Libertação

Teatro
Libertação
©DR

Para os criadores de Libertação, a companhia luso-checa Hotel Europa, isto é, André Amálio e Tereza Havlíková, a Guerra Colonial é “a questão mais traumática da História recente de Portugal.” Por isso, nesta peça, interpretada por Amálio, Lucília Raimundo e Nelson Makossa, com desenho de luz de Joaquim Madaíl, cenografia e figurinos de Maria João Castelo e som do DJ Nelson Makossa, “a companhia propõe estudar as repercussões dos movimentos de libertação nacional na metrópole, nomeadamente o seu contributo decisivo para a queda do regime totalitário português.” Para aqui chegar o espectáculo foi criado a partir de entrevistas com “participantes na luta pela independência de Angola, da Guiné e de Moçambique” e, além da investigação própria, de “discursos de figuras como António Oliveira Salazar, Amílcar Cabral, Marcello Caetano, Eduardo Mondelane, Agostinho Cabral, Holden Roberto, Jonas Savimbi e Samora Machel.

Por Rui Monteiro

Publicado:

LiveReviews|0
1 person listening