Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Três exposições para ver no Museu da Cidade
'Cadernos A e B: Prelúdio e Fuga' de Jorge Feijão
© António Alves 'Cadernos A e B: Prelúdio e Fuga' de Jorge Feijão

Três exposições para ver no Museu da Cidade

Surgiu quando o mundo se fechava em casa, mas permanece activo na programação. Eis três exposições para ver no Museu da Cidade.

Por Maria Monteiro
Publicidade

É um museu sem telhado nem paredes que vai da Pasteleira à Bonjóia, constituído por uma rede de 16 espaços da cidade. O Museu da Cidade foi apresentado publicamente em Fevereiro, altura em que anunciou uma programação variada para os dois meses seguintes, mas foi forçado a suspender a actividade devido à pandemia. Nos últimos tempos, tem funcionado a meio gás, com planos e eventos adiados, mas mantém uma sólida oferta expositiva que poderá ter passado despercebida aos mais distraídos. Enquanto aguardamos novidades sobre espaços que estão a ser reestruturados ou renovados para abrir futuramente, como a Extensão do Douro e o Reservatório da Pasteleira – previstos para Dezembro e Março, respectivamente –, recomendamos-lhe três exposições para ver em três pólos do Museu. Se não for suficiente, pode sempre espreitar outras exposições a não perder no Porto.

Recomendado: Os melhores museus no Porto

Três exposições para ver no Museu da Cidade:

1820. Revolução Liberal do Porto
1820. Revolução Liberal do Porto
© António Alves

1820. Revolução Liberal do Porto

Museus História Miragaia

A 24 de Agosto de 1820, a Revolução Liberal fez constituir a Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, abrindo caminho à criação de um regime constitucional em Portugal. Esta exposição integra as comemorações dos 200 anos do movimento que se espalhou ao resto do país e culminou no fim do absolutismo. Os visitantes podem conhecer ao pormenor o primeiro ano deste processo, nomeadamente o levantamento militar e o regresso da família real do Brasil. A curadoria é do historiador José Manuel Lopes Cordeiro.

Casa do Infante e Gabinete do Tempo. Até 10 Jan. Ter-Sex 09.30-17.30. Sáb-Dom 09.30-13.00. Grátis.

Livros são árvores, bibliotecas são florestas
Livros são árvores, bibliotecas são florestas
© António Alves

Livros são árvores, bibliotecas são florestas

Atracções Bibliotecas, arquivos e fundações Bonfim

A antiga sala de exposições temporárias da Biblioteca Pública Municipal do Porto chama-se, agora, Gabinete do Som, e é uma extensão da Biblioteca Sonora que integra o Museu da Cidade. A sua segunda vida é uma incursão “pelos segredos do mundo subterrâneo e as diversas formas de afloração à superfície”, explorando a circularidade que existe entre a natureza e o conhecimento através de livros, páginas de livros, imagens e sons reminiscentes do mundo natural.

Gabinete do Som, na Biblioteca Pública Municipal do Porto. Até 26 Dez. Ter-Sex 09.30-17.30. Sáb-Dom 09.30-13.00. Grátis.

Publicidade
Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga de Jorge Feijão
Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga de Jorge Feijão
© António Alves

Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga

Museus História

Para o artista plástico Jorge Feijão, desenhar é prática e temática. Exemplo disso é a quantidade de desenhos de pequeno formato que reflectem a velocidade e a ponderação da mão e do pensamento, quase como se obedecessem a um ritmo musical. As suas obras aludem a imagens de coisas, figuras e seres entre a luz e a escuridão e entre o esquisso e o acabado.

Casa Guerra Junqueiro/ Gabinete do Desenho. Até 24 Jan. Ter-Sex 09.30-17.30. Sáb-Dom 09.30-13.00. Grátis.

Mais arte no Porto:

Kinderszenen
© Lionel Jusseret

19 exposições a não perder no Porto

Arte

Depois de meses presos às exposições e visitas guiadas virtuais, a cena artística e cultural apresenta-se tão vibrante e diversa como sempre a conhecemos. Em tempos particularmente desafiantes, os museus e galerias do Porto apostam numa programação forte e multidisciplinar que promete atrair todo o tipo de públicos. De figuras emblemáticas da arquitectura, fotografia e performance como Eduardo Souto de Moura, Álvaro Siza, Alfredo Cunha e Yoko Ono, a génios nacionais e internacionais da pintura como Nadir Afonso, Monet e Klimt, passando por nomes da ilustração ou arte contemporânea, é só escolher. Não há desculpa para não se aculturar – até porque pode entrar em boa parte destas exposições sem gastar um cêntimo.

Recomendado: Os melhores museus no Porto

Viola
©Casa Museu Teixeira Lopes

16 obras de arte para ver no Porto

Arte Obra-prima

Provavelmente nunca reparou, mas há muitas obras de arte espalhadas pela cidade e, algumas delas, estão mesmo debaixo do seu nariz. A pensar na sua cultura geral e artística, reunimos 16 obras de arte para ver no Porto, de visita obrigatória. Da pintura à escultura, passando pela arte urbana, onde aparecem murais grafitados, até colecções únicas de soldadinhos de chumbo em museus, aqui tem um pouco de tudo. Para admirar sozinho ou acompanhado, com amigos ou em família, pegue nesta lista, dê um passeio pela cidade e aplauda os artistas da Invicta.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade