E se em vez de uma garrafa de vinho oferecer azeite neste Natal?

O azeite não é mais coisa de azeiteiros. Há mesmo quem diga que o azeite é o novo vinho. Com uma vantagem: as garrafas são mais bonitas
©DR Quinta do Crasto Premium: azeite e design
Publicidade

Hoje, fará mais efeito um comentário à mesa sobre os aromas a casca de amêndoa do azeite do que um chavão qualquer sobre uma casta do Douro. O sumo de azeitona está na moda e tornou-se um produto sofisticado, que vai mesmo além do próprio líquido. A embalagem das marcas mais prestigiadas são autênticas peças de design e um presente de Natal original.

 Isto mesmo pode ser confirmado no livro Os 100 Melhores Azeites de Portugal, que acaba de ser lançado pela Lua de Papel. Estão lá todas as marcas que têm trazido prémios internacionais para Portugal nos últimos anos, para além de dicas sobre como se tornar num provador habilitado ou aprender a cozinhar com azeite, usando receitas de chefs portugueses. 

O autor é Edgardo Pacheco, o jornalista gastronómico que mais sabe do assunto em Portugal e que dedicou os últimos anos à causa. Quando não está a produzir o programa Prato da Casa, na CMTV, ou a escrever sobre comida e vinhos no Correio da Manhã e no Jornal de Negócios, Edgardo passa o tempo com o nariz enfiado num copinho a cheirar azeites ou a visitar produtores.

Ninguém por isso melhor do que ele para nos ajudar a escolher estas dez garrafas, excelentes prendas para pôr no sapatinho ou para regar o bacalhau da consoada.

10 grandes garrafas de azeite para comer e ver

azeite carm premium
©DR

Carm Premium

Este azeite premiadíssimo “é daqueles casos em que metemos o copo ao nariz e sentimos de imediato que estamos em Trás-os-Montes”, diz Edgardo Pacheco. Vem de oliveiras anciãs e biológicas e vai bem com polvo de meia cura assado na brasa, garante.

azeite casa de santo amaro prestige
©DR

Casa de Santo Amaro Prestige

É feito por Francisco Pavão, responsável pela Casa de Santo Amaro, onde se fazem dos azeites com melhor currículo internacional, e especialista muito requisitado por várias outras quintas de Trás-os-Montes e do Douro. Este Prestige tem sabor a frutos secos e um picante persistente.

Publicidade
azeite quinta do castro premium
©DR

Quinta do Crasto Premium

Um azeite que cheira a rosmaninho sem ter rosmaninho é um fenómeno. E este Quinta do Crasto é conhecido entre os especialistas por isso, embora nas últimas colheitas haja mais canela e casca de noz. Palavra de Edgardo, que aconselha deitar um pingo dele numa tarte de amêndoa.

azeite monterosa maçanilha
©DR

Monterosa Maçanilha

O Algarve também dá azeites. Ou melhor dá este azeite, o único da região a ser destacado no livro “Os 100 Melhores Azeites de Portugal”. O produtor é um sueco que começou por criar oliveiras para uso ornamental e acabou por produzir dos azeites mais especiais de Portugal.

Publicidade
azeite cartuxa
©DR

Cartuxa

É o azeite topo de gama da Fundação Eugénio de Almeida e vem de um olival perto de Évora. Feito de azeitonas cobrançosa e picual, tem “flores da ribeira”, amargo e picante, e liga bem a mozarela e os figos frescos numa salada.

 

azeite herdade do rocim
©DR

Herdade do Rocim

Esta marca já se destacava na embalagem dos seus vinhos, e o mesmo acontece com os azeites. Foi dos primeiros produtores a apresentar a garrafa com este formato, em 2011. É feito apenas de cobrançosa e vai bem com uns cogumelos grelhados.

Publicidade
azeite olival da risca selection mild
©DR

Olival da Risca Selection Mild

É um alentejano produzido por duas famílias suíças e tem “encantado jurados internacionais” por causa dos “bons amargos e picantes imediatos e muito intensos”. Tempera bem um coelho estufado.

azeite chousas nostras
©DR

Chousas Nostras

Vem de Muxagata, no Douro, um sítio inóspito. “As oliveiras repartidas por diferentes espaços neste fim do mundo desértico são mais velhas do que a salve rainha e todas juntas darão 15 hectares”, escreveu Edgardo Pacheco, no livro “Os 100 Melhores Azeites de Portugal”. O autor faz ainda notar que a garrafa recupera a imagem “dos frascos antigos de farmácia e algumas embalagens de perfumes”.

Publicidade
azeite andreza
©DR

Andreza

Mais um azeite do Douro feito por pessoas do vinho, no caso produtores (e exportadores) de sucesso. Leva azeitonas cobrançosa e verdeal e é bom para temperar lombinhos de porco (mesmo antes de serem servidos, como sempre deve ser).

azeite vale do conde
©DR

Quinta do Vale do Conde Edição Especial

Este transmontano junto os melhores lotes de um olival com 150 hectares. A ideia pode parecer estranha, mas o especialista em azeites Edgardo Pacheco recomenda umas gotas “por cima de um arroz de pato acabado de sair do forno”.

Mostrar mais
Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com