Dom Queijo

Restaurantes Alvalade
0 Gostar
Guardar
Dom Queijo
Peito de frango recheado com feta

Este pequeno restaurante tem tudo para cheirar mal. Felizmente, os queijos estão bem selados, numa vitrina virada para sala de refeições, e tudo aquilo que se sente é o aroma dos pratos que vão sendo preparados na cozinha. Todos com um denominador comum: o queijo. O Dom Queijo abriu no Campo Grande, pelas mãos de Vasco Pádua, um estreante na restauração, com a cozinha entregue a Afonso Matos, ex-Peixola, e a primeira vez a trabalhar queijo com tanto afinco. Há halloumi grelhado com relish de jalapeño e tequila (6€), um creme de pêra, aipo e roquefort (5€), um peito de frango recheado com feta, ricota e espinafres, ao lado de risoto de cogumelos (16€) ou ainda num creme de mascarpone com gelado Nannarella de lima e hortelã (6€), criado em especial para o restaurante. Há também degustações de queijos, em tábuas com 50 gramas de cada um dos que se quiser provar (3€), acompanhado de pão e compota. O Dom Queijo tem ainda uma vertente de queijaria, onde entram os vários queijos, seja um brie de Meaux, um Morbier francês, um parmesão com 22 meses de cura, um São Jorge, um gorgonzola doce italiano e por aí fora. 

Publicado:

Nome do local Dom Queijo
Contato
Endereço Campo Grande, loja 232C
Lisboa
1700-162
Horário Ter-Sáb 16.00-23.00
É o proprietário deste estabelecimento?

You may be interested in:

Average User Rating

5 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:1
  • 4 star:0
  • 3 star:0
  • 2 star:0
  • 1 star:0
LiveReviews|1
0 people listening
tastemaker

Sempre me assumi como alguém que não gosta de queijo (apenas conseguia suportar mozzarella e cheddar - de todos os outros fugia a sete pés). Por isso, quando surge o desafio do Dom Queijo, a vontade de o aceitar era pouca ou nula. Num espaço simples e acolhedor em pleno Campo Grande, esta é uma casa de amigos para amigos. Esqueçamos a cerimónia, o formalismo ou a distância - somos recebidos com a maior das simpatias, disponibilidade e, sobretudo, tempo para nos explicar a história e preparação dos vários pratos. Aqui vale a pena optar pelo menu de degustação, nem que seja porque experimentamos várias criações a um preço bem mais simpático. Como entrada, temos um desfile tripartido: os grissinos de gruyere abrem o apetite para uns pãezinhos de queijo e chouriço (absolutamente deliciosos) e, de seguida, chegou-nos um halloumi grelhado (um queijo que não perde a forma). O prato principal chegou na forma de carré de borrego com alligot de batata doce e reblochon, uma combinação que se desfazia na boca, muito bem equilibrada e confeccionada. A visita terminou com um cheesecake desconstruído - sem dúvida, dos melhores que já comi. No Dom Queijo, todos os pratos apresentam este denominador comum, sem que seja um impeditivo para aqueles que, como eu, "não gostam de queijo". Por isso, pensar que este restaurante é apenas para amantes de queijo estará muito longe da verdade. Uma das grandes novidades de 2017 na gastronomia de Lisboa!