Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Tu: "Só espero que as pessoas se questionem porque gostam do Joe"
Elizabeth Lail
Netflix

Tu: "Só espero que as pessoas se questionem porque gostam do Joe"

Publicidade

É o novo guilty pleasure da Netflix. Tu, sobre uma relação obsessiva controlada por Joe Goldberg (Penn Badgley), capaz de matar quem se mete entre si e Beck (Elizabeth Lail), chegou ao serviço de streaming este mês e tornou-se num hit. A segunda temporada já está confirmada, mas pouco ou nada se sabe. Falámos com a protagonista, mas a chamada caiu a meio. Terá sido ele? 

Esperavas este sucesso?
Não, tento gerir as minhas expectativas. Foi uma surpresa muito agradável. É arrebatador.

E vamos ver-te na segunda temporada?
Não sei muito sobre isso.

Mas gostavas de voltar?
Terás de esperar para ver.

Porque achas que se tem falado tanto da série?
É um bocado como a junk food. São só dez episódios, podes ver de forma muito rápida. Queres saber sempre o que acontece a seguir. E não é necessariamente televisão vazia, há muito pensamento e cenas difíceis e isso torna-se muito interessante. Acho que cativa os dois públicos, quer procures algo mais fácil ou divertido para ver, mas também algo intrigante e negro. Cobre vários géneros televisivos.

Não é estranho que tanta gente adore o Joe, mesmo que ele seja um assassino?
É terrível, mas eu até percebo. É o tipo de programa em que se torce pelo herói a qualquer custo. Eu só espero que as pessoas em algum momento digam: ‘Wow, por que é que eu gosto deste tipo?’. E que então lutem contra isso.

A série pode ser um alerta para a violência nas relações?
Tenho a esperança que as pessoas reconheçam que não há muito amor na série. Ele está só a manipular e a controlar toda a relação. Está tudo errado ali. Aquilo definitivamente não é amor. 

+ Boneca Russa é o novo vício na Netflix

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade