Estórias na Casa da Comida

Restaurantes, Português Avenida da Liberdade/Príncipe Real
4 /5 estrelas
Casa da Comida - Esplanada
1/5
Estórias casa da comida
2/5
Estórias na Casa da Comida
3/5
Estórias na Casa da Comida
4/5
Estórias na Casa da Comida
5/5

Um jantar recente no Estórias na Casa da Comida
 (para mim será sempre só e apenas a Casa da Comida) fez-
me relembrar a velha lição que aprende um crítico quando entra no ofício: há restaurantes para todo o tipo de gostos e a avaliação deve ter isso em conta. No caso, este ícone da restauração lisboeta está aqui para quem procura aquela cozinha portuguesa com alguns luxos, o serviço à moda antiga e um sítio hipersilencioso e sossegado – ouve-se um jazz moderninho vindo das colunas. E se a remodelação sofrida há alguns anos lhe retirou o corpo 
de aspecto mais pesado, a alma continua a ser da velha guarda. Assim como os preços. Quase 100€ por uma refeição de duas pessoas, com vinho a copo. Há mercado para isto? Há, pois. Dias antes tinha tentado marcar mesa e estava cheio –“recebemos muito grupos”, disse-me o empregado.

Na cozinha está há um ano e picos João Pereira, que seguiu
o trabalho de gastronomia portuguesa contemporânea
que a remodelação e o prefixo “Estórias” trouxeram no início dos anos 10. Uma cozinha bem feita, assente em bons produtos, mas ainda a cair ligeiramente para as ardósias e os riscos de molhos nos pratos. Vinham os dois, por exemplo, no prato de escabeche de perdiz (9€), três tostas com
 a carne em cima, uns gomos de laranja baby, uma folha de agrião por tosta – dispensava o aparato, a comida estava boa. A salada de queijo de cabra gratinado com fruta da época (9,50€) trazia tudo menos sazonalidade: a fruta escolhida foi manga. Mas a salada com alfaces, rabanetes, amêndoas, o queijo de cabra gratinado por cima (podia ter vindo mais quente) e vinagrete estava óptima.

Muito bom o leitão com rosti
 e batata e presunto (25€), a
 pele estaladiça, a carne tenra e saborosa, o molho do leitão a regar a base, alguns legumes em pickle, o rosti interessante; assim como o bacalhau de cura portuguesa com migas de coentros (23€), uma posta a lascar, alguma goma, um azeite de alecrim quente para regar tudo. Só foi pena as migas estarem demasiado massudas.

Mas o melhor da noite foi a sobremesa, os pastéis da infância do chef Miguel (ex-chef da
casa, 7€), com um creme frio no interior, uma massa fina estilo mil folhas e um creme de alperce na base. Excelentes.

Contas feitas, com vinho a copo a partir dos 6€, aqui uma refeição nunca vai sair em conta e um jantar nunca vai ser o cúmulo da diversão, porque o ambiente 
é sóbrio. Volto ao início: há clientes para tudo e esta cozinha portuguesa com estes preços ainda tem saída em Lisboa.

*As críticas da Time Out dizem respeito a uma ou mais visitas feitas pelos críticos da revista, de forma anónima, à data de publicação em papel. Não nos responsabilizamos nem actualizamos informações relativas a alterações de chef, carta ou espaço. Foi assim que aconteceu.

Por Marta Brown

Publicado:

Nome do local Estórias na Casa da Comida
Contato
Endereço Travessa das Amoreiras, 1
Lisboa
1250-025
Horário Seg-Sáb 19.00-00.00
Transporte Metro Rato
Preço Até 50€
É o proprietário deste estabelecimento?
Static map showing venue location

Average User Rating

4 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:0
  • 4 star:1
  • 3 star:0
  • 2 star:0
  • 1 star:0
LiveReviews|0
2 people listening