Café A Brasileira

Restaurantes, Cafés Chiado
3 /5 estrelas
2 /5 estrelas
(9comentários)
Café A Brasileira
© Lydia Evans / Time Out

A Brasileira tornou-se um sítio de passagem e ponto de encontro, com a estátua de Lagoa Henriques a provocar selfies de turistas ao colo de Fernando Pessoa. Mas ainda por ali paira alguma da mística do lugar, palco de tertúlias intelectuais da geração de Orpheu, a justificar uma reconciliação. Isto para não falar de ser obrigatório carimbar no passaporte de todos os lisboetas com um café ao balcão, vindo do lote da casa.

Publicado:

Nome do local Café A Brasileira
Contato
Endereço Rua Garrett, 120
Lisboa
1200-205
Horário Seg-Dom 08.00-02.00
Transporte Metro Baixa-Chiado. Eléctrico 28
É o proprietário deste estabelecimento?
Static map showing venue location

Average User Rating

2.2 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:0
  • 4 star:1
  • 3 star:3
  • 2 star:2
  • 1 star:3
LiveReviews|9
1 person listening
Tastemakertastemaker

Vale a pena ir pelo menos uma vez na vida, pela história e lugar mítico de Lisboa. O atendimento, a confusão e o amontoado de turistas para tirar uma foto com a estátua do Fernando Pessoa tira-lhe todo o encanto.

tastemaker

para mim é aquele café que é mítico pelo sítio onde está, pela decoração e por ser antigo. 
Mas o atendimento é confuso, lento. Os preços mais caros e a qualidade não se justifica. 


Um sítio enigmático de Lisboa e sempre cheio de turistas. De tal forma que os locais quase lá não param... Mas vale a pena ir pelo menos uma vez na vida, para conhecer. Afinal, é um espaço cheio de história.


A Brasileira é um café, um sítio, uma ideia cheia de história, de lendas e de potencial que na experiência prática actual ficaria sempre aquém das fantasias de quem apenas conhece de ser sobre o sítio antes de o visitar. Ultrapassando isto, é um lugar que pode ser interessante dependendo muito da hora do dia. O pior mesmo é o carnaval sonoro em frente, que não dá descanso.


Não sou fã. Os empregados não são simpáticos e o café, a meu ver, não é bom. Mas percebo que seja uma das principais atracções de Lisboa. Quem não se perderia pela ideia de beber um café ao lado de Pessoa?


Quando Lisboa ainda não era uma cidade cheia de turistas este era o melhor sitio para ter aquele atendimento à pressa com preços inflacionados. Um dia vamos olhar para trás e ver este café como um pioneiro. A bitola pela qual se medem todos os sítios cheios de turistas em Lisboa. 


Serviço miserável e preços inflaccionados à conta do Fernando Pessoa sentado na esplanada, a posar para as máquinas fotográficas dos turistas. Demasiado movimento de gente a sair do metro e demasiadas pessoas a pedir dinheiro ou a querer vender postais. Mais vale escolher um dos outros muitos cafés da zona, como a vizinha Bénard, mais calma e com croissants deliciosos. 


Um bom sítio para tirar fotos com a estátua do Pessoa e ser mal atendido por um empregado zangado com a vida. Entre, espreite e se quer ver as pessoas passar vá à Benard ali ao lado comer um dos melhores croissants da cidade.


Há anos que não me sento na Brasileira. Primeiro porque a esplanada está sempre cheia de turistas (e lá dentro o espaço acaba por ser um pouco claustrofóbico). Segundo, porque os os músicos de rua que agora costumam estar a dar som a 2 metros do café, apesar de serem dos melhores da cidade, fazem ruído a mais para quem quer só estar a tomar um café sossegado a conversar ou a ler um livro.