados para descansar, mas nem assim Clara e João deixam de ir à cozinha onde o sonho de terem o seu próprio negócio de bolos se materializou. Seja para tratarem de bolos encomendados, seja para darem entrevistas, como esta. O caminho até aqui foi demasiado difícil para se conseguirem desligar.

Claras em Neve
Mariana Valle Lima

Se Clara já se tinha aventurado com uma confeitaria com o mesmo nome no Brasil, João nunca tinha feito nada do género. Os dois conheceram-se no curso de Gestão e Produção de Pastelaria, em Lisboa, e dos trabalhos de grupo e um estágio no Cascade Wellness Resort, em Lagos, nasceu a vontade de fazer alguma coisa. Quando a pandemia nos obrigou a todos a ir para casa, João estava prestes a assinar contrato com um restaurante e Clara seguia o mesmo rumo. 

“De repente fechou tudo e nós pensámos que não podíamos ficar parados. Tínhamos de fazer alguma coisa e as coisas acabaram por acontecer de forma muito natural”, diz João, que antes de se dedicar aos doces era músico profissional. “Já fazia sobremesas em casa, mas eram banais”, conta, lembrando que não sabia nada sobre pastelaria. “Na primeira aula, quase chorei a um canto.” No final, acabou no quadro de mérito da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa. Clara, que tinha trocado o Brasil por Portugal, não lhe ficou atrás. 

Claras em Neve
Mariana Valle Lima

“A gente se escolheu”, afirma, ao mesmo tempo que recorda os dias de incerteza que a covid impôs, servindo de motor para a Claras em Neve. “Um dia ela ia para minha casa, outro dia íamos para um café, outro dia para outro café. Todos os dias, trabalhámos horas seguidas para o projecto seguir. E estava tudo muito fresco na nossa cabeça por causa do curso”, explica a confeiteira.

Abrir uma loja está nos planos desde o início, mas Clara e João não quiseram dar um passo maior do que a perna e optaram por criar uma confeitaria virtual. Mas começar em casa nunca esteve em cima da mesa. Era importante profissionalizar, mostrar que a Claras em Neve é mais do que bolos caseiros. “Queremos apresentar coisas finas, com técnicas”, aponta Clara. “Treinamos muito, não parámos de estudar, testamos, tentamos criar outras coisas.”

A montra é o Instagram (@clarasemneveconfeitaria). É por lá que vão mostrando os seus doces e foi por lá que, nestes meses, foram começando a dar nas vistas. “Sentimos que cada vez mais as pessoas vão conhecendo a Claras em Neve, há muito o passa-palavra”, conta João. 

Claras em Neve
Mariana Valle Lima

No menu desta confeitaria, que está disponível na Uber Eats e na Glovo mas também oferece entrega própria, o destaque talvez vá para os bolos de festa, cujas possibilidades são infinitas. Além dos bolos pré-definidos como o lima-limão e blueberry (25€/12 fatias, 35€/18 e 50€/26), o red velvet (25€/10 fatias, 35€/16 e 50€/24), ou o bolo parabéns, no qual a decoração é sempre igual, mas a massa, o recheio e a cobertura ficam ao gosto do cliente (42€/12 fatias, 63€/18 e 75€/26), há a possibilidade de pedir bolos personalizados, em decoração, massa, recheio e tamanho. “Nós vamos atrás do que o cliente quiser.”

Além disso, e porque um bolo cai sempre bem e não precisa haver festa para o justificar, Clara e João fazem ainda “bolos da avó”, que é como quem diz bolos mais caseirinhos, perfeitos para um lanche com a família ou entre amigos. Entre os sabores disponíveis, há bolo de maçã com canela ou bolo de banana caramelizada com canela (22€). 

Claras em Neve
Mariana Valle Lima

E os doces não se ficam por aqui: os brigadeiros são uma tentação (1,20€ a unidade), as cookies, tradicionais ou recheadas (3,20€ ou 3,80€), têm um tamanho tão generoso que dá para partilhar, tal como os brownies de vários sabores (4,5€). Para quem não quer sujar as mãos, há brigadeiros no potinho (4€) e bolos de pote (6,5€). 

O menu está disponível online e tudo o que Clara e João pedem é que o pedido seja feito com 48 horas de antecedência. Em breve, haverá novidades a acompanhar a estação e, mais para a frente, os doces de Natal, que estão já a ser estudados. E como a confeitaria está em festa, de 31 de Agosto a 30 de Setembro, há uma oferta de brigadeiros para acompanhar o bolo “parabéns" ou o bolo confetti, os mais festivos, com 25% de desconto.

+ No Dahlia, os pratos sazonais e o vinho natural acompanham a música (e não o contrário)

Últimas notícias

    Publicidade