A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cesária Évora
Silvio Tanaka/Creative CommonsCesária Évora

‘Sodade’: Cesária Évora vai ser retratada numa série musical

Hugo Diogo assina a realização com Alain Gomis e o argumento com André Mateus. A cantora será interpretada pela actriz cabo-verdiana Eliana Rosa.

Escrito por
Hugo Torres
Publicidade

“Uma série poema”. É assim que a produtora Lanterna Filmes apresenta Sodade, série sobre a cantora cabo-verdiana Cesária Évora, cuja rodagem está prevista para o primeiro trimestre de 2022. O projecto é de Hugo Diogo, realizador de filmes como Marginais (2010) ou Imagens Proibidas (2018). Ainda não há data de estreia nem canal de exibição.

“Ainda não temos uma data de estreia e relativamente ao canal ainda não está contratualizado, pelo que não podemos ainda confirmar essa informação”, adiantou à Time Out, por escrito, a Lanterna Filmes, produtora de Hugo Diogo. No entanto, o realizador disse à Lusa que o projecto foi proposto à RTP, tendo em vista a exibição da série na estação pública (aguarda resposta). E revelou, também à agência de notícias, que Sodade terá um orçamento de 2,4 milhões de euros e co-produção argentina, pelo menos (estão em negociações com possíveis outros parceiros nos EUA e em França).

Sodade será filmada entre o Mindelo, em Cabo Verde, Lisboa e Paris, para retratar toda a vida de Cesária Évora ao longo de oito episódios. A série, revela a produtora em comunicado, “conta a história da diva cabo-verdiana de uma forma verdadeira, assim como ela o era”, embora com a liberdade de se tratar de uma ficção. “Uma série de ficção musical, inspirada na vida e percurso artístico da cantora cabo-verdiana”, para citar a mesma nota.

Sodade é uma série poema e, assim como o género musical que define a morna, é uma série de brandos ritmos, com uma acção paulatina, subtilmente marcada por algum surrealismo e alguma fantasia”, lê-se ainda. “Com uma inevitável base dramática, e contemplativa, também incontornável, tudo serve numa alusão àquilo que a música de Cabo Verde representa: o querer, o partir, a morte, a saudade, o regresso, a vida como um sonho, a vida é um sonho musical.”

Hugo Diogo é o showrunner, partilhando a realização com o franco-senegalês Alain Gomise (Félicité) e o argumentista com André Mateus, guionista com quem já tinha trabalhado no filme Ladrões de Tuta e Meia (2019) e na minissérie Fernão Lopes: A História de Um Soldado Desconhecido, ainda sem data de estreia na RTP. O elenco ainda não está completamente fechado, mas a protagonista já está escolhida: a jovem actriz cabo-verdiana Eliana Rosa Lopes (que em 2022 também estará em Manga da Terra, curta-metragem de Basil da Cunha).

+ RTP Play passa a estar disponível na televisão

+ Leia a edição digital da Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade