Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Três peregrinações por Lisboa para fazer em família este fim-de-semana
Notícias / Eventos e festivais

Três peregrinações por Lisboa para fazer em família este fim-de-semana

teatro romano
Fotografia: Arlindo Camacho

O 13 de Maio pede caminhadas, mas nem todas têm de ir até Fátima. Para uma boa e valente peregrinação para toda a família, pode ficar-se pela capital, diz o Museu de Lisboa. E só precisa de um fim-de-semana. O museu preparou três visitas para sábado e domingo que vão dos deuses romanos à Nossa Senhora da Saúde.

A primeira das minicaminhadas "A ver passar a procissão de nossa Senhora da Saúde" acontece sábado às 14.30 e é dedicada à procissão da Nossa Senhora da Saúde, que tem capela no Martim Moniz. É a procissão mais antiga de Lisboa e este ano aconteceu a 7 de Maio, com a presença do Presidente Marcelo, à falta da figura da primeira-dama que, nos mandatos dos anteriores presidentes, representava a presidência nesse momento religioso. Assim como a procissão, o percurso organizado pelo Museu de Lisboa inicia-se no Martim Moniz segue pelo meio da Mouraria até ao Largo do Intendente, descendo a Almirante Reis, rumo à Praça da Figueira e retomando à Capela. Custa 5 euros e, como para as outras visitas deste fim-de-semana, a marcação é obrigatória (servicoeducativo@museudelisboa.pt ou 21 751 3256).

Para um passeio dentro de portas há a ronda por "Debaixo dos Nossos Pés", a exposição do Torreão Poente que mostra e explica o que está por baixo do chão que pisamos todos os dias na cidade – dos mosaicos romanos e resultados das escavações arqueológicas aos planos para a calçada portuguesa. A entrada é 4 euros e a visita começa às 15.00.

No domingo o Museu de Lisboa volta aos antepassados no Teatro Romano. O que é hoje um museu foi lugar de teatro na época em que se cantava "Olisipo, menina e moça". A visita "O Teatro Romano de Olisipo" tem uma hora e, correndo o núcleo museológico por 4 euros, ficam a conhecer-se as ruínas desse império como a palma da mão.

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments