Pastelaria Alcôa

Restaurantes Chiado
4 /5 estrelas
(3comentários)
Alcoa (Fotografia: Arlindo Camacho)
1/4
Fotografia: Arlindo CamachoO balcão da Alcôa no Chiado
Alcoa (Fotografia: Arlindo Camacho)
2/4
Fotografia: Arlindo CamachoTorrão Real. Envolvido em papel, tem amêndoa, gemas e, por cima, fios de açúcar caramelizados que “são todos feitos e puxados à mão”. É um doce muito aveludado (apesar das três texturas) e deve comer-se à colher (3,40€).  
Alcoa (Fotografia: Arlindo Camacho)
3/4
Fotografia: Arlindo CamachoOvo do Paraíso. Tem uma fina (e facilmente quebrável) massa folhada em volta, é recheado com amêndoa, pinhão, açúcar e gemas (2,70€)  
cornucópia da alcoa (Fotografia: Arlindo Camacho)
4/4
Fotografia: Arlindo CamachoCornucópia. Tem uma massa fina e estaladiça frita em azeite que contrasta com o cremoso doce de ovos (2,70€).  

Mimos de freira, pudins de São Bernardo, torrões reais, queijinhos do céu, coroas de abadessa e castanhas de ovos. Dezenas de gulosos debruçam-se sobre a vitrina da nova pastelaria Alcôa, composta por doces dourados e reluzentes, a maioria premiados em competições de doçaria conventual. São “elaborados e demoram muito tempo a fazer porque exigem muita mão-de-obra”, explica Paula Alves, a dona, há 34 anos à frente do negócio, e que abriu, na semana passada, depois de dois anos de espera, a famosa pastelaria de Alcobaça numa esquina da Rua Garrett.

Os doces seguem as antigas receitas tradicionais dos Monges de Cister de Alcobaça. Cada um tem as suas particularidades mas as bases estão lá sempre: os pontos e as caldas de açúcar perfeitas, feitas em tachos de cobre. “Era assim que se fazia há cinco séculos, nos conventos. E para nós isso é mesmo muito importante”, remata.

A imagem de marca da casa é a Cornucópia (2,70€), um doce em cone recheado com um cremoso doce de ovos, que ganhou o prémio de melhor doce conventual na Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais em 2013. São feitas há mais de 30 anos. Os bolos vêm todos os dias de Alcobaça menos os pastéis de Nata premiados no Peixe em Lisboa – são feitos quase hora a hora na pastelaria e sempre que saem do forno toca o sino.

Esta confeitaria com história e fama em Alcobaça desde 1957 estava prometida ao Chiado desde que a emblemática loja de lotarias Casa da Sorte fechou, no Verão de 2014. O projecto para o espaço foi anunciado pela proprietária Paula Alves no início de 2015, mas a obrigatoriedade de preservação do património, com projecto do arquitecto Conceição e Silva e uma larga fachada de azulejos do mestre Querubim Lapa, atrasou a abertura. Além desta nova pastelaria, a Alcôa tem também, há 14 anos, um quiosque sazonal no El Corte Inglés.

Por Inês Garcia

Publicado:

Nome do local Pastelaria Alcôa
Contato
Endereço Alcôa
Rua Garret, 37-39
Lisboa

Horário Seg-Dom 9.00-22.00
Transporte Metro Baixa-Chiado
É o proprietário deste estabelecimento?
Static map showing venue location

Average User Rating

4.3 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:1
  • 4 star:2
  • 3 star:0
  • 2 star:0
  • 1 star:0
LiveReviews|3
1 person listening
tastemaker

Até que enfim trouxeram Alcobaça para Lisboa! Já há muito tempo andava a namorar o espaço quando ainda estava por abrir! Finalmente consegui ir comer uma cornucópia, que estava simplesmente deliciosa! É um sítio para tirar a barriga de misérias e ir embora, porque não tem muito espaço para se estar.

Tastemaker

Em pleno Chiado, o espaço foi cuidadosamente decorado e está, a meu ver, mesmo muito interessante. As mesas, infelizmente, não existem; há apenas 2 pequenos balcões onde se poderá parar por pouco tempo. Mal se entra, é praticamente impossível não nos rendermos ao ótimo aspecto de todos os produtos ali vendidos. Experimentei 4 iguarias, incluindo as famosas cornucópias; os doces são bons, mas não achei nenhum deles extraordinário. O serviço, apesar de haver muitos clientes, é rápido e o staff é simpático.

tastemaker

É como ter Alcobaça ao virar da esquina. :) 
Pode parecer exagero, mas a Alcôa é mesmo um pedacinho de céu, graças aos seus maravilhosos doces. Já conhecia as famosas cornucópias, graças a uns amigos de Alcobaça e de uma visita ao espaço original, mas agora é possível descobrir a fantástica oferta que este espaço tem, a qualquer hora, no coração do Chiado. Passei lá hoje e adorei experimentar o pudim de São Bernardo... É pena só podermos comer ao balcão, mas o espaço é agradável e os colaboradores são muito simpáticos. É uma mais valia no panorama Lisboeta, já que transmite a nossa doçaria tradicional.