Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right As melhores joalharias e ourivesarias no Porto e arredores

As melhores joalharias e ourivesarias no Porto e arredores

Deixe-se ofuscar pelo brilho das jóias e vá conhecer as melhores joalharias e ourivesarias no Porto e arredores

eugenio campos
©Marco Duarte A Eugénio Campos fica na Rua das Flores
Por Margarida Ribeiro |
Publicidade

A Invicta é especialista em muitas áreas, mas há uma que ao longo do tempo tem vindo a crescer: a joalharia. Por isso, damos-lhe a conhecer as melhores joalharias e ourivesarias no Porto e arredores, algumas são lojas centenárias, umas só existem online e há ainda outras que nasceram há pouco tempo. O que não faltam são brincos, anéis e colares em prata, ouro e até com pedras preciosas. Há jóias para todos os gostos e carteiras, o mais difícil é escolher quais é que vai juntar à sua colecção. Boas compras. 

Recomendado: As 16 melhores lojas no Porto

As melhores joalharias e ourivesarias no Porto e arredores

Wonther
© Maria Cunha

Wonther

A Wonther nasceu focada na igualdade de género e na sustentabilidade, duas grandes bandeiras na vida da sua fundadora, Olga Kassian, nascida na Ucrânia e criada, a partir dos quatro anos, em Portugal. Para a produção das suas jóias, Olga optou por utilizar ouro e prata reciclados e de origem ética. As embalagens são feitas de cartão reciclado e burel. E a marca tem um certificado do Responsible Jewellery Council, ou seja, utiliza materiais de origens que respeitam determinados parâmetros, como o dos direitos dos trabalhadores ou o do impacto ambiental. As jóias estão à venda online e há cinco colecções disponíveis. Os preços podem ir dos 35€ aos 238€.

 liliana guerreiro
©Marco Duarte
Compras, Joalharia

Liliana Guerreiro

Cedofeita

Há quem goste do dois em um – ateliê e loja – como é o caso de Liliana Guerreiro, cujo espaço, na Baixa, serve para vender e para criar. A designer vianense desconstrói a técnica da filigrana e produz jóias contemporâneas de linhas delicadas e elegantes. À venda vai encontrar colecções como a Estrutura, a Malha e a Cores. Esta última foi a primeira colecção que lançou, há já 15 anos, e que tem hoje 30 cores e permite 56 mil combinações diferentes, em anéis, alfinetes, colares e brincos. As suas peças já estiveram expostas em várias cidades, como Viena, Budapeste, Veneza, Nova Iorque ou Tóquio.

Publicidade
Quatro das cinco joalheiras da Collectiva
© Cláudia Paiva
Compras, Joalharia

Collectiva

Cedofeita

A ourivesaria foi, durante muitos anos, uma área dominada por homens. Os tempos mudaram e hoje há cada vez mais mulheres a trabalhá-la. A Collectiva, um projecto que tem como objectivo promover a joalharia portuguesa de autor no feminino, é um bom exemplo. Ana Bragança, Marta Pinto Ribeiro, Joana Santos, Susana Teixeira e Lia Gonçalves são as cinco mulheres que estão ao leme desta loja/galeria. Cada uma com o seu próprio estilo. No espaço que partilham no Centro Comercial Bombarda, além de venderem as suas jóias, também recebem as criações de outras artistas convidadas.

Na parte de trás da loja fica o ateliê
©Cláudia Paiva
Compras, Joalharia

Dalila Gomes Jewellery

Baixa

Já que passa a maior parte do seu tempo nas traseiras do ateliê, Dalila Gomes decidiu adoptar uma simples regra para o seu espaço: só recebe os clientes mediante marcação. A área sempre a fascinou mas, quando chegou a hora de escolher, decidiu enveredar pela arquitectura, que lhe deu a oportunidade de trabalhar com Siza Vieira e de com ele coordenar projectos na Coreia do Sul e no Japão. Mais tarde, inscreveu-se num curso de joalharia e nunca mais parou. Dalila cria peças únicas e personalizáveis e aposta, sobretudo, na geometria e na ilusão óptica.

Publicidade
Colar da Mel Jewel
©DR

Mel Jewel

Mel Jewel é uma marca que aposta em peças produzidas manualmente, uma a uma, utilizando várias técnicas ancestrais de fabrico de jóias. O desenho e os protótipos são elaborados na oficina da empresa, mas a produção é feita por artesãos de Gondomar. O ouro e a prata são os materiais de eleição e cada colecção assume o nome de uma mulher que influenciou as suas criadoras.

alcino silversmith
©Cláudia Paiva
Compras

Alcino Silversmith

Bonfim

É uma ourivesaria portuense com mais de 100 anos de história e que já vai na sexta geração. A marca, especializada em arte sacra e prata decorativa, tem dois espaços no Porto, um no Hotel Intercontinental, e outro na zona do Bonfim. É neste espaço que funciona a oficina e, na parte da frente, uma pequena loja. Aqui também trabalham peças de joalharia mais pequenas, como brincos, colares e anéis.

Publicidade
MESH
© João Saramago
Compras, Joalharia

MESH

Flores

Nascida em 2015, esta marca já é bem conhecida pelos portuenses. A MESH, criada por Tiago Barbosa e Mafalda Vidal Pinheiro, abriu o seu primeiro espaço em 2017 na Rua Ramalho Ortigão, perto da Avenida dos Aliados. Um ano mais tarde, decidiram alargar horizontes e abriram uma outra loja junto à Rua das Flores. A produção das jóias é toda feita em Gondomar, já que Tiago, que vem de uma família de ourives, conhece bem os artesãos da zona. As jóias da MESH são todas produzidas em prata e, por vezes, levam pedras não preciosas. As linhas caracterizam-se pelo seu minimalismo, o que permite que “se adaptem a vários estilos, pessoas e faixas etárias”, esclarece Tiago. Fazem personalizações e estão sempre a produzir peças novas.

eugenio campos
©Marco Duarte
Compras

Eugénio Campos

Baixa

Apesar de já contar mais de 30 primaveras, a marca Eugénio Campos só abriu a sua primeira loja de rua em 2017, em plena Rua das Flores, uma das artérias mais movimentadas da cidade. A marca de Vila Nova de Gaia aposta, desde sempre, em peças de joalharia fina e delicada, com diamantes e ouro de 19 quilates. Pela loja vai encontrar várias peças e colecções, todas personalizáveis. Uma das linhas mais recentes é a que foi criada a pensar na época natalícia: um conjunto especial de jóias em prata banhada a ouro, com pedras vermelhas hidrotermais.

Publicidade
Mimata, MMUTT
©Cláudia Paiva
Compras, Joalharia

Ateliê Joana Mieiro

Baixa

A trabalhar em joalharia desde 2009, Joana Mieiro é a responsável por duas marcas. A primeira é a Mimata, uma marca de jóias de luxo, composta, sobretudo, por colares, brincos, anéis e alfinetes em ouro e com pedras preciosas e semipreciosas. A segunda é mais recente. Tem apenas dois anos e surgiu a pedido de muitos dos seus clientes que queriam comprar jóias a um preço mais acessível. Assim nasceu a MMUTT, onde a designer utiliza materiais como borracha, cobre, latão e prata para criar peças maiores e com mais impacto.

Luiz Ferreira
© DR
Compras, Joalharia

Ourivesaria Luiz Ferreira

Baixa

As portas desta loja abriram em 1970 pelas mãos de Luiz Ferreira, que nasceu numa família de ourives. Ficou conhecido pelas pratas, pelas jóias e pelos célebres animais que entraram pela porta da frente de lojas como a Dior, Cartier e Chanel, e acabaram a ser copiados um pouco por todo o mundo. Ao longo dos anos teve clientes bem conhecidos, como os reis de Espanha, os duques de Windsor, o papa João Paulo II, Jacqueline Kennedy Onassis e muitos outros. Foi consagrado após a sua morte, a título póstumo, com a medalha de Mérito Cultural pelos relevantes serviços prestados à cultura portuguesa. Hoje, a empresa continua na família e a apostar natradição.

Publicidade
Tincal Lab
© João Saramago
Compras, Joalharia

Tincal Lab

Cedofeita

O Tincal Lab é um misto de local de trabalho e de exposição. O espaço funciona como um cowork com quatro mesas de trabalho. Uma para Ana Pina e outra para Olga Marques, as restantes para quem as quiser ocupar pontual ou mensalmente. Além do trabalho destas duas joalheiras, no Tincal Lab também vai encontrar peças de outros autores e pode ainda participar em workshops pontuais dados por joalheiros convidados.

Machado Joalheiro
© DR
Compras, Joalharia

Machado Joalheiro

Santa Catarina

Apesar de não estar nesta morada desde o início, a Machado Joalheiro conta já com 138 anos de vida. Por aqui vai encontrar várias marcas de relojoaria e joalharia internacionais, como a Cartier, a Chaumet, a Hublot, entre muitas outras. Além disto, também estão disponíveis as colecções da marca. Nesta loja vendem sobretudo anéis de noivado, alianças, pratas e filigrana. Há ainda uma segunda loja na zona da Boavista e outra em Lisboa.

Mais lojas onde gastar o seu dinheiro

Mon Père Outlet
© João Saramago
Compras, Lojas vintage

As melhores lojas vintage no Porto

É difícil passar ao lado do boom que assolou a cidade com lojas que vendem peças de outros tempos e cheias de história. Para se orientar entre tanta e tão boa oferta, escolhemos as melhores lojas vintage no Porto, uma vez que para compras em segunda mão a Invicta já é uma referência. Além disto, a moda é cíclica portanto vai, com certeza, estar sempre dentro das tendências. Calças de cintura subida dos anos 80, camisolas de malha com padrões fora da caixa, casacos de ganga ao estilo do Levi's Trucker Jacket ou acessórios marcantes, como cintos ou óculos de sol. Estas são algumas das peças que pode encontrar. Divirta-se. 

Patch Porto
©João Saramago
Compras

As melhores lojas alternativas no Porto

Farto de fazer compras sempre nos mesmos sítios? Cansado de encontrar artigos que são mais do mesmo? Fuja das multidões e vá respirar outros ares. Quer precise de renovar o armário, de adicionar páginas à sua livraria ou lhe apeteça investir em arte – estas lojas têm de tudo. O importante é ir com tempo e de espírito aberto para conhecer novas ideias e novos projectos. Se a tarde de compras o deixar cansado, recupere baterias com um pôr-do-sol numa das melhores vistas da cidade, hidrate-se (de preferência com sumos naturais) e, claro, sente-se à mesa de um bom restaurante. 

Publicidade
Flores
© DR
Compras, Floristas

As melhores floristas no Porto

Não duram eternamente, mas fazem feliz quem as recebe (a não ser que seja alérgico). Um ramo de flores é, provavelmente, o presente mais versátil de que há memória e cai bem em praticamente todas as ocasiões. Sejam amarelas, brancas ou vermelhas; tulipas, rosas ou malmequeres, nesta lista vai encontrar estas flores e muitas mais à venda nas melhores floristas no Porto, onde vai encontrar opções para todos os gostos, que vão do estilo mais clássico ao mais moderno e arrojado. O que também pode acompanhar bem um ramo, é uma caixa dos melhores chocolates da cidade ou uma peça de uma joalharia ou ourivesaria. 

Publicidade