street style NOS Alive dia 3
Duarte Drago

NOS Alive 2019: o melhor do street style do terceiro dia

No meio de tanta gente foi tarefa árdua encontrarmos quem se destacasse. Mas lá conseguimos

Publicidade

Ao terceiro dia, conforme as escrituras festivaleiras (e também porque é sábado), o recinto encheu ainda mais que nos outros dias de NOS Alive. Sem sombra de dúvidas que as meias puxadinhas acima do tornozelo foram a estrela ao longo dos três dias, porque se há tempo para ser extravagante é nestas alturas. E claro que o segredo para dar nas vistas nestes certames é ir montado em brilhos, assim como quem não quer a coisa, mas já a querer. Depois há sempre quem capriche no óculo de sol ou na maquilhagem, para ver se andamos atentos e reparamos nestes detalhes. Mas bem, entre a ensaboadela de pop de Marina, o rock de Smashing Pumpkins, o indie folk de Bon Iver e a electrónica experimental de Thom Yorke nao havia uniformidade de público, e isso vê-se na galeria acima: #somostodosecléticos.

Recomendado: Guia para os festivais de Verão

Lisboa festivaleira

  • Compras

À semelhança do primeiro dia, estiveram fortíssimos os padrões nas camisas, um básico que dá tanto para indivíduos solitários que não querem falhar o outfit, como para aqueles que decidem fazer do festival uma despedida de solteiro. No meio termo estiveram os acessórios: brincos grandes, óculos extravagantes e a eterna aposta nas meias um tanto ou quanto esquizofrénicas.

  • Compras

O glitter parece continuar a ser uma tendência que não quer descolar dos festivais, quer na cara, quer na roupa – já cantava Rihanna "shine bright like a Diamond". Houve quem preferisse as transparências, talvez os mais encalorados, e outros continuam a jogar pelo seguro da camisa padronizada, um básico festivaleiro que é receita segura. A meia subidinha continua a dar o ar da sua graça, naqueles que envergam um estilo streetwear bem marcado. 

Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade