A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

No novo bar da cidade há mais de 100 cervejas à escolha

Por Clara Silva
Publicidade

Chama-se Canil e vende-se no bar com o mesmo nome, que abriu há menos de um mês na Baixa. Aqui pode adoptar novas cervejas artesanais na sua vida e há mais de 100 à escolha.

Leandro Claro costumava fazer cerveja num antigo canil abandonado, em casa dos pais, no Rio de Janeiro. O que começou como um hobby para servir em “aniversários e churrascos com os amigos todos”, conta a mulher, Ariane Monteiro, também brasileira, transformou-se num trabalho a tempo inteiro quando o casal decidiu mudar-se para Lisboa para uma nova vida.

Há três semanas abriram o Canil, um bar dedicado à cerveja artesanal na Rua dos Douradores, em plena Baixa, uma homenagem ao tal canil no Rio onde tudo começou. Das 32 torneiras disponíveis no bar, seis são dedicadas à sua própria cerveja, com a receita que começaram no Brasil e que foram aperfeiçoando até chegarem à Canil, produzida numa fábrica em Setúbal e noutra em Queluz. 

Duarte Drago

“Descobrimos que abrir uma fábrica não é tão fácil assim”, conta Ariane. “A gente aluga as instalações porque seria uma infraestrutura enorme [montar uma fábrica própria].” Há seis cervejas Canil (Weiss, IPA, Belgian Blonde Ale, Red Ale, New England IPA e Russian Imperial Stout), a começar nos 2 euros (20 cl) e a acabar nos 5 euros (47 cl). Outras seis das torneiras são cervejas internacionais “mais consensuais”, como a Delirium Tremens ou a Brewdog Punk IPA.

As restantes 20 são cervejas artesanais portuguesas escolhidas a dedo. “Tentamos escolher a melhor representação portuguesa por estilo.” Por exemplo, a Ginja Ninja da Mean Sardine, a Saison O’Connor da Musa, a Vila Iolanda da Oitava Colina ou a Simbiose da Post Scriptum.

Duarte Drago

Além destas, há uma enorme lista de cervejas de garrafa, para consumir ali ou para levar para casa. Outra das apostas da casa são os petiscos, pequenos devaneios culinários, chamemos-lhe assim, com interpretações da cozinha portuguesa como os pastéis de nata brandade de bacalhau (3€), pastéis de nata recheados de bacalhau e béchamel. Ou o fish ‘n’ chip à lisboeta (9€), carapaus panados com batatas fritas.

A ideia é que num futuro próximo “pequenos produtores de cerveja artesanal”, diz Ariane, venham ao Canil apresentar as suas próprias criações.

Canil, Rua dos Douradores, 133 (Baixa). Seg-Dom 11.00-02.00.

Os melhores gastropubs em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade