Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right NOTE transforma-se na primeira galeria privada de arquitectura de Lisboa
Notícias / Vida urbana

NOTE transforma-se na primeira galeria privada de arquitectura de Lisboa

NOTE galeria de arquitectura
fotografia: Inês Félix

Inaugurada a 19 de Outubro, a NOTE é a primeira galeria de arquitectura privada de Lisboa. O novo espaço cultural do Bairro Alto, com direcção e curadoria de Bárbara Silva, fica no número 32 da Travessa da Cara. 

A galeria de arquitectura é a mais recente proposta da NOTE. Fundada em 2010 pela arquitecta, esta plataforma cultural independente, mais conhecida entre o público pelas "Temporadas de Arquitectura", inaugura agora um espaço físico permanente dedicado à divulgação e debate da arquitectura. 

A paixão pela cidade e pela profissão levaram esta arquitecta, que vive entre o Rio de Janeiro e Lisboa, a concretizar o desejo de ver nascer “um espaço dedicado à divulgação e ao debate sobre a arquitectura e o seu papel na construção da dinâmica das cidades e da sociedade”.

“Um dos nossos objectivos é aproximar o arquitecto da sociedade, promovendo diálogos e empatias para a construção de um pensamento crítico sobre o papel e a importância da arquitectura na sociedade", disse a directora da NOTE à Time Out, por escrito.

A pequena galeria, localizada perto do Miradouro de São Pedro de Alcântara, procura tirar das instituições e levar para a rua a consciência do papel da arquitectura na qualidade de vida das pessoas. Bárbara explica que “abrir um espaço no centro da cidade seria a estratégia ideal de aproximação com um público diversificado. Um espaço onde as pessoas que passam na rua tenham curiosidade de entrar, de saber um pouco mais sobre o que está acontecendo ali”.

A exposição inaugural, intitulada “Estudo Para Algum Projecto”, é dedicada à arquitecta carioca Carla Juaçaba. Expostas até 19 de Janeiro, as obras de Juaçaba representam a vontade de reduzir a prática arquitectónica a três componentes essenciais – espaço, material, e estrutura – que dialoguem perfeitamente com a natureza e revelem a essência do espaço envolvente. Após o sucesso da inauguração, que contou com cerca de 180 visitantes, será lançada brevemente uma programação composta por quatro exposições anuais (das quais podemos adiantar nomes como Eduardo Souto de Moura, Ricardo Bak Gordon ou Atelier Rua), acompanhadas de debates, tertúlias, cinema ou lançamentos de livros, dinamizados em conjunto com artistas e pensadores contemporâneos da área. Texto editado por Hugo Torres

Travessa da Cara, 32. Até 19 de Janeiro. Qua-Sáb 15.00-20.00. Entrada livre.

+ Galerias de arte em Lisboa:um roteiro alternativo

Publicidade
Publicidade