A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
ciclo trás-os-montes
Fotografia: Filipa Mesquita/ Urze Teatro

Trás-os-Montes desloca-se para a Malaposta com música, cinema, dança e teatro

Ciclo de três dias concentra talento transmontanos em Odivelas. Haverá sessões de cinema, teatro de marionetas, dança e um concerto.

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

Neste ano atípico, em que as viagens para o estrangeiro foram adiadas e as deslocações dentro do país ainda são limitadas ou feitas a medo, o Centro Cultural da Malaposta, em Odivelas, propõe um ciclo de cultura dedicado a Trás-os-Montes entre 16 e 18 de Outubro. A programação inclui música, dança, teatro para a infância e sessões de cinema, com propostas de João Canijo e Miguel Moraes Cabral.

O Ciclo Trás-os-Montes arranca na sexta-feira, 16 de Outubro, às 21.30, com a projecção de O Homem de Trás-os-Montes (2017), curta-metragem de Miguel Moraes Cabral. Segue-se Bostofrio Où Le Ciel Rejoint La Terre (2018), um documentário de Paulo Carneiro, composto por uma série de conversas, tão íntimas quanto divertidas, nas quais é o próprio realizador que se implica na acção e questiona os habitantes de uma aldeia remota no interior de Portugal. Se preferir música, poderá ouvir os Raiva Rosa a partir das 22.00, no Café-Teatro. A banda, que canta em bom português e se prepara para lançar o primeiro álbum de estúdio, apresenta-se como uma nova esperança do rock nacional.

No dia seguinte, 17 de Outubro, o programa arranca às 16.30, com Florival, O Pequeno Pastor, um teatro de marionetas para a infância, a partir de um texto inédito de A. M. Pires Cabral, criado em resposta ao desafio da Urze Teatro ao escritor. Ainda no sábado, o ciclo convida-o a voltar depois do jantar, para ver Portugal, Um Dia de Cada Vez (2015), de João Canijo. O documentário, que será exibido às 21.00, acompanha o realizador numa viagem, a partir do extremo Norte de Portugal, a uma dúzia de aldeias e lugares por terras de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Se preferir uma proposta mais familiar, basta preterir a sala de cinema pelo auditório, onde poderá ver, a partir das 21.30, o espectáculo Lago dos Caretos – Sagração da Prima Vera, uma ideia original vencedora do prémio Douro Criativo 2018 na categoria de música e artes performativas. Inspirado no Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky, e na Sagração da Primavera, de Stravinsky, a peça de teatro – que inclui música original, dança e até caretos do Norte de Portugal – conta-nos a história de Vera, que vive numa aldeia transmontana e se sente intimidada e perseguida pelos seus próprios medos, numa espécie de confronto entre os pensamentos e os demónios que nascem das deambulações interiores.

No domingo, dia 18, Florival, O Pequeno Pastor volta a subir a palco, logo de manhã, às 11.00. Mais tarde, às 16.30, será a vez dos Pauliteiros de Miranda, um grupo de dança original das terras de Miranda do Douro, que se assume como uma das principais atracções do nordeste transmontano.

Os bilhetes para todas estas actividades já se encontram disponíveis online, no site do Centro Cultural Malaposta, e o preço varia entre os 3€ e os 10€.

Centro Cultural Malaposta. Rua Angola, Olival Basto (Odivelas). Sex-Dom vários horários. 3€-10€.

+ Leia já, grátis, a edição Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade